Iniciadas obras no casarão da Família Dutra

0
1076
Pedreiros trabalham desde o meio da semana no casarão. Foto: Reportagem

O casarão histórico adquirido pela prefeitura junto à família Dutra começou a receber alguns reparos nesta semana. Pedreiros trabalhavam no imóvel, recuperando paredes descascadas e pintavam parte do imóvel.

A Gazeta de Vargem Grande perguntou à Prefeitura o valor da obra e quais as intervenções estão sendo feitas no prédio, localizado na Praça Capitão João Pinto Fontão, na esquina das ruas Batista Figueiredo e Bernardo Garcia.

De acordo com o Executivo, estão sendo feitos reparos na parte elétrica para comportar computadores, telefones etc., pequenos reparos nas paredes  e pintura do prédio. Segundo o informado pela prefeitura, os reparos são necessários para conservar a estrutura do prédio, corrigindo danos causados pelo tempo.

A previsão é de que as obras sejam concluídas na primeira quinzena de dezembro e o Departamento de Educação seja transferido para o Casarão logo em seguida.

A prefeitura iniciou o processo de aquisição do prédio no final de 2017, quando ele foi declarado como imóvel de utilidade pública. Construído em 1916, com projeto do renomado arquiteto José Speria, o casarão pertenceu à família D’Avila Ribeiro e seus últimos proprietários fazem parte da família Dutra.

O prédio está sendo recuperado e receberá o Departamento de Educação, que atualmente ocupa uma casa alugada na esquina das ruas Major Antônio de Oliveira Fontão e Moacir Troncoso Peres.

Polêmica

Após avaliações periciais, a prefeitura depositou a quantia de R$ 800 mil com o intuito de ter a posse provisória do bem. Segundo o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) informou à Gazeta em setembro, seria solicitada a avaliação por Perito Judicial, indicado pelo juízo, que seria o parâmetro definitivo, desde que não fosse superior a R$ 2,3 milhões.

A compra do imóvel foi questionada por moradores e também por vereadores na Câmara. Alex Mineli (PRB) apresentou uma representação ao Ministério Público, que instaurou inquérito para investigar se houve alguma irregularidade no processo de compra do imóvel.

Na sessão de segunda-feira, o vereador informou que um auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontou alguns questionamentos no processo de aquisição para análise, como a glosa de R$ 800 mil depositados inicialmente para a aquisição da casa dos valores aplicados em Educação, a ausência de demonstração de real necessidade da compra do imóvel, entre outros. A prefeitura ainda irá apresentar as repostas sobre estes questionamentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui