Pesquisa constata que paulistas estão se casando menos

0
784
No estado, número de casamentos caiu, mas em Vargem, se manteve. Foto: Reprodução Internet

A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), abordou a evolução das estatísticas de casamentos no Estado de São Paulo, em 2016, com base nas informações dos Cartórios de Registro Civil, no boletim SP Demográfico n°2, divulgado em abril de 2018. O ano foi escolhido por ser um ano concluído em todos os Cartórios do Estado de São Paulo.
O declínio nos casamentos legais entre 2015 e 2016 é visualmente notável, visto que em 2016, foram registrados 296.546 casamentos, 8.845 a menos que o verificado no ano anterior, com queda de quase 3% no volume, sendo 2.094 de pessoas do mesmo sexo.
Em Vargem Grande do Sul, com base nos dados do Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais, foi verificado que até o ano passado, a pesquisa não reflete os mesmos índices no município. Em 2016, o número de casamentos registrados foi de 245, e em 2017, o número foi de 251. Porém, o declínio de casamentos se torna visível no ano de 2018, comparado ao mesmo período do ano passado. Em março de 2017, foram registrados 14 casamentos, enquanto no mesmo mês desse ano foram registrados apenas 8.
As uniões homoafetivas adquiriram status jurídico semelhante ao da união entre homem e mulher, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em 2011, e por regulamentação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em 2013, quando ficou estabelecido que todos os cartórios do país passariam a fazer o registro regularmente.
Em relação a 2013, quando foi registrado pela primeira vez, o casamento entre pessoas de mesmo sexo apresentou crescimento de 6,5%. Em Vargem Grande do Sul, só foram realizados dois casamentos nessa condição, desde a regulamentação.
Outro ponto que foi analisado pela pesquisa é a idade de início da vida conjugal, o resultado final foi de que as pessoas estão se casando mais tarde, com uma média que ultrapasse os 30 anos em ambos os sexos. A justificativa para tal comportamento decorre do maior tempo dedicado aos estudos e à busca pela inserção no mercado de trabalho e estabilidade financeira, adiando o momento da união.
A ocorrência mais frequente era de que os homens se casavam com mulheres mais jovens, e nos últimos anos, ficou constatado o aumento das uniões de homens mais novos que suas mulheres, que foi de 21% para 26% dos eventos, com uma diferença de idade de 5 anos.
Quanto ao dia da semana, sábado foi eleito o dia preferido com metade das uniões realizadas, enquanto o domingo foi o dia de menos incidência, com menos de 1% do resultado total.

No estado, número de casamentos caiu, mas em Vargem, se manteve. Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui