Historiador Mario Poggio Junior se aposenta

0
707
Mario faz participação em Júris Simulados na OAB e nas Faculdades de Direito. Foto: Arquivo Pessoal

Depois de uma longa carreira de trabalho, sendo a última como agente da fiscalização de contas do Estado, o vargengrandense Mario Poggio Junior se aposentou. Filho de Mario Poggio e de dona Darci Pereira Poggio, nasceu em Vargem Grande do Sul no dia 4 de fevereiro de 1956. Ele residiu na cidade até os seus 19 anos, estudou no Grupo Escolar Benjamin Bastos de 1963 a 1966, em seguida no Colégio Estadual Alexandre Fleming, no período de 1967 a 1974, e concomitantemente na Escola Comercial D. Pedro II de 1972 a 1974.

Em São Paulo, Mario Poggio estudou na Faculdade de Economia São Luís do ano de 1975 até 1981, onde se formou em economia e ciências contábeis, nas Faculdades Metropolitanos Unidas – FMU, de 1988 à 1992, pela qual se formou em Direito. Posteriormente, ele fez especialização em gestão de políticas públicas pela Universidade de São Paulo.

No ano de 1983 Mario Poggio Junior se casou com Rosana Marcia Gonçalves de Carvalho Poggio com quem teve a filha Thaís Cristine de Carvalho Poggio, que é publicitária e advogada.

Vida profissional

Mario Poggio Junior se aposentou neste mês de dezembro, após 45 anos exercendo sua profissão. Tudo teve início no ano de 1973, quando Mario começou a atuar na Organização Andrade (Escritório do Tião Capitão), que atualmente pertence ao contador Donizete Cachola, que foi a base de toda a sua carreira como auditor, agente de fiscalização, contador e perito judicial – contador.

Ele atuou como contador no Poder Judiciário por 16 anos, no período de 1992 a 2008, mas se for computado o tempo de auditor em empresas privadas e perito judicial, são 15 anos e seis meses no período de 1976 a 1992, sendo que a atuação como agente da fiscalização de contas do Estado de São Paulo foi de aproximadamente 11 anos, de 2008 a 2018. Como são atividades semelhantes, foram 26 anos em áreas de controle interno/externo, o que leva a considerar que sua maior atuação foi como auditor/perito judicial/agente da fiscalização.

Durante estes anos de carreira, em seu trabalho Mario Poggio desenvolveu principalmente a verificação da correta aplicação e destinação dos bens e numerário públicos (agente da fiscalização) e privados (auditor), além de auxílio aos juízes (perito judicial- contador).

Após a sua aposentadoria, Mario informou que não pretende ficar parado, ele tem vários projetos para esta nova fase de sua vida, sendo eles: advogar em tempo integral; continuar a participar do Grupo de Estudos do Tribunal do Júri, com ênfase na realização de Júris Simulados na Sede da OAB e em Faculdades de Direito; manter as pesquisas e estudos sobre a história de Vargem Grande do Sul e seu povo; intensificar os estudos sobre a Revolução Constitucionalista de 1932; e também focar na preservação ecológica. Mário é antigo colaborador da Gazeta de Vargem Grande.

Mario faz participação em Júris Simulados na OAB e nas Faculdades de Direito. Foto: Arquivo Pessoal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui