Grupo se mobiliza por transmissão ao vivo das sessões da Câmara

0
749
Grupo se mobiliza por transmissão ao vivo das sessões da Câmara. Foto: Divulgação

Com abaixo assinado, movimento pede que as reuniões sejam transmitidas pela Internet; presidente da Câmara explica que orçamento está direcionado a auxiliar o Executivo
Há algumas semanas, a movimentação de pessoas pedindo que as sessões do Legislativo de Vargem Grande do Sul sejam transmitidas ao vivo pela Internet tem ganhado mais adeptos. Um grupo de moradores inclusive iniciou uma mobilização que conta com um abaixo assinado para sensibilizar a Câmara para que as sessões passem a ser disponibilizadas em plataformas como o Facebook e o Youtube.
Apesar de não ser uma solicitação recente, o movimento ganhou muitos adeptos e tem gerado um intenso debate sobre o caso. A Gazeta de Vargem Grande entrevistou alguns dos internautas que organizaram o abaixo assinado e também o presidente do Legislativo, o vereador Fernando Corretor (PTB), para detalhar o assunto. A reportagem também fez um levantamento entre as Câmaras da região, para saber como está a transmissão das sessões nesses municípios. Leia mais na página 5.
De acordo com o explicado ao jornal, entre as primeiras pessoas que iniciaram a organização da coleta das assinaturas estão Leandro Benaglia, Angelino Jr., Angel Carril, Odair Santos, João Paulo Zan e Leandro Palaoro. Segundo eles, estes são os primeiros que iniciaram o processo do abaixo-assinado, mas muitas outras dezenas de pessoas estão com as listas do abaixo-assinado para colher as assinaturas.
Segundo informaram, a ideia surgiu após acompanhar algumas postagens no grupo de discussão do Facebook “Fala Vargem”, onde pessoas relatavam ter ouvido o discurso do presidente da Câmara, o vereador Fernando, dizendo que as transmissões das sessões não seriam feitas enquanto ele estivesse como presidente da Casa. Para os participantes da mobilização, uma fala autoritária sobre uma questão tão importante não deveria ser dita assim, sem nem ao menos consultar o povo que o elegeu.
Assim, eles formaram um grupo sem vínculo partidário partido e totalmente independente, com voluntários, “que irá conversar com a população levando junto o abaixo-assinado para mostrar a vontade dos cidadãos à Câmara Municipal, nossa Casa de Leis, tudo com clareza, dada a importância de se fazer tal ato de transparência para a população”, relataram.
Segundo eles, o objetivo da mobilização é simples. “Mostrar aos vereadores a vontade da população vargengrandense em relação à transmissão das sessões da Câmara Municipal, seja via site ou rede social (de preferência), onde a Câmara poderá ter um contato direto com a população e mostrar assim todo trabalho desenvolvido pelos vereadores e seus funcionários. Dizer também que é possível se fazer isto de uma maneira barata (menos de R$ 30 mil como foi anunciado), com qualidade em som e imagem, só ficando a cargo de eleger alguém da Casa para monitorar a transmissão via software em computador”, defenderam.
Os interessados em apoiar a iniciativa poderão acompanhar o trabalho do grupo pela página do facebook (facebook.com/camaravgsaovivo) ou usando a marcação #camaravgsaovivo, podendo assim, localizar as postagens e se inteirar dos locais que em breve estarão o abaixo-assinado.
“Lembrando que esta é uma manifestação pacífica criada por pessoas de bem, para colocar em pauta uma importante questão que vimos ser deixada de lado através das palavras do presidente da Câmara. Nossa intenção é mostrar simplesmente que é possível e é fácil. E além do mais, é o que o povo quer”, ressaltaram.
A Gazeta ainda perguntou ao grupo se os membros costumam ir às sessões do Legislativo. “A maioria dos integrantes do grupo já marcou presença em várias oportunidades na Câmara Municipal. Claro que não assiduamente como alguns conseguem. Sempre que possível estou acompanhando o trabalho dos vereadores por quaisquer que sejam as mídias anunciantes, citamos as que mais utilizamos (Facebook), dado como exemplo importante de se ter acesso via rede social às sessões. Não somente levando em consideração o meu caso, mas lembrando que milhares de pessoas na cidade trabalham até depois das 18h às segundas-feiras e não tem disponibilidade para ir a sessão, onde não pode se quer abrir a boca ou fazer uma foto com o celular do que se passa por lá”, observou Angelino Júnior.
“É importante frisar que o Facebook hoje é a mídia mais acessada pelos internautas, quase que o dia todo estão acompanhando as notícias e postagens. Assim, todo e qualquer munícipe teria acesso fácil ao conteúdo dos trabalhos apresentados na Câmara Municipal. Tem de se lembrar que estamos no século XXI, Universo da tecnologia avançada e era digital, então que possam pensar melhor assim e não andar pra trás, mas sim seguir os exemplos de nossas cidades vizinhas nesta questão, como São João, Aguaí, Casa Branca, São José do Rio Pardo”, avaliou.
Para finalizar, os membros do grupo citaram uma enquete criada pelo integrante Leandro Benaglia no grupo “Fala Vargem” na qual mais de 600 pessoas votaram favoráveis à transmissão via redes sociais, reforçando que as cidades citadas todas transmitem pelo Facebook ou Youtube, não havendo necessidade de se criar um site para tal, ato este que já gera economia ao tal orçamento já feito.

Leia mais:

Câmara explica que orçamento será aplicado em ajuda ao Executivo

Na região, sessões já são transmitidas

Grupo se mobiliza por transmissão
ao vivo das sessões da Câmara. Foto: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui