Prefeitura retoma área em Distrito Industrial

0
881
RIC chegou a fazer a sondagem do solo para instalar unidade em Vargem. Foto: Arquivo Gazeta

Após o período de recesso, a Câmara Municipal de Vargem Grande do Sul voltou à atuação na primeira sessão ordinária de 2019, que aconteceu na segunda-feira, dia 4. Um dos projetos de lei apresentados e aprovados revertia a doação de lotes no Distrito Industrial José Aparecido da Fonseca – Tota, que foram concedidos à empresa Ric – Comércio Atacadista de Algodão Ltda Epp, em 2017.

Os quatro terrenos cedidos à empresa voltam a fazer parte da Prefeitura Municipal, já que as obras para a unidade deveriam ter tido início no final do primeiro semestre de 2018. A área destinada à empresa totalizava mais de 6.700 m². Segundo o projeto enviado à Câmara, após reunião dos membros da Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI) foi enviada uma notificação à empresa para que ela apresentasse as justificativas para o atraso das obras no local. Com o não cumprimento da notificação, os membros da CDI deliberaram que o município devesse retomar os lotes em questão.

Em entrevista à Gazeta de Vargem Grande no final de 2018, ao ser questionado sobre os terrenos doados à Ric, o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) explicou o caso e comentou sobre o interesse de outras empresas na área que havia sido doada. “A Comissão de Desenvolvimento Industrial (CDI) recentemente decidiu retomar os terrenos que a Prefeitura havia cedido à empresa RIC –Comércio Atacadista de Algodão LTDA., após tomar conhecimento que a mesma entrou em recuperação judicial. Pelo contrato assinado entre o município e a empresa, a mesma teria de ter começado a construção de seu empreendimento no Distrito Industrial José Aparecido da Fonseca –Tota, no dia 30 de junho de 2018, mas após fazer a sondagem do solo no local, a empresa não deu continuidade nos trabalhos e nada foi feito, motivo também que levou os membros da CDI a notificar os sócios da RIC pedindo as devidas explicações no atraso das obras, sob pena de o município retomar os terrenos doados. Como a empresa não se manifestou, a Comissão entendeu que a mesma não tinha mais interesse em investir e aprovou a retomada dos terrenos, cuja lei está sendo elaborada e será enviada em breve à Câmara Municipal. Infelizmente a RIC, devido ao difícil momento econômico que vive o Brasil, não pode cumprir o contrato, mas o município fez tudo o que podia fazer em termos de incentivos. Já existe empresa interessada em parte dos terrenos e que tão logo os mesmos retornem ao município, a CDI vai analisar o pedido desta nova empresa”, comentou Amarildo na ocasião.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui