Vargengrandense ganha Título de Cidadão Sanjoanense

0
594
Ronaldo Frigini recebe a homenagem do vereador Gérson. Foto: Leandro Gulin/ O Municipio

A Câmara Municipal de São João da Boa Vista homenageou com o Título de Cidadão Sanjoanense o ex juiz e atual advogado Ronaldo Frigini. A Sessão Solene foi realizada no Plenário Dr. Durval Nicolau, no dia 24 de outubro.

Vargengrandense que reside em São João da Boa Vista há mais de 20 anos, Ronaldo tem familiares em Vargem Grande do Sul, sua cidade natal, como seu pai Genésio Ronqui Frigini, os irmãos José Antônio Frigini e Leonardo Frigini e seu cunhado Valdomiro Ferreira Filho. Seu outro irmão, Genésio Ronqui Frigini Filho, também reside em São João da Boa Vista há anos.

Em seu discurso, o advogado relembrou passagens de seus anos na magistratura em São João e agradeceu ao Poder Legislativo. O título foi entregue pelo vereador Gérson Araújo, autor da iniciativa e presidente da Câmara. Na ocasião, o 1º promotor de Justiça de São João da Boa Vista, Nelson de Barros O’Reilly Filho, também foi homenageado.

A cerimônia foi conduzida com a presença do prefeito de São João da Boa Vista, Vanderlei Borges de Carvalho, familiares dos homenageados, vereadores, demais autoridades municipais e judiciais, inclusive a nível regional.

Procurado pela reportagem da Gazeta, o advogado Ronaldo Frigini, contou que foi gratificante receber o título. “Ser acolhido como filho da terra, foi para mim uma demonstração de carinho grandioso por parte da Câmara Municipal de São João da Boa Vista. Na verdade, senti-me abraçado pelo povo daquela terra que há mais de vinte anos acolheu a mim e minha família com largueza”, contou Ronaldo.

O advogado foi juiz na cidade de São João da Boa Vista por nove anos. “Durante o tempo em que judiquei na cidade, procurei cumprir o meu dever com a honestidade, presteza e amabilidade que se espera de toda pessoa e, assim, ordinariamente, àqueles que exercem uma função pública, como o é a de juiz de direito. Julgar, no sentido subjetivo, não é a função do juiz, porém a de aplicar a lei ao caso concreto, humanizando-a se for preciso. Ele deve ser exemplo de confiança e dignidade, não de medo e tirania”, afirmou o ex-juiz.

Como em seu discurso na entrega, o advogado reconhece a homenagem que recebeu como mérito de seus familiares. “Resido na cidade há  mais de vinte anos, de modo que sou obrigado a acrescentar que a conduta em sociedade não pode diferenciar-se da profissional. Impossível deixar de reconhecer, ainda, como já o expressei na solenidade de entrega, que se algo representei ou represento para a sociedade sanjoanense, isto se deve ao apoio e cumplicidade de minha esposa Ana Lúcia e de meus cinco filhos, os quais colaboraram para que eu tivesse as condições física e psíquica para bem desempenhar minhas funções. Sem eles minha trajetória não seria completa”, contou. “Espero continuar contando os meus dias com a certeza de ter combatido o bom combate e guardado a fé em Deus, na família e na justiça que, bem distribuída, dá a cada um o que é seu na medida do seu direito”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui