Candidatos visitaram Vargem

0
434
Candidata Carol com empresários na ACI

Faltando poucos dias para as Eleições 2018, muitos candidatos continuam visitando Vargem Grande do Sul em busca de apoiadores. Durante a última semana, representantes do partido Novo e também do PPS fizeram campanha em Vargem Grande do Sul.

Vinícius Poit

Vinícius Poit (Novo) está concorrendo a uma vaga de deputado federal. Ele também esteve na cidade no dia 23 de setembro. Em entrevista à Gazeta, ele comentou sobre os desafios da campanha do Novo, legenda que está disputando sua primeira eleição.

“A gente agradece muito a oportunidade de falar, porque o Novo não usa dinheiro público e como não tem tempo de televisão, como não está fazendo coligação este ano, toda oportunidade que a gente tem para falar e expor nossas ideias vale ouro, é muito importante”, disse.

Ele comentou sobre as dificuldades de captação de recursos. “Tivemos uma reforma política que privilegiou quem está lá, uma reforma política que diminuiu o tempo de campanha de 90 para 45 dias, que aumentou o gasto de dinheiro público com campanha. Então para a gente que não usa é muito mais difícil, ainda falar com uma população que está descrente, que não está afim de doar para política neste momento. Então você tem um esforço redobrado para convencer as pessoas, para ganhar o voto de confiança para ter essa doação”, observou.

“Mas graças a Deus eu e o Daniel José, candidato a deputado estadual, a gente usou muito as redes sociais e estamos trabalhando há algum tempo já. Isso nos deu a condição de alcançar um grande número de pessoas, de fazer vaquinha on-line. Foi muito difícil, mas a gente conseguiu conquistar as pessoas, que ainda tem esperança na política”, ponderou

Vinícius afirmou que para esta eleição, o Novo pretende focar no Legislativo. “A gente começou lá atrás, vamos focar no Legislativo, mas de repente o nome do João Amoêdo começou a crescer também. E já declaro o meu voto de cabo a rabo no Novo aqui”, disse. “Acredito que no mínimo um deputado federal e dois estaduais a gente elege no estado de São Paulo. Mas com o volume de campanha que o negócio esta tomando e o Novo sendo conhecido dá pra gente chegar em dois federais e três estaduais no estado de São Paulo”, avaliou.

Daniel José

Daniel José é candidato do Novo a Assembleia Legislativa do Estado. Em entrevista à Gazeta, ele falou sobre a receptividade da população. “Tem sido muito boa, porque as pessoas veem no Novo um negócio que é muito raro na política hoje no Brasil, que é coerência. No Novo por exemplo, todo mundo de vereador a presidente que se elege, abre mão de todos os privilégios como por exemplo, carro oficial, motorista, auxílio paletó, moradia, aposentadoria integral depois de dois mandatos, esse tipo de coisa que só no Brasil tem”, comentou. “É mostrar que a gente esta lá para servir as pessoas e não se servir delas, é isso que falta na política brasileira hoje, coerência. Então a receptividade tem sido muito boa, acho que muito por conta disso”, avaliou.

Ele também falou sobre a atuação dos deputados estaduais. “A primeira coisa que as pessoas deveriam estar cada vez mais atentas é que emenda parlamentar não é resultado, emenda parlamentar não é um bom trabalho. Se o vereador ou deputado estadual vem e traz uma emenda parlamentar para uma ou duas ambulâncias, para asfaltar uma rua nas vésperas das eleições, isso não é resultado, isso é uma fração daquilo que o deputado estadual poderia fazer pela população, e a gente tem que perder um pouco desta noção de quem representa a gente bem é só quem mora aqui do nosso lado, que mora no nosso bairro. Quem representa a gente bem é quem tem uma boa formação, quem tem uma boa motivação e uma boa intenção de servir as pessoas”, afirmou.

“E hoje em dia na Assembleia Legislativa, 82% de todos os projetos votados entram em duas categorias: mudança de nome de trecho de rodovia e criação de homenagens”, disse. “São estas as coisas que nossos deputados estaduais estão votando e cada projeto de lei custa R$ 4 milhões. É inacreditável a baixa qualidade do trabalho realizado lá. O que a gente tem que buscar é renovar, não só para trazer gente nova mas, trazer pessoas que tenham os valores certos, os princípios, uma formação para conseguir fazer um bom trabalho, para votar projetos de lei que sejam interessantes e que ajudem de fato as pessoas e não coisas assim que não mudam a vida de ninguém”, pontuou.

O candidato falou sobre a necessidade de investir em Educação. “Foi a educação que transformou a minha vida. O projeto de lei que você aprova, bem feito melhora a vida de 3.7 milhões de alunos ao redor do estado e esse tipo de impacto que a gente tem que trazer”, ressaltou.

Carol Cavalcante

A candidata a deputada estadual Carol Cavalcante (Novo) esteve em Vargem duas vezes nesta semana. No domingo, dia 23, ela acompanhou o desfile do aniversário da cidade e participou de panfletagem da legenda, junto com os candidatos Daniel José e Vinícius Poit. Já na quinta-feira, dia 27, ela se reuniu com empresários vargengrandenses na ACI, onde se apresentou, mostrou suas propostas e ouviu sugestões dos presentes.

Ela comentou à Gazeta sobre a receptividade à campanha e suas expectativas. “Na realidade, faz quase 10 anos que a gente não tem um deputado que represente de fato a nossa região. Eu sou de São João da Boa Vista, minha família é de lá, a gente está lá há mais de 50 anos e a gente precisa de representantes”, disse. “A região tem total competência de ser um polo indústrial, um polo de agronegócio. São João da Boa Vista e região já é um dos maiores picos agrícolas do estado. A gente precisa focar nisso e só quem é da região vai trabalhar fortemente para cá”, ponderou .

“Eu sou candidata a deputada estadual pelo partido Novo, tenho muito apoio aqui em Vargem, São João, só que a gente precisa de verdade chegar na população, porque esta todo mundo ansioso por uma nova gestão política. O meu partido não usa dinheiro público, eu ando por aí com o meu dinheiro, é só gente nova, gente de fora, gente comprometida”, falou sobre sua legenda.

Para a candidata, a receptividade da população tem surpreendido. “Está além do que eu imaginava. Eu sabia que estavam carentes de uma nova gestão pública, de novos candidatos, mas é incrível como todos estão apoiando. Desde a população aos pequenos, médios e grandes empresários. A gente está com muito apoio voluntário mesmo, não é financeiro’, comentou . “A gente faz a campanha caminhando mesmo, sem dinheiro. A gente faz por um Brasil melhor, focado mesmo e todo mundo está aceitando muito bem”, ressaltou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui