Vereadores questionam a não realização de ligações de água

0
1402
Valdir mostra a conta de água que divide com seu vizinho. Foto: Reportagem

Os vereadores Célio Santa Maria e Paulo César da Costa, ambos do PSB, questionaram a prefeitura a respeito de um problema recorrente de moradores de vários bairros da cidade: a impossibilidade de instalar mais de um hidrômetro em um imóvel.
O requerimento dos vereadores com o questionamento foi aprovado por unanimidade na Câmara. De acordo com o pedido de informações, o problema perdura há mais de 15 anos, mesmo que exista a Lei Federal nº 11.445 de 5 de janeiro de 2007 e a Lei nº 13.312 de 12 de julho de 2016, que autoriza as ligações individuais em cada residência.
Célio lembrou que em muitos terrenos, famílias construíram mais de uma casa e pedem a instalação de um hidrômetro por imóvel, para facilitar o pagamento do consumo e evitar desavenças. Assim, questionou o prefeito sobre a existência de algum Decreto Municipal ou Lei Municipal que proíba as novas ligações.
O requerimento também pede informações sobre os motivos pelos quais o Departamento não pode fazer as ligações em imóveis antigos da cidade que possuem residências construídas no fundo e relatou que o problema ocorre há mais de 30 anos em bairros como Vila Polar, Vila Velha, Santana, Santa Terezinha, Pacaembu e Centro.
Moradores do Jardim Ferri reclamaram à Gazeta de Vargem Grande sobre a falta de resposta da Prefeitura a respeito dos hidrômetros. Eles comentaram que a maioria dos que residem no bairro apoiam a ideia de colocar um hidrômetro para cada casa construída no mesmo terreno, mas falaram que quando procuraram a Prefeitura para pedir a nova ligação de água, foram informados de que o SAE não fazia essa instalação.
Valdir Tujeira mora há seis anos no Jardim Ferri e divide a conta de água com um vizinho. Ele relatou que a última fatura da conta foi de R$ 171,00, mas que já chegou a pagar R$ 250,00. O morador falou que para ele seria melhor que cada um tivesse a sua conta de água.Aparecido José de Lima é outro morador do bairro e divide a conta de água com seu genro, Júlio Ribeiro. Os vizinhos revezam mês a mês o pagamento da fatura, porém, ambos preferem que cada um tenha a sua conta, pois assim sairia mais barato e também ajudaria na organização.
Osmar Gregório da Costa, que mora no bairro há 11 anos, concorda que o melhor é cada um ter a sua conta, pois assim dá para controlar o consumo e evitar o desperdício. Osmar divide a conta com seu vizinho todos os meses.
Sedenildo Sierra Maia mora no Jardim Ferri há oito anos e falou que costuma dividir a conta com o vizinho e chega a pagar cerca de R$ 80 reais todo mês. “A situação é muito difícil. Não é todo mês que dá certo de pagar em dia e quando precisa fazer um reparo em uma das casas, as duas casas ficam sem água e prejudica todo mundo”, falou.
Outro morador do bairro Jardim Ferri, Fábio José da Silva, contou que paga a conta de água das duas casas sozinho para não dar confusão e que se cada vizinho tivesse um hidrômetro, daria para controlar melhor os gastos. Nívio Pereira da Silva mora com sua esposa em uma casa e divide a conta de água com outra família de cinco pessoas e relatou que há muita confusão e caso as contas fossem individuais, não haveria mais problemas. A Gazeta de Vargem questionou a prefeitura sobre o pedido dos moradores, mas até o fechamento da edição, não havia recebido as respostas.

Valdir mostra a conta de água que divide com seu vizinho. Foto: Reportagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui