A tradição dos presépios da cidade

0
2035
Em Greccio, na província de Rieti (Lácio), na véspera da noite de Natal de 1.223, São Francisco criou o primeiro presépio da história do Cristianismo. Foto: Post Itali.com

Conta a tradição católica que o primeiro presépio foi montado no ano de 1.223, em uma gruta, na Itália, por São Francisco de Assis. Quase oito séculos depois, a representação do nascimento de Jesus com as figuras da Sagrada Família, dos Reis Magos, dos animais e do anjo Gabriel, continua uma das mais belas tradições natalinas. Em muitas casas de Vargem Grande do Sul e em muitas igrejas, os presépios seguem encantando o fiéis.

De acordo com a Rede Canção Nova, o presépio deve ser montado no 1º domingo do Advento e desmontado no dia 6 de janeiro, data em que a Igreja celebra a Epifania do Senhor. O termo vem do latim Praesaepe, que significa estrebaria ou curral. A presença do Menino Jesus no estábulo demonstra a grandeza de Deus representada na fragilidade de uma criança.

Quando São Francisco de Assis decidiu montar a encenação do nascimento de Jesus, a Igreja não permitia a realização de representações litúrgicas nas paróquias, mas São Francisco pediu a dispensa da proibição, para relembrar ao povo a natividade de Jesus Cristo.

A tradição dos presépios se popularizou no século XVIII pela Europa e logo após, em outras regiões do mundo. No Brasil, a cena do presépio foi apresentada pela primeira vez aos índios e colonos portugueses em 1552, por iniciativa do padre José de Anchieta.

Composição

Os presépios são compostos pelas seguintes peças: Menino Jesus, a Virgem Maria, José, a manjedoura com palhas em um curral, burro, boi ou ovelhas, os animais do curral que representam a simplicidade do local onde Jesus nasceu; os anjos, responsáveis por anunciar o nascimento de Jesus; a Estrela de Belém, que auxiliou os reis Magos; os pastores, que representam a simplicidade das pessoas do local; e os Reis Magos, Belquior, Baltazar e Gaspar.

Nossa Senhora Aparecida: O presépio da Nossa Senhora Aparecida foi montado por Dalva, Sônia e Terezinha e as árvores ficaram por conta de Kevin. Eles demoraram cerca de três horas para deixar tudo pronto e alegrar aqueles que passarem pela igreja.

 

As paróquias e seus presépios

Todo ano as paróquias vargengrandenses montam os seus presépios e a Gazeta de Vargem Grande entrou em contato com elas para saber mais detalhes e conhecê-los.

São Joaquim

A montagem do presépio na Igreja Matriz de São Joaquim ocorreu em um dia. A equipe formada por Claudinei, Márcia e Carlos iniciaram sua montagem por volta das 7h. Todo o processo foi pensado com muito carinho, pois conforme disseram, “fizeram para Jesus e por ele”. Eles ficaram praticamente o dia todo trabalhando para deixar o presépio bonito, e também ajudá-los a levar o povo de Deus a contemplar a beleza do Natal.

 

 

Santo Antônio

Na paróquia Santo Antônio a montagem do presépio ficou a cargo de Sirlei, Teresinha e Claudete. Este ano, elas optaram por colocar o presépio no chão da igreja para facilitar a visualização, diferentemente do ano passado que foi montado sobre uma mesa. De acordo com elas, o trabalho demorou cerca de dois dias, mas o que mais demorou foi a montagem dos vasos para a ornamentação do Natal.

 

Família de Alberto Rosalin

O aposentado Alberto Rosalin e sua esposa Lourdes, mantém a tradição da família com a montagem do presépio na casa localizada à Rua Ricardo Zonta, 303, no Jardim São Joaquim. Feito com muito capricho, o presépio reúne dezenas de peças e se divide em duas partes: a manjedoura com o nascimento do menino Jesus e também uma fazendinha, com roda d’água, monjolo e fonte. Neste ano, Alberto e Lourdes também montaram um pequeno altar separado com uma imagem do menino Jesus. Eles levaram uma semana montando toda a representação e tiveram a ajuda de uma neta para concluir o presépio, que já foi visitado por mais de 60 pessoas. Uma das peças que chama a atenção na fazendinha montada pelo casal é uma igrejinha, com bancos e tudo, além do padre batendo o sino da torre. Alberto, atualmente com 77 anos, contou que se inspirou em uma igreja do bairro Barro Preto, que ajudou a construir quando tinha 10 anos de idade. Ele contou que voltou à igreja neste ano e se emocionou ao ver que ela está igualzinha à época da sua infância.

Presépios na Paróquia de Sant’Ana

Na paróquia de Sant’Ana, foi montado um presépio na casa paroquial e outro na igreja. O presépio da Matriz de Sant’Ana buscou reproduzir a narrativa do nascimento de Jesus Cristo a partir do Evangelista Lucas e em sua confecção foram utilizadas caixas de papelão, areia, pedras, plantas naturais e artificiais, bambus, água em forma de fonte, serragem, plantas do campo, papel pardo e utensílios que lembram a época. Foram duas semanas de trabalho contando com a ajuda da equipe de ornamentação da paróquia formada por Salomão, Regina, Marizeti, Sueli e padre Ricardo.

No presépio da casa paroquial à partir da leitura do Evangelista Lucas buscou-se enculturá-lo à realidade brasileira, trazendo em seu corpo padaria, serralheria, domésticas, comércios e animais da época e alguns do convívio atual. Em sua confecção foram usados materiais como isopor revestido de cola branca e areia, palitos de churrasco e sorvete para estrutura de algumas casas sendo estes revestidas de papel machê e pintura, serragem, papel pardo, bambu, gravetos, pedras e outros. Algumas peças (personagens) foram feitas de biscuit e tecido. Também utensílios e transportes da época como cestos, sacos, carroças e carro de boi. Na padaria, pães de biscuit e forno retratam um pouco de nossa cultura junto à banca de frutas e legumes.

Sua confecção começou no final de outubro e ele foi feito pelo padre Ricardo, vigário da Paróquia Sant’Ana.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui