Equoterapia

0
484

Equoterapia

Duda oliveira

A primeira fotorreportagem é inesquecível, ainda mais quando o desafio é registrar um trabalho incrível como o que a Letícia Helena da Costa e sua equipe prestam em Vargem Grande do Sul, tornando a equoterapia acessível à população.

Passei um dia acompanhando as sessões de Equoterapia no Rancho Nossa Senhora Aparecida, que fica na estrada da Lagoa Branca, cerca de 1km de estrada de terra. A estrada não está em seu melhor estado, tem vários buracos e, pelo que Letícia contou, durante o período de chuvas a estrada só piora, mas isso não é impedimento para que os praticantes cheguem até o local.

Assim que cheguei ao Rancho, a sessão do Israel começou. Ele possui bastante dificuldade para se sustentar, mas a equoterapia já fez com que o quadro dele evoluísse. Letícia falou que antes de começar o tratamento, Israel não se mexia de forma alguma e que após algumas poucas sessões, ele passou a se movimentar e a cada semana evolui ainda mais

Letícia é estudante de psicologia, responsável pela equitação e equoterapia, além de ser a proprietária do local. Ela iniciou as sessões de Equoterapia após o contato de uma mãe que a questionou sobre o serviço. A partir daí, Letícia buscou se especializar na terapia pelo curso da ANDE-Brasil, em Brasília, e passou a oferecer o curso na cidade há um ano e três meses, junto de sua equipe.

A última sessão do dia foi a do João Marcos, que no começo tinha muito medo dos cavalos, por isso, Letícia começou a desenvolver a relação do praticante com o animal, então levava João até as baias para que ele alimentasse os cavalos ou fizesse carinho, além de falar o nome de todos os cavalos que moram no rancho, assim, a relação entre o praticante com os cavalos se estabelece e o praticante fica mais confiante ao realizar as sessões. Hoje, João Marcos não tem mais medo dos cavalos e chega no rancho já fazendo carinho nos cavalos e montando sozinho.

 

A equoterapia oferecida por Letícia tem um valor simbólico, para cobrir os custos dos cavalos e do rancho, mas ela já tentou buscar ajuda financeira, como apadrinhamento de pessoas que precisam fazer a equoterapia, mas não tem condições, porém, Letícia disse que não obteve sucesso. O Centro de Equoterapia de Letícia não tem nenhum tipo de patrocínio, o que impede que mais pessoas utilizem da terapia e progridam em seus tratamentos. Por isso, Letícia deixa em aberto a questão do apadrinhamento e caso alguém se interesse, basta falar diretamente com ela para discutir as opções.

A segunda sessão do dia foi do Bruno, que, de acordo com Letícia, também tinha muita dificuldade para se sustentar e sempre acabava pendendo para um lado ou para o outro, então Letícia subia em cima do cavalo com ele, para ajudá-lo na sessão. Hoje, Bruno já consegue andar sozinho e se sustentar em cima do cavalo, sem a necessidade de ajuda

Durante o acompanhamento das sessões é possível ver que Letícia está completamente envolvida com os praticantes e ao falar da evolução que a equoterapia proporcionou no tratamento deles, a expressão de Letícia é de alegria, alívio e puro amor por todos os praticantes que passam por ela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui