Retomada de circuito de câmeras no Centro é discutida

0
709
Câmera que se encontrava no semáforo da Av. Regato foi danificada recentemente. Foto: Reportagem

Prevenir a incidência de crimes e auxiliar as investigações em caso de ocorrências nas principais ruas da cidade. Com esses objetivos foram instaladas câmeras de monitoramento em alguns pontos da região central de Vargem Grande do Sul há alguns anos, na primeira gestão de Amarildo Duzi Moraes (PSDB), entre 2009 e 2012. No entanto, o sistema já não está operando há muito tempo. A Câmara, comerciantes e órgãos de segurança pública da cidade pedem a retomada do circuito de monitoramento, mas a Gazeta não obteve da prefeitura qualquer posição a respeito de novos investimentos nesse setor.
As filmagens de câmeras de monitoramento foram fundamentais para que a Polícia Civil de Vargem identificasse e prendesse os envolvidos na tentativa de roubo à lotérica da rua Quinzinho Otávio há algumas semanas. Com as imagens foi possível verificar características dos suspeitos e detalhes das placas dos veículos empregados no crime.
Mas essas câmeras eram de propriedades particulares. Se houvesse imagens que cobrissem as ruas e praças da área central, o trabalho de investigação de crimes na cidade teria uma ajuda e tanto. Além de coibir a prática de delitos, uma vez que pessoas com más intenções iriam pensar duas vezes antes de cometer qualquer crime em locais com o sistema de segurança, conforme avaliou o comandante da Polícia Militar de Vargem, Marcos Lasmar. “A PM vê este tipo de projeto como essencial ao policiamento”, afirmou.
Ele destacou que existem sistemas de câmeras que conseguem identificar até mesmo a questão de documentação do veículo, ao analisar suas placas e confrontar com o sistema de banco de dados disponível. O vereador Cabo Laércio (PPS) já havia solicitado informações do Executivo sobre a possibilidade de retomar o sistema de monitoramento na cidade. O vereador Serginho (PSDB) também já cobrou o mesmo projeto, lembrando que se houvesse o circuito de câmeras na Rua do Comércio e ao redor da Praça Capitão João Pinto Fontão, a polícia teria muito mais subsídios para investigar, por exemplo, os furtos nos caixas eletrônicos do Santander ocorridos após a explosão desses equipamentos na madrugada do dia 30 de março.
Apesar de ter cobrado da prefeitura no início do ano e reiterado o pedido de informações na última semana informações a respeito da retomada do serviço de monitoramento na cidade, a Gazeta não recebeu nenhuma resposta por parte do Executivo.

Comerciantes pedem volta do sistema

O comércio de Vargem Grande do Sul também se mostrou interessado em retomar o sistema de monitoramento na cidade. Inclusive, alguns lojistas afirmaram que poderiam contribuir com a aquisição de equipamentos.
Procurado pela reportagem da Gazeta, Gustavo Gomes, da loja Jurandir Modas, é favorável à instalação do circuito de câmeras. Ele observou que Vargem é vulnerável à ação criminosa, pois apresenta 18 entradas e saídas da cidade, portanto, um número expressivo de rotas de fugas. Nenhuma delas com monitoramento. Ele lembrou ainda que a responsabilidade pela segurança é do poder público municipal. O comerciante disse que da primeira vez, apoiou a administração com recursos para a aquisição dos equipamentos, que atualmente estão nos pontos, mas que não estão operantes. “Eles pedem pra gente ajudar, a gente ajuda, aí coloca a câmera e depois a desativa. Todo dinheiro que investimos ficou parado, então eu não investiria dinheiro de novo, porque eu não sei se será usado só por mais três meses e depois desativaria de novo. Eu apoiaria de qualquer outra maneira, porque eu realmente acho que é muito necessário, principalmente pra nossa segurança”, disse.
No entanto, ele ponderou que caso um projeto de segurança, que envolva não somente a região central, mas essas entradas e saídas da cidade, a retomada do circuito existente, com a adesão de mais empresários, ganhasse força, ele também poderia contribuir financeiramente, junto dos demais lojistas.
Soraya Fonseca, da Frontal Magazine, comentou que não sabia que a área central um dia já teve o sistema de monitoramento. Ela comentou que caso haja uma iniciativa nesse sentido, aprovaria. “Eu acho importante ter sim, apoiaria a volta e que tenha alguém que fique lá olhando. Em semana de pagamento, por exemplo, acontece alguns roubos aqui e ninguém fica lá pra ver”, comentou.
Ela também avaliou que seria útil também na questão de acidentes de trânsito. “Uma vez, um carro bateu no outro que estava estacionado e aí foram pedir as imagens pra prefeitura e não tinha. No caso de acidente é bom pra ver o que aconteceu realmente. Já bateram no meu carro enquanto eu trabalhava e eu não sei quem foi. No caso de assalto também. É uma segurança necessária”, afirmou.

Câmera que se encontrava no semáforo da Av. Regato foi danificada recentemente. Foto: Reportagem

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui