Aumento de casos de caxumba no estado gera alerta

0
484

A caxumba ficou muito tempo desaparecida, mas voltou a ser diagnosticada no Brasil. De acordo com o Ministério da Saúde, devido à queda na vacinação da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola, e tem atingido níveis abaixo do índice recomendado de 95%, a doença voltou a alarmar a população em diversas regiões do país.

Em alguns estados como Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Bahia, Piauí e São Paulo, o percentual de crianças vacinadas não chega a 75%. Em Vargem, segundo o Departamento de Saúde, a cobertura da tríplice viral é de 85,5%. As autoridades estaduais e federais não são informadas sobre os casos registrados, uma vez que a caxumba não é uma doença de notificação compulsória. De acordo com o Departamento Municipal de Saúde de Vargem, por este motivo, não há registros de quantas pessoas já contraíram a doença no município neste ano.

No entanto, no estado de São Paulo foi possível identificar que os grupos com maior incidência são formados por adolescentes e jovens que, na maioria das vezes, não atualizaram a carteirinha de vacinação.

Os principais sintomas da caxumba são febre, dor na face e aumento do volume dessas glândulas na região da mandíbula. Ela também pode provocar dor no corpo e na cabeça. Em casos graves, podem ocorrer inflamações no pâncreas e nas meninges, que envolvem o cérebro. No caso das mulheres com mais de 15 anos, essa infecção atinge os ovários; e, nos homens, os testículos.

Transmissão

A transmissão ocorre por via aérea, por meio da disseminação de gotículas, ou por contato direto com saliva de pessoas infectadas. Já a transmissão indireta é menos frequente, mas pode ocorrer pelo contato com objetos e/ou utensílios contaminados com secreção do nariz e/ou boca.

O período de incubação até o aparecimento dos sintomas é de 12 a 25 dias, sendo, em média, 16 a 18 dias. Já o período de transmissibilidade da doença varia entre seis e sete dias antes das manifestações clínicas, até nove dias após o surgimento dos sintomas. O vírus da caxumba pode ser encontrado na urina até 14 dias após o início da doença. Uma vez infectada e curada da caxumba, a pessoa tem imunidade permanente contra o vírus. Essa proteção vitalícia também é garantida pela vacinação, que é a melhor e principal forma de prevenção.

Vacinação

A vacinação é a única maneira de prevenir a caxumba. O SUS oferta gratuitamente as vacinas Tríplice Viral, que protegem contra sarampo, caxumba e rubéola, e Tetra Viral, que adiciona a proteção contra varicela, que é a catapora.

À Gazeta, o Departamento de Saúde de Vargem informou que até o momento não há nenhuma nota técnica do Ministério da Saúde para realização de campanha de vacinação especifica para caxumba.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui