Morador questiona obra em paredão do Rio Verde

0
805
Morador questiona obra em paredão do Rio Verde. Foto: Prefeitura
Morador questiona obra
em paredão do Rio Verde. Foto: Prefeitura

A reportagem da Gazeta de Vargem Grande foi procurada pelo morador Narciso Lopes, que questionou a execução da obra do muro de contenção às margens do Rio Verde, no início da rua XV de Novembro.

Ele relatou que a obra custou R$ 90 mil, o que considerou muito superior ao praticado no mercado. Afirmou ainda que a obra não foi feita de maneira correta, não houve compactação e que acredita que houve desperdício.

A Gazeta, por sua vez questionou a prefeitura sobre as colocações do morador. Em resposta, o Executivo relatou que a obra do muro de contenção em concreto armado no Rio Verde, foi executada com recursos de um convênio entre a prefeitura e a Casa Militar do Governo do Estado de São Paulo, pela Coordenadoria do Estado  da Defesa Civil e foi acompanhada toda sua execução através dos militares.

De acordo com a prefeitura, para compor preço da obra, foi utilizado como referência os valores da Companhia Paulista de Obras e Serviços (CPOS), que é uma das tabelas oficiais definidas pelo Tribunal de Contas para ser utilizada na composição dos valores para contratação de obras.

Conforme planilha de preços elaborada pelo Departamento de Obras, através da tabela CPOS, o valor estimado a ser usado como referência da licitação foi de R$ 116.515,04. Participaram da licitação quatro empresas, tendo como vencedora a Construtora Imperium Eirele.

Segue a prefeitura relatando que a empresa ganhou a licitação pelo valor de R$ 90.044,97, portanto R$ 16 mil menor do que a tabela oficial, orçado através de índices oficiais de custos da Construção Civil e contratado pela modalidade de empreita global, ou seja, preço fechado da obra, independente do consumo de material.

A empresa contratada foi notificada a refazer reparos na canaleta de escoamento de águas pluviais, que trincou devido às fortes chuvas que ocorreram no município no mês passado. “Concluímos informando que a obra foi fiscalizada em todo o seu período de execução e os problemas apresentados foram superficiais, sem nenhum abalo na estrutura principal do muro, sendo que o problema apresentado será consertado nos próximos dias sem custo para o município”, informou o Executivo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui