Painel 11 de novembro de 2017

0
613

Contas aprovadas

Durante a sessão de vereadores de segunda-feira, dia 6, foi analisado o parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado às contas emitidas pela prefeitura no ano de 2015, na gestão de Celso Itaroti (PTB). Com votos de Alex Mineli (PRB), Bertoleti (PSDB), Gabé (PTB), Célio Santa Maria (PSB), Felipe Gadiani (PMDB), Fernando Corretor (PRB) e Wilsinho Fermoselli (DEM) as contas foram aprovadas. Foram pela rejeição os vereadores Serginho da Farmácia (PSDB), Canarinho (PSDB), Guilherme Nicolau (PMDB), Zé Luís da Prefeitura (PPS), Laércio Anacleto (PPS) e Paulinho da Prefeitura (PSB).

Mudou de opinião

Os vereadores que votaram pela rejeição das contas se surpreenderam com a mudança de opinião de Bertoleti, que até momentos antes da sessão afirmava que votaria contra o parecer. Aos colegas de Legislativo dizia que o fato de Itaroti ter pedido a sua cadeira na Legislatura de 2009 a 2012 ainda não tinha sido muito bem aceita por ele. Na época, Bertoleti tinha sido eleito pelo PTB e se filiou ao PSDB. Como o caso foi considerado infidelidade partidária, a Justiça eleitoral tirou a vaga de Bertoleti e outro vereador da coligação assumiu o posto. No entanto, Bertoleti deve ter superado esta crise.

Denúncias

Itaroti afirmou que recebeu muitas denúncias sobre irregularidades na gestão de Amarildo Duzi Moraes (PSDB). Algumas graves. No entanto, disse que não caberia a ele fiscalizar uma vez que esse é o trabalho do vereador. No entanto, cabe ressaltar que, como delegado de Polícia, como ex-prefeito e como cidadão vargengrandense Itaroti deveria sempre zelar pela cidade e denunciar nos meios legais aquilo que tivesse provas. No mínimo, procurar o Ministério Público com suas informações para que este órgão inicie uma investigação. Jogar ao vento uma alegação dessas é querer semear tempestade.

Barros Munhoz

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) acatou um recurso do deputado estadual Barros Munhoz e reverteu a decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo que havia cassado o mandato do parlamentar. O deputado foi condenado em primeira instância em junho de 2016 acusado de desequilíbrio eleitoral, por ter supostamente sido beneficiado por uma série de reportagens publicadas por jornais de Itapira e Ituverava. Com a sentença favorável junto ao TSE, Barros Munhoz, que havia se tornado inelegível com a decisão da primeira instância, poderá buscar a reeleição em 2018.

Pagamento no dia

Depois de ter comunicado a possibilidade do atraso do pagamento dos servidores públicos municipais em novembro e dezembro, a prefeitura informou em sua página na Internet que os salários seriam disponibilizados no dia 8. Na segunda-feira, dia 6, Edson Bovo, presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais se reuniu com Amarildo para tratar de diversos assuntos. Na ocasião, o prefeito informou que iria quitar a folha no quinto dia útil do mês, apesar da previsão inicial negativa. Amarildo informou que este ano a prefeitura pagou cerca de R$ 4,5 milhões referentes à folha de pagamento do ano passado, o que prejudicou o pagamento em dia dos servidores. No entanto ressaltou que o pagamento da folha é prioridade absoluta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui