Polícia Civil prende autor de homicídio

0
868

Alelso Márcio Justo confessou que desferiu as facadas em Antônio Carlos da Silva no dia 13

Uma discussão sobre pagamento de contas teria levado ao primeiro assassinato de 2019, em Vargem Grande do Sul. De acordo com informações da Polícia Civil à Gazeta de Vargem Grande, Alelso Márcio Justo, 34 anos, teve a prisão preventiva decretada e está recolhido à cadeia de São João da Boa Vista.

O crime ocorreu na noite do sábado, dia 13. Segundo o relatado por Alelso, ele bebia com a vítima, Antônio Carlos da Silva, 30 anos, e mais uma outra pessoa, quando em dado momento as discussões começaram, por volta das 20h. Conforme contou à Polícia Civil, ele mora em uma casa no Jardim Ferri e há alguns dias, Antônio Carlos começou a morar na mesma residência e o combinado era que dividissem as contas. No entanto, Alelso afirmou que Antônio Carlos não estaria cumprindo o acordo, o que teria motivado a briga.

Ainda conforme o relatado por Alelso à polícia, em dado momento da discussão, Antônio Carlos teria pego um pedaço de pau e passado a agredi-lo. Alelso contou que correu para a cozinha, onde as agressões teriam continuado. Para se defender, alcançou uma faca e desferiu golpes contra Antônio Carlos. Ele contou ainda aos policiais, que devido ao seu nervosismo, não soube precisar quantas facadas deu na vítima. Disse ainda que Antônio Carlos saiu da casa e pediu socorro a uma vizinha. Alelso contou que foi atrás com o intuito de ajudar, mas ao perceber que a moradora havia chamado a polícia, decidiu deixar o local e permaneceu escondido.

Socorro

Antônio Carlos foi socorrido pela Guarda Civil Municipal, que ao chegar no endereço informado, encontrou a vítima na garagem da residência inconsciente, mas ainda com vida. A GCM prestou o primeiro atendimento e levou rapidamente Antônio Carlos ao Hospital de Caridade. Na unidade de saúde, ele foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e acabou morrendo.

Investigação

Ainda na noite do sábado, a equipe da Polícia Civil que estava de plantão esteve no endereço indicado e conversou com testemunhas, que relataram a briga. O suspeito foi identificado e o nome da vítima só foi esclarecido na manhã do domingo. Os policiais passaram a procurar Alelso, mas ele não foi encontrado.

No entanto, na noite do domingo, dia 14, ele compareceu ao plantão da Delegacia, acompanhado do seu advogado, para se apresentar. O delegado plantonista tomou o seu depoimento, ressaltando que teria se defendido das agressões e que não sabia o que tinha sido feito da faca. Como naquele momento já não cabia mais a prisão em flagrante, Alelso foi ouvido e liberado em seguida.

Na segunda-feira, o delegado Antônio Carlos Pereira Júnior e a equipe da Polícia Civil de Vargem ouviu a pessoa que estava bebendo com Alelso e a vítima. A vizinha que ajudou a prestar socorro a Antônio Carlos também foi ouvida. Ainda na segunda-feira, a polícia pediu a prisão preventiva do autor devido à gravidade dos fatos e para garantir a ordem pública.

Na quarta-feira, dia 17, a Justiça decretou a prisão de Alelso. Os policiais foram até a casa de seu pai, onde ele estava. Foi dada ciência do mandado ao autor do crime, que foi levado à cadeia. “Toda vez que há um crime grave, principalmente quando uma vida é tirada, pedimos a prisão do autor”, ressaltou o delegado. Ele ainda observou que embora Alelso tenha alegado que reagiu a uma agressão, foi entendido que essa reação foi feita de maneira excessiva, com aparentemente três golpes de faca, na região toráxica e abdominal. O autor responderá por homicídio doloso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui