Sorriso Mágico completa 7 anos de humanização nos hospitais

0
573
Sorriso Mágico completa 7 anos de humanização nos hospitais

Apesar da idade de criança, o projeto já está dando seu primeiro passo de gente grande

É com o espírito de uma criança que o Sorriso Mágico faz mais um aniversário e é com o entusiasmo de um jovem que o grupo se organiza, dando os primeiros passos para transformar o projeto em uma organização sem fins lucrativos.

Criado por Lucian Lopes em 2012 dentro do ônibus da faculdade, o projeto ganhou um nome e um “jeito de ser” idealizados por um amigo do fundador, Rovilson Antônio da Silva Júnior, também conhecido por Juninho Pipers.

Hoje, o Sorriso Mágico é formado por um grupo independente e voluntário que já realizou mais de 300 visitas em hospitais e comunidades carentes de Vargem Grande do Sul e região. Além das visitas, o grupo já organizou outros eventos importantes, como o Natal Mágico no Cristo Redentor e diversas campanhas de doação de sangue.

Com o objetivo de fortalecer e garantir o contínuo funcionamento do grupo, está em andamento o registro oficial do projeto como uma organização sem fins lucrativos que será administrada por um conselho deliberativo criado pelos atuais participantes.

Na liderança atual do grupo estão Aline Morgado e Angelino Júnior, ambos também estão no projeto desde o início. A política de grupo é bem definida e estabelece de forma clara que o projeto não visa qualquer tipo de lucro financeiro e nenhum dos integrantes pode receber qualquer tipo de doação em dinheiro. O grupo prefere que as doações sejam encaminhadas diretamente às pessoas que necessitam. Também há a preocupação em não haver ligação com nenhum partido político ou com alguém que possa querer utilizar o projeto para conquistar algo de viés pessoal.

De acordo com Aline Morgado, o Sorriso Mágico pode ser definido de várias formas. “É um modo de demonstrar o amor pela vida, uma forma de incentivar as pessoas que mesmo em um momento difícil pode-se sorrir e ter esperanças, o sorriso cura. O voluntariado é a melhor forma de se comprometer, é a essência do sorriso, é a essência de qualquer coisa, o amor só é amor quando você se voluntaria para vivê-lo. O Sorriso Mágico só existe hoje por causa dos voluntários, sem eles seria uma ideia na gaveta. O voluntário é a base do Sorriso Mágico, e como fundação, como iniciativa, como projeto, é uma marca que representa o voluntário”.

E segundo Angelino Junior, existe uma rotatividade entre os voluntários que fazem parte do projeto. “É um processo cíclico que nunca acaba e hoje o Sorriso Mágico tem uma força que mostra a importância do trabalho voluntário. É importante para melhorar a qualidade de vida das pessoas, para levar alegria e para melhorar uma comunidade. É um processo que não depende somente de nós, é necessário que novos possam chegar e continuar o trabalho e por isso, estamos preparando o projeto para isso”.

“O trabalho voluntário não pode parar, é preciso pessoas e é preciso organização também. Por isso registrar o projeto e dar a ele essa organização é algo grandioso. É honrar o que já foi feito até aqui e dar as condições necessárias para as pessoas novas que estão chegando continuarem e de alguma forma colorida, impactarem positivamente a vida de alguém”, comentou Juninho Pipers.

Atualmente o grupo é formado pelos seguintes voluntários: Aline Morgado, Angelino Júnior, Caroline Luzetti, Cláudio Procópio do Nascimento, Jéssica Danieli, Jéssica Passoni, Leandro Palaoro, Luciana Oliveira, Marise Ribeiro, Marcos Vinícius, Maicon Alcântara, Rovilson A. da Silva Júnior, Samantha Todero do Nascimento e Welinton Bruno de Toledo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui