Vereadores cobram informações sobre concessão da água

0
53

A possibilidade da prefeitura realizar a concessão do serviço de tratamento e distribuição de água e esgoto em Vargem Grande do Sul, conforme manchete da Gazeta da edição de 24 de março, levou alguns vereadores a cobrarem mais informações do prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB). Além da crítica à própria concessão, alguns membros da Câmara observaram que a discussão da proposta deveria ter se iniciado com o Legislativo.
Esses vereadores criticaram o fato do prefeito ter apresentado o estudo realizado sobre a situação do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAE) a grupos como o Rotary, Maçonaria e ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano (CMDU), antes de ter debatido o tema com a Câmara. Vale lembrar que na sessão de 19 de março, o presidente da Casa, Fernando Corretor (PTB), leu em plenário o convite feito por Luciano Tapi, presidente do CMDU a todos os vereadores para participarem da reunião na qual o prefeito expôs os dados do estudo sobre o SAE e a viabilidade ou não da concessão.
Também cobraram de Amarildo informações sobre a falta do produto Ortopolifosfato. O questionamento foi levantado por Paulinho da Prefeitura (PSB). Em requerimento, ele pergunta quando foi a última vez que o município adquiriu este composto, que segundo ele, é utilizado para combater os problemas provocados pela corrosão dos encanamentos mais antigos da cidade.
Sem deixar claro qual seria sua suspeita, Paulinho disse que recebeu informações de que tal produto não é adquirido há muito tempo. Os vereadores então passaram a debater a questão. Paulinho chegou inclusive a sugerir a troca do comando do SAE, que hoje tem como superintendente Edson Sbardelini.
Serginho da Farmácia (PSDB) afirmou ter ficado magoado por ter sabido do início do estudo de uma possível concessão por meio das páginas da Gazeta e por discussões em grupos da cidade.
Wilsinho Fermoselli (DEM) lembrou que em Casa Branca foi pedido até a instauração de uma Comissão Especial de Inquérito para investigar o tema, apontando que houve queda na qualidade e aumento no preço da água. Ele disse ainda que já foi procurado por moradores criticando a possibilidade da concessão.
Alex Mineli (PRB) voltou a lembrar que o produto Ortopolifosfato é essencial para o tratamento da água e disse esperar que a ausência da compra de tal composto não seja intencional. Durante a palavra livre, Célio Santa Maria (PSB) externou sua indignação com o fato dos vereadores não terem sido incluídos no início dessas discussões.
Ao final, Serginho sugeriu a criação de uma comissão de vereadores para ir até o SAE e verificar o que está ocorrendo neste sentido.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui