Câmara aprova “empréstimo” de usina de asfalto

0
675
Grama poderá usar o equipamento de Vargem para processar 50 toneladas massa asfáltica, o que deve levar duas horas de serviço

A prefeitura de São Sebastião da Grama solicitou ao Executivo de Vargem Grande do Sul a permissão para vir até o almoxarifado municipal e processar na nova usina da cidade, massa asfáltica para ser usada em operação tapa-buracos no município vizinho. O pedido foi submetido à votação na Câmara Municipal na última terça-feira, dia 31 de outubro, e aprovado pela maioria dos vereadores, com voto contrário de três parlamentares: Serginho da Farmácia (PSDB), Bertoleti (PSDB) e Felipe Gadiani (PMDB). Apesar de ter votado a favor, o vereador Paulinho da Prefeitura (PSB) também manifestou discordar da iniciativa.

O projeto de lei de autoria do prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) permite o uso gratuito da usina à prefeitura de Grama, atualmente sob o cargo do médico Ricardo Ribeiro Florido (PSDB). De acordo com a justificativa enviada à Câmara, a capacidade de produção da usina de asfalto é maior que o consumo atual da prefeitura de Vargem, assim, não haverá prejuízo para o município.

A capacidade é de 40 toneladas de massa asfáltica por hora, trabalhando ininterruptamente. Será permitida a produção de 50 toneladas para a prefeitura de Grama, que trará o material necessário, como pedrisco, pó de pedra e emulsão asfáltica. A cidade vizinha ainda se responsabilizará pelo transporte da massa pronta e entrega de insumos. Pelo acordo será retirado uma certa quantidade do material por dia, no período da manhã.

Discussão

Durante o debate sobre o projeto, o vereador Paulinho observou que Vargem ficou muito tempo com a usina parada, lembrou que foi graças ao auxílio da Câmara, que adiantou devoluções das sobras do duodécimo, que a compra dos novos equipamentos fosse possível. Destacou ainda que o exemplo do Legislativo da cidade deveria ser seguido pela Câmara de Grama. “Eu não concordo. Vou votar favorável, mas deixo aqui minha posição de que não empreste a mais nenhum outro município”, disse.

Serginho da Farmácia afirmou estar preocupado caso a usina quebre enquanto estiver sendo usada para a produção de massa asfáltica para Grama. Ele questiona quem vai arcar com o prejuízo financeiro e apontou que enquanto o reparo estiver sendo feito, a população de Vargem será lesada, por ficar sem a produção da usina. Ressaltou ainda que a máquina terá desgaste neste processo. Para Serginho, a Câmara de Vargem deu um exemplo muito importante ao devolver antecipadamente o dinheiro para que a prefeitura de Vargem conseguisse comprar a usina e que Grama deveria seguir esse exemplo.

O vereador Alex Minelli (PRB) afirmou que de início, estranhou a proposta, mas ao buscar dados junto ao Executivo, foi informado que a prefeitura de Grama mantém parceria com Vargem e já emprestou alguns equipamentos para a cidade e ajudou na recuperação da estrada que liga os dois municípios. Observou ainda que para processar as 50 toneladas solicitadas, serão utilizadas apenas duas horas da usina e que o custo de energia elétrica para isso não ultrapassará R$ 11,00. Ele se mostrou favorável ao projeto, afirmando que parcerias como essa são bem-vindas e que em algum momento, Vargem poderá precisar de ajuda de Grama.

Bertoleti afirmou que era contra o projeto, uma vez que a cidade ainda tem muitos buracos a serem tampados, ressaltou ainda que se em Vargem os vereadores ajudaram a prefeitura a comprar a usina, em Grama, eles poderiam fazer o mesmo.

Felipe Gadiani também expressou seu voto contrário afirmando que no projeto não consta nenhuma garantia que caso haja problema com o equipamento, a prefeitura de Grama irá arcar com o prejuízo. Para o vereador, a proposta deveria ter essa contrapartida. “Vai gastar energia, tempo, funcionário da prefeitura. Vai deixar de fazer aqui para fazer para lá. A cidade está cheia de buracos”, observou. “Não acho ruim emprestar desde que a cidade estivesse uma maravilha, o que não está”, disse.

Canarinho ressaltou que a parceria e colaboração entre as prefeituras de Vargem e Grama sempre existiu, citando exemplo de máquinas de Grama atuando em construções em Vargem. Ressaltou que não vai atrapalhar o que é feito na cidade, pois a usina de asfalto tem uma capacidade maior do que a necessidade da cidade, ressaltando que Grama não usará o equipamento por tempo indeterminado. “E quem sabe eles não compram uma máquina que Vargem irá precisar depois?”, questionou.

Ao final, o projeto foi aprovado com os votos favoráveis de Laércio (PP), Canarinho, Fernando Corretor (PRB), Gabé (PTB), Paulinho (PSB), Alex, Zé Luís (PPS) e Célio Santa Maria (PSB). Guilherme Nicolau não estava presente e o presidente Wilsinho (DEM) não precisou votar. Foram contra Serginho, Bertoleti e Felipe.

Foto: Arquivo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui