Painel 28 10 2017

0
605

Investindo

A Câmara aprovou um projeto de lei do prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) autorizando a compra de uma pá carregadeira nova por meio de um financiamento junto à Agência de Desenvolvimento do Estado de São Paulo (Desenvolve SP) em até R$ 400 mil. A taxa de juros é de 9,5% ao ano e o prazo total é de até 72 meses.

Aluguel

Atualmente, a prefeitura não possui nenhuma pá carregadeira em condições de uso. Assim, para realizar os serviços na cidade, é necessário alugar o equipamento e atualmente paga-se R$ 84,00 a hora. De acordo com o debatido na sessão extraordinária realizada no dia 24 para apreciar o projeto, a expectativa da prefeitura é licitar o maquinário em valor abaixo dos R$ 400 mil.

Vetou

O prefeito Amarildo enviou veto às emendas propostas pela Câmara com relação à lei de limpeza de terrenos. Os vereadores propuseram aumentar o prazo para o cidadão realizar as melhorias nas áreas após notificação. Com relação às queimadas, o projeto original determinava a autuação do proprietário do terreno atingido sem necessidade de notificação prévia. Com a emenda dos vereadores, o proprietário somente seria multado caso tivesse recebido uma notificação para a limpeza do imóvel.

Derrubaram

Os vereadores, por unanimidade, foram contra o veto e mantiveram o texto aprovado com as alterações propostas. O presidente da Casa, Wilsinho Fermoselli (DEM) não precisou votar nesta questão, mas afirmou que caso fosse necessário, também acompanharia os colegas.

Presença

Durante a segunda audiência pública para debater o orçamento municipal de 2018, no dia 24, foi registrada apenas a ausência do vereador Zé Luís da Prefeitura (PPS), todos os demais compareceram. É que na primeira reunião, apenas seis vereadores estiveram presentes. Apesar de não ser obrigatória a participação de todos, as ausências foram duramente criticadas pelo público.

Iniciativa

Aliás, o vereador Fernando Corretor (PRB) aproveitou a audiência e a boa presença do público, para dizer que os vereadores deveriam doar o subsídio integral de um mês para o Hospital de Caridade. E afirmou que independente dos demais, ele iria fazer a doação.

Burburinho

O pronunciamento de Fernando foi visto com ressalvas pelos colegas, que avaliaram que ele não poderia ter falado em nome de todos. Além do que, a atitude no momento e na maneira como foi anunciada,  gerou muitas interpretações.

Dinheiro bem vindo

Independentemente disso, o Hospital de Caridade atravessa momentos difíceis e a doação do vereador Fernando, e de seus colegas caso assim entendam, deverá ser bem aplicada pela entidade. Mas como disse o empresário Carlos Alberto de Oliveira Filho presente na audiência, quem pode doar dinheiro que o faça sem vaidade, quem não tem essa possibilidade, pode atuar como voluntário. As entidades e a população agradecem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui