Gazetavg.com.br registra milhares de acessos

0
830

Lígia de Paiva Ligabue

Desde 1981, a Gazeta de Vargem Grande é o principal veículo de informação de Vargem Grande do Sul. Em suas páginas, quase 38 anos da história do município foram contados. Suas reportagens denunciaram corrupção, expuseram crimes, colaboraram com o dia a dia da população ao cobrar providências do poder público nas mais variadas situações.

Também foram alvo das notícias do jornal as boas experiências praticadas pelos governantes do município e pela sociedade civil, recebendo quer seja pela narração dos fatos ou de editoriais o reconhecimento pelo o que é feito em prol do bem comum e do próximo.

Assim, mais do que contar a história de Vargem, a Gazeta se tornou referência entre os moradores, que buscam em suas páginas a credibilidade trazida em cada matéria, com independência editorial proporcionada por sua independência comercial. A Gazeta nunca foi “bancada” por grupos políticos e nunca dependeu de recursos públicos para circular. Um feito e tanto para um jornal de uma cidade pequena.

Mas a expansão da tecnologia, a inclusão digital e o acesso cada vez mais democrático à Internet, trouxe uma grande revolução para os meios de comunicação. Uma mudança que ainda não terminou e que está longe de ser consolidada. Essa revolução mexeu em muito com o chamado “Quarto Poder”, o monopólio da informação pelos meios tradicionais de imprensa.

A grande maioria ainda se adapta a essa nova condição. Mas a verdade é que não importa em qual plataforma, se jornal, site, rádio ou tv, o principal produto do jornalismo é a notícia. O tratamento que é dado à informação, a pluralidade de vozes, a coragem de expor o que mais ninguém quer, é o que define um bom veículo de comunicação. Nesse sentido, a Gazeta continua como um jornal imprescindível a Vargem Grande do Sul.

Ao observar o cenário atual, onde as “Fake News” se espalham rapidamente, a Gazeta ganha ainda mais relevância, pois os leitores têm certeza de que se a Gazeta publicou, é verdade. Muitos podem questionar a linha editorial do jornal, mas ninguém questiona a veracidade do que foi publicado.

Gazetavg.com.br

Nesse sentido, o site da Gazeta, acessado pelo www.gazetavg.com.br tem funcionado como uma ferramenta muito importante na cidade. E assim como o jornal impresso, já é parte importante da vida do vargengrandense.

Prova disso são os números. São mais de 20 mil acessos mensais e uma média de oito mil visualizações de páginas. Algumas reportagens tiveram tantos acessos que “derrubaram” o site. No trágico acidente ocorrido em maio com o ônibus de jovens que seguiam do Sul de Minas para uma festa no interior de São Paulo, foram mais de 21 mil cliques na reportagem e como o site não estava estruturado para um volume tão grande, acabou ficando fora do ar por alguns minutos.

Facebook

A Gazeta de Vargem Grande também mantém uma fanpage no Facebook que já soma mais de 19 mil seguidores, com um alcance de mais de 36 mil pessoas. A projeção da Fundação Seade, do governo do Estado de São Paulo, mostra que a população estimada de Vargem em 2019 é de 41.287 pessoas.

Para se ter uma ideia, São João da Boa Vista conta com população estimada de 87 mil pessoas em 2019, mais que o dobro da de Vargem, e a página de um dos principais jornais da cidade vizinha conta com pouco mais de 23,4 mil seguidores. Em São José do Rio Pardo, a população estimada pela Fundação Seade é de 53 mil habitantes e o jornal mais tradicional de lá possui 15 mil seguidores no Facebook.

Em Vargem Grande do Sul, a página oficial da prefeitura mantém cerca de 7,7 mil seguidores e a página do prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB), onde ele divulga a maioria das notícias relacionadas ao Executivo, possui 4,6 mil seguidores.

Esses dados mostram não apenas a importância da Gazeta, mas também comprovam a sua forte abrangência na cidade e também na região.

Por que investir em um veículo de comunicação com visibilidade

Francisco Malaguti, publicitário e psicólogo

Hoje em dia é muito fácil conseguir várias dicas e orientação de como proceder para crescer um negócio, simplesmente navegando pela internet. Invista em mídias sociais, crie um planejamento estratégico e a comunicação integrada de marketing da sua empresa. Tenha um site e invista seu tempo criando um belo processo de inbound. Não tem erro, tiro e queda. Você está com a faca e o queijo na mão.

O problema destes argumentos, no que posso observar, são dois: primeiro, o argumento está correto. A internet é onde o alcance é maior e mais barato, mais acessível e onde o resultado é mais facilmente mensurável em termos de informação específica do meio (quantas pessoas eu alcance gastando X na minha propaganda no Facebook. É um dado válido quando você precisa distribuir os recursos que tem dentro das possibilidades de canais e veículos existentes).

Mas para você fazer algo a este respeito, vão-se horas e horas de pesquisa e entendimento sobre processos que outros dominam e que parecem etéreos demais para se acompanhar ou mesmo criar algo que faça diferença para sua marca ou empresa. E daí você faz algo aqui, mas deixa ali e o seu público alvo começa a perceber sua marca de forma amadora (triste realidade; por isso é tão difícil competir com tantas grandes marcas já consolidadas e com muito mais recursos de exibição).

Em segundo lugar, esta complexidade, a de se criar todo este processo, o que muitas empresas, principalmente as pequenas e médias, não se dão conta, até que começam a tropeçar nos custos de execução: ou contratando alguém inexperiente e barato demais para saber exatamente como proceder em todas estas vielas (e cobrando demais destes “profissionais”, contribuindo para problemas já clássicos do nosso tempo, como estresse, ansiedade, depressão e por aí vai), ou, quando busca a ajuda de empresas e profissionais da área de marketing e percebe que tudo isso não vem simplesmente com o valor que a empresa pode desembolsar naquele momento. Não é simples e não é barato fazer o que os gurus da internet dizem para você fazer.

O problema é que você precisa fazer. Todos sabemos, a internet é o futuro, é onde as pessoas gastam a maior parte de seu tempo e onde conhecem novas ideias, tecnologias, produtos e marcas.

Uma coisa que sempre digo é: comece pequeno para acertar. Bem, não só eu, já que aprendi isso lá atrás. Mas todos os caras e as caras que falam de marketing, imagem e comunicação. Se você vai fazer propaganda, faça propaganda consistente. Uma bela peça, com um conceito de informação claro e levando em conta os aspectos do design que vão atiçar o apetite vende melhor sua ideia ou marca do que se você começar a fazer publicações com erros gramaticais risíveis no Instagram. As pessoas se encantam a imagem que projetamos sobre o que queremos mostrar. Esta é a função de qualquer estratégia de marketing que se preze.

Agora, uma forma excelente de atingir um público cativo, de diversos tipos e faixas etárias e que perceberão, é investir em veículos de comunicação tradicionais. Não é a toa que durante tanto tempo, os principais produtos e empresas de todos os segmentos, de todos os nichos possíveis, sempre investiram nas principais revistas e jornais do país. Imagine que você é uma empresa nova no mercado e precisa que as pessoas saibam que você está operativo. Qual seria a melhor forma de mostrar que sua empresa é séria, do que apostar na tradição e confiança que o principal jornal ou rádio da cidade possuem? Afinal de contas, a sua imagem será percebida como parte integrante daquele veículo.

Mas não começamos falando de internet e mídias sociais?

Sim, mas podemos traçar um paralelo bastante interessante. Se você precisa investir em publicidade, na sua imagem, e vai investir, digamos, no Facebook, por que não apostar em um veículo conceituado, tradicional, respeitado, onde sua marca será criada por um profissional de design competente, como parte do processo? E se este veículo possui diariamente milhares e milhares de acessos (como é o caso da Gazeta de Vargem Grande), porque não garantir a visibilidade de sua marca através destas visualizações garantidas pelo jornal? Entende? As pessoas sabem da qualidade do jornal, sabem da tradição e sabem que podem confiar. Se você precisa de uma propaganda de qualidade, com a garantia de visibilidade e boa recepção, fazer propaganda online em um veículo conceituado pode ser a melhor opção.

Mas e se minha empresa já está estabelecida no mercado? Eu não preciso fazer propaganda?

Toda empresa precisa fazer propaganda! E se ela está estabelecida no mercado, isso é ainda mais verdade. Pois as estratégias contemplam toda a gama de recursos e imagem que a empresa irá propagar para que seu produto ou serviço continue em voga, continue atual. Estabelecer estratégias de atuação online é extremamente importante, mas o respeito e admiração e seriedade adquiridos através de um veículo respaldado, esse tipo de valor não tem preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui