Cooperativa fará coleta de lixo reciclável

0
415
Vereadores aprovaram por unanimidade projeto sobre a Cooperativa Cata Vida. Foto: Reportagem

A Câmara Municipal de Vargem Grande do Sul aprovou na última sessão, dia 20, o Projeto de Lei nº 92/18 autorizando que o município conceda o auxílio aluguel para a instalação de uma nova sede da Cooperativa de Trabalho de Reciclagem Grupo Ambiental “Cata Vida”, que visa a coleta, o armazenamento, o processamento e a comercialização de materiais reaproveitáveis.

Atualmente, cinco mulheres realizam reciclagem no galpão existente no Aterro Sanitário. O serviço é realizado remexendo o lixo nas trincheiras do Aterro ou próximo a elas, contrariando as normas da Cetesb.

Assim, Vargem voltará a contar com um serviço de coleta de recicláveis por uma cooperativa, que foi paralisado há alguns anos, depois que a entidade existente suspendeu suas atividades. A retomada da coleta seletiva é uma das reivindicações do vereador Wilsinho Fermoselli (DEM), que tem cobrado há muito tempo a volta do serviço.

Durante a sessão do dia 20, ele agradeceu e parabenizou o Executivo pela retomada da cooperativa, que contará com apoio da prefeitura neste início das atividades. “Este projeto vem de encontro aos requerimentos que temos apresentado há algum tempo”, disse.

Outro vereador que elogiou a iniciativa foi Canarinho (PSDB) que lembrou as visitas feitas junto a cooperativas em Itu e Poços de Caldas. Para ele, o projeto tem tudo para dar certo e observou que além da melhoria das condições de trabalho dos integrantes da cooperativa, a medida vai auxiliar também na duração das trincheiras do aterro, uma vez que o lixo reciclável será triado e não será mais despejado por lá.

Já Zé Luís da Prefeitura (PPS) lembrou que todos os equipamentos que serão utilizados no serviço foram adquiridos com recursos do Fehidro. Por sua vez, Alex Mineli (PRB) destacou também o impacto social do projeto, que vai beneficiar as famílias das integrantes da cooperativa.

Objetivo

A proposta do projeto é que se desenvolva um trabalho de conscientização junto à população para que a separação aconteça nas residências, a coleta seja feita em dias alternados e que o processamento seja realizado em um galpão na cidade, de maneira que o serviço se torne mais rentável, menos insalubre e seja feito em maior escala.

O valor mensal máximo do imóvel será de R$ 3 mil. A locação será feita pela Cooperativa e o auxílio será cessado caso a Cooperativa deixar de atender aos critérios estabelecidos, caso aconteça uma sublocação do imóvel ou que seja prestada declaração ou informação falsa à prefeitura.

Com um intenso trabalho de conscientização, o volume do lixo que não será destinado às trincheiras e sim reciclado, resultará no aumento da vida útil das trincheiras do Aterro, minimizando os problemas causados à natureza e otimizando o Aterro Sanitário, para melhor preservação ambiental.

Além do auxílio para a locação do imóvel, a prefeitura irá ceder, também, o uso de uma caminhonete à Cooperativa, que tem como responsabilidade conservar o bem que lhe foi cedido, obter um motorista que seja devidamente habilitado, arcar com as despesas do combustível e a colocação de adesivos indicativos no veículo. É de responsabilidade da prefeitura, arcar com os custos de manutenção e despesas de licenciamento.

A cooperativa

De acordo com a prefeitura, ainda está sendo analisado o imóvel a ser alugado, bem como aguardando o registro do estatuto da cooperativa para prosseguir com o início das atividades.

A coleta será uma ação em conjunto com a Diretoria da Cooperativa, onde o Departamento de Meio Ambiente apoiará a ação. Ainda será definido a quantidade de vezes por semana da coleta.

De acordo com o Departamento de Meio Ambiente, a população pode ajudar fazendo a separação correta dos materiais que podem ser reciclados encaminhando os mesmos nos dias a definir, entrando em contato direto com a cooperativa, que é presidida por Zelia Camareli.

O diretor de Meio Ambiente, Marcelo Cossi, destacou o trabalho da Cata Vida. “A cooperativa irá ajudar o município de Vargem Grande do Sul na preservação ambiental, reciclando materiais que poderiam causar algum tipo de poluição, outro fator importante, e que esta ação de reciclagem aumenta a vida útil do nosso aterro sanitário, também tem uma grande importância social”, observou.

Vereadores aprovaram por unanimidade projeto sobre a Cooperativa Cata Vida. Foto: Reportagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui