Dívida do Conderg está em cerca de R$ 14 milhões

0
584
Hospital sediado em Divinolândia atende pacientes de toda a região. Foto: Reprodução Eptv

Pacientes enfrentam fila de mais de 2 mil pessoas para exame de tomografia ocular e cirurgia de catarata

Com uma dívida na casa dos R$ 14 milhões, o Hospital do Consórcio de Desenvolvimento da Região de São João da Boa Vista, com sede em Divinolândia, vê demanda por exames e procedimentos aumentar. São mais de 2 mil pacientes que aguardam uma tomografia ocular e outros 2,4 mil que esperam por uma cirurgia de catarata. O prefeito Amarildo Duzi Moares (PSDB), que é o atual presidente do Conderg, falou à Gazeta sobre a grave crise financeira da entidade.
De acordo com Amarildo, a situação do Conderg é preocupante. “Quando assumimos, a dívida era de R$ 15,3 milhões e não tínhamos a Certidão Negativa de Débito (CND), em consequência não conseguimos firmar convênio com a Secretaria de Saúde, inclusive deixou de receber o Pro Santa Casa, que é um repasse de R$ 36 mil por mês feito pela Secretaria de Saúde do Estado”, disse.
“Em meados de 2017, recuperamos a CND, encaminhamos as documentações para a secretaria de saúde para assinatura do Pro Santa Casa. Atualmente, a situação ainda é crítica, mas reduzimos a dívida para cerca de R$ 14 milhões. Ainda precisamos adequar alguns aspectos como por exemplo o Samu, que gera um grande deficit às contas do Conderg”, afirmou.
Segundo o presidente do Conderg, a dívida gerada se deve a diversos fatores que ao longo dos anos atingiu o Hospital. Ele ressaltou que a entidade atende 100% de seus pacientes pelo Sistema Único de Saúde e com a tabela de repasses do Ministério da Saúde para procedimentos realizados não ter reajuste nos últimos 15 anos, isso provocou um desequilíbrio nas contas. Conforme informou Amarildo, a maior parte da dívida do Conderg está relacionada com os encargos patronais.

Espera

Com a crise financeira e a falta de recursos, o Conderg viu o número de procedimentos ser reduzido. As maiores filas de espera são de cirurgia de catarata, com 2 mil pacientes aproximadamente aguardando pela operação e de 2.343 pacientes para fazer o exame no Tomógrafo Ocular (OCT), que dá o diagnóstico de doenças da retina e glaucoma. “No dia 19 de janeiro, recebemos no Conderg o deputado estadual Barros Munhoz (PSDB). Aproveitando sua vinda, fiz um oficio assinado por todos os prefeitos da nossa região solicitando o OCT e o deputado se comprometeu a fazer uma emenda para que recebêssemos o recurso ou o equipamento do governo de São Paulo”, informou Amarildo.

Ações

O presidente do Conderg comentou ainda as medidas adotadas para solucionar o problema. “Em conjunto com meus colegas prefeitos e vereadores do Conselho Fiscal, adotamos uma conduta de austeridade, revendo contratos, renegociando dívidas e com isso obtivemos uma economia de R$ 900 mil. Solicitamos um Refis à Receita Federal e em programas abertos para pagar dívidas sem juros e multas. Ainda continuamos a nos dedicar a isso”, comentou.
“A população da região e principalmente de Divinolândia abraçou a causa e fizeram leilão de gado, nesse ano de 2018 haverá um em março, ação entre amigos, almoço beneficente, sendo que um deles para implantação do telemarketing já em funcionamento. A ONG DiqBem realizará eventos onde 50% do valor arrecadado será doado ao hospital além de um grande número de voluntários que ajudam nos eventos”, apontou Amarildo. “Com a ajuda de Deus e a unidade das pessoas pelo bem comum, somado a muito trabalho, venceremos essa batalha”, disse.

Hospital sediado em Divinolândia atende pacientes de toda a região. Foto: Reprodução Eptv

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui