Visando geração de emprego, prefeitura foca no fomento do Distrito Industrial

0
1439
Tadeu e Amarildo durante reunião com representantes da Felgran. Foto: Arquivo

O Dia do Trabalhador é celebrado nesta terça-feira, dia 1º de maio. A retomada da atividade econômica após meses de crise ainda não foi sentida por milhares de pessoas que continuam sem emprego no país. De acordo com uma pesquisa divulgada no dia 27 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em todo país, o número de desemprego cresceu 13% no primeiro trimestre de 2018, quando um total de 13,7 milhões de pessoas procuraram uma vaga no período.
Apesar da pesquisa não ter abrangido municípios de menor porte, como Vargem Grande do Sul, é notório que há muita gente em busca de empregos na cidade. Assim, a Gazeta de Vargem buscou junto à prefeitura, quais são as ações desenvolvida pela atual administração para a geração de novos postos de trabalho no município.
De acordo com o Departamento de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho (DET), o Distrito Industrial José Aparecido da Fonseca-Tota, ainda concentra a maior atenção da administração no sentido de gerar mais empregos e renda no município. A principal empresa que recebeu lotes para se instalar no distrito, a Ric Comércio Atacadista de Algodão Ltda, tem previsão de gerar 60 empregos quando começar a operar e pode evoluir para até 100 empregos quando estiver trabalhando com sua capacidade máxima. Ela vai transformar plumas de algodão e poliéster em fios têxteis para atender a indústria têxtil brasileira.
De acordo com o DET, se trata de um projeto grande, que envolve investimentos de mais de R$ 30 milhões entre a compra de maquinários e a construção de um galpão de 5.000m2 e que, segundo a lei aprovada pela Câmara Municipal em julho de 2017, tem dois anos para construir o prédio e iniciar as operações em Vargem Grande do Sul. A previsão é que em breve iniciem a construção do galpão.
Também estão em estudos adiantados junto à Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI), a solicitação de um terreno de 3 mil metros quadrados para a empresa do ramo de transporte rodoviário de cargas fracionadas, com a finalidade de construir um barracão de 750m2 e gerar cerca de 20 empregos diretos para início dos trabalhos, podendo ampliar a medida de sua expansão.
Outra empresa de fora que solicitou terrenos no distrito industrial e está sob análise da CDI, também pretende construir em uma área de 2 mil metros quadrados um galpão de 800 metros quadrados e previsão de empregar 25 funcionários na fase de operação, sendo que inicialmente vai gerar 10 empregos na fase de implantação. Ela é especializada em recebimento, armazenagem, distribuição e transporte de cargas em geral. Também solicitou estudos para doação de um terreno de mil metros quadrados no distrito industrial, outra empresa que poderá gerar mais de 10 empregos no início de seus trabalhos.

Remanejamento

Além destas novas empresas, o Departamento de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho através da criação da Lei Municipal nº 4.132/17, destinou os lotes que pertenciam a Rui Barbosa de Carvalho & Filho Ltda (Newflex), cuja empresa estava inoperante, a um novo proprietário, o Ideal Supermercados, em cujo galpão irá funcionar um centro de distribuição e comercialização de mercadorias no atacado, gerando inicialmente 10 empregos diretos, além de outros indiretos. O mesmo ocorreu com os lotes que pertenciam à Naliate & Prudente Laticínios Ltda e cuja empresa estava parada há alguns anos no distrito e foram doados à Cerealista Felgran Ltda, que pretende construir um novo galpão no local onde irá embalar açúcar para vender no atacado, gerando em torno de 15 empregos inicialmente.
Ainda estão em estudos junto ao departamento, com base na mesma lei que permite a troca de empreendedores junto às empresas que por causa da crise econômica não puderam terminar seus projetos no distrito industrial, duas empresas cujos terrenos devem ser doados a novas empresas que devem gerar por volta de 25 novos empregos nesta nova fase de operação.

Obras

Atualmente estão em fase de término de construção de prédio para início de operação e devem certamente gerar mais empregos, as empresas Ecoquímica Ind. e Com. Revestimento Ltda; Vinícius de Souza Amadio Me (empresa de produtos químicos); AD2000 Impermeabilizantes e Texturas Eireli-EPP e Márcia Cristina Melchiori Me, cujo empreendimento está ligado ao beneficiamento de batata e cebola.
“A concretizar tudo que estamos trabalhando, acreditamos que vamos gerar cera de 150 novos empregos diretos, sem falar nos empregos indiretos e que vai movimentar a economia do município numa época dificílima que estamos vivendo na economia brasileira”, afirmou o diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho, Tadeu Fernando Ligabue.

Apoio e formação

Tadeu citou também os trabalhos junto ao Banco do Povo, que oferece empréstimos a juros subsidiados para o pequeno e micro empreendedor, a instalação junto com a Associação Comercial e Industrial de Vargem, do Posto do Sebrae Aqui, que vai ajudar a impulsionar as pequenas e micro empresas da cidade, consequentemente gerando mais empregos no município, dentre outras atividades que visam dar suporte ao trabalhador vargengrandense, como os desenvolvidos pelo Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT), que atende em torno de 450 trabalhadores por mês.
Neste sentido, lembrou os cursos que ajudam a preparar o trabalhador, como o Time do Primeiro Emprego, cujo objetivo é inserir o trabalhador no mercado de trabalho, seja por meio de um emprego formal ou trabalhando por conta própria.

Desafios

Com relação às dificuldades encontradas no município para atração de novas empresas, o diretor do departamento disse que o maior entrave continua sendo os graves problemas econômicos do país e as incertezas políticas deste ano, um ano de eleições presidenciais, de governadores, senadores e deputados federais, as gravíssimas denúncias de corrupção em várias esferas de poderes que inibem os investidores e que em maior ou menor grau, acabam também atingindo Vargem Grande do Sul.
Finalizando, o diretor Tadeu Ligabue falou da recuperação do poder de investimento da prefeitura municipal que o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) vem empreendendo frente à administração e cujos investimentos para 2018 passam de R$ 9 milhões conseguidos junto ao governo estadual e federal. Só para citar, estão sendo construídas duas novas creches no Jardim Ferri, Jardim Paraíso e em breve a do Jardim Santo Expedito, gerando dezenas de empregos na cidade.
Também a reforma da escola Mário Beni deverá contemplar mão de obra da cidade. “Estes R$ 9 milhões certamente vai ajudar a impulsionar a contratação de novos empregos no município, com a prefeitura comprando mais, pagando em dia e refletindo positivamente no desenvolvimento da cidade”, concluiu o diretor.

Empresa RIC já deu início às construções de seu galpão no Distrito Industrial. Foto: Arquivo
Tadeu e Amarildo durante reunião com representantes da Felgran. Foto: Arquivo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui