Em São João, professora é morta a facadas pelo filho

0
384
Victor foi preso em flagrante. Foto: O Municipio
Victor foi preso em flagrante. Foto: O Municipio

A professora Lucia Elisa Sanchez, de 51 anos, foi assassinada pelo filho, Victor Sanches, 32 anos, na tarde do último domingo, dia 5, em São João da Boa Vista.

De acordo com a reportagem do jornal O Município baseada no boletim registrado pela Polícia Militar, os policiais chegaram ao Condomínio América Central, onde o crime foi cometido, localizado à rua Atílio André Rubbo, no Parque das Nações, e encontraram o filho da vítima.

Questionado pelos policiais, Victor inicialmente disse que o namorado da mãe a teria matado. Na cozinha, os policiais encontraram Lucia Sanchez caída e com muito sangue ao redor. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado e constatou o óbito.

No entanto, ao vistoriarem o apartamento, os policiais encontraram em um dos banheiros algumas roupas de Victor sujas de sangue, além de pegadas com sangue por todo o imóvel.

Indagado mais uma vez pelos PMs, de acordo com o boletim de ocorrência, Victor confessou a autoria do crime e disse que surtou com a mãe porque ela não queria lhe dar dinheiro para comprar drogas.

Ele teria acertado a cabeça de Lucia Sanchez com uma jarra de vidro e, em seguida, desferiu vários golpes de faca por todo seu corpo, aproximadamente 50 facadas.

No BO ainda consta que logo depois de esfaquear a mãe, Victor pegou o cartão do banco de dentro da sua carteira e foi a um posto de gasolina para trocar por dinheiro. Ele foi preso em flagrante.

Na tarde de segunda-feira, dia 6, a Justiça de São João decretou a prisão preventiva de Victor.

O delegado Sérgio Ferreira do Carmo relatou a reportagem do O Municipio, detalhes sobre o depoimento de Victor, o que tinha usado cocaína na noite de sábado e na manhã de domingo, como a droga havia acabado, ele queria usar mais e entrou em um surto.

De acordo com o delegado, o rapaz planejou pegar o cartão de sua mãe para poder sacar dinheiro e comprar mais drogas, e para isso ele pensou em matá-la. Ele ainda contou que ao questionar Victor sobre a forma que praticou o crime “Ele falou que, se furtasse o cartão, a mãe iria descobrir que foi ele. Então, acabou pensando em matá-la, pegou a jarra, desferiu na cabeça dela e, na sequência, já pegou a faca que já trazia com ele e desferiu vários golpes contra a mãe. Ele não sabia quantos. Daí começou a chorar, saiu, se banhou, trocou de roupa, pegou o carro da mãe e foi até o posto de combustíveis, onde ele afirma que colocou R$ 10 de álcool [etanol] no carro e pediu mais R$ 50 para o frentista. Ele passou o cartão de débito no posto – ele sabia as senhas dos cartões -; […] foi no bairro Santo Antônio, comprou mais cocaína, voltou para casa e continuou usando a droga até a chegada da equipe da Polícia Militar”, afirmou o delegado.

Ainda de acordo com a reportagem, o delegado relatou que o rapaz expressou arrependimento, mas que a impressão que tiveram, é de que ele não sabia de fato o que tinha feito. O rapaz ainda estava sob efeito de drogas, surto, disse estar arrependido e que tinha um bom relacionamento com sua mãe, que eram como irmãos e que também se dava muito bem com o pai.

A professora Lúcia Elisa Sanchez tinha muitos amigos em Vargem Grande do Sul, alguns deles foram seus colegas de faculdade e outros de trabalho. Lúcia deu aulas de espanhol no Centro de Estudos de Línguas (CEL) de 2012 a 2014 na escola Benjamin Bastos, onde os funcionários relataram que ela era uma pessoa muito educada e querida por todos. Foto: Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui