Quanto deve custar o litro de água tratada em Vargem?

0
862

Esta pergunta vem martelando os consumidores vargengrandenses com o último aumento dado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAE). De um lado, reclamam quem recebeu a conta e se espantou com os aumentos dados. De outro, principalmente a prefeitura e o SAE, a alegação é que o valor atual não cobre os custos e não sobra dinheiro para os investimentos necessários para o setor.
Pagar R$ 32,96 para ter 10 mil litros de água tratada, sendo que neste custo está também o valor do esgoto recolhido e tratado, não é um valor alto. Só para uma comparação simples, uma garrafa de cerveja em um dos bares da cidade, custa um preço médio de R$ 8,00. Como cada cerveja tem 600ml, quatro delas teriam 2,4 litros e custariam R$ 32,00. É uma comparação simplista, mas dá para ter um parâmetro de valor de algo líquido equivalente a 10 mil litros de água tratada e esgoto também.
Aprender a cobrar, aprender a pagar um preço justo e aprender a exigir um serviço de qualidade, estes são alguns princípios que devem nortear o serviço de água e esgoto da cidade. No frigir dos ovos, cobra-se pouco, não se tem noção de valores, a qualidade do serviço deixa a desejar e os investimentos necessários para modernização do sistema não acontecem, levando ao colapso se algo não for feito.
Outra análise que se deve fazer quanto ao fornecimento de água pelo poder público, é que por falta de investimentos, como aconteceu no passado em Vargem Grande do Sul, quase que a cidade fica sem água tratada. Entrou um prefeito dinâmico, o momento era favorável, os investimentos foram feitos e houve um grande avanço em duas administrações. Entra outra administração, populista, irresponsável, não investe um tostão e leva ao caos o SAE, deixando dívida que é paga por todos os cidadãos, consomem eles pouco ou muita água.
Muitas cidades da região adotaram como modelo para a gestão da água e esgoto a terceirização. Em São João da Boa Vista, Espírito Santo do Pinhal, Itobi, Divinolândia, a Sabesp é a responsável pelo tratamento de água e esgoto destas cidades. A inadimplência deve ser muito pequena também, pois quem não pagar, vai ter a água cortada.
Responsabilidade é palavra de ordem. Consumiu paga. Então, haverá uma tendência a uma atitude muito importante, que é a de não desperdiçar água. Só se impõe uma cultura de não desperdiçar se houver educação para tanto e preço que inibe o desperdício e regras claras que se não pagar, o serviço será cortado.
Já está mais do que na hora do vargengrandense acordar para entender que ter água e esgoto tratado é um serviço que custa caro. Que não pode haver desperdício e que quem não pagar a água, sofrerá o corte.

Artigo anteriorAlana
Próximo artigoPainel 14 10 2017
Fundada em 1981 por Tadeu Fernando Ligabue, a Gazeta de Vargem Grande circula semanalmente em Vargem Grande do Sul trazendo as principais notícias da cidade e região com credibilidade e respeito ao leitor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui