Monsenhor Décio encerra suas atividades de sacerdócio

0
715
Monsenhor Décio em sua última missa, no dia 29 de setembro. Foto: Arquivo Pessoal

Após 44 anos de sacerdócio, o monsenhor Décio Ravagnani encerra suas atividades. Ordenado no dia 6 de junho de 1976, no Santuário Nossa Senhora do Rosário, em Mogi Guaçu, sua missa de despedida foi no último domingo, dia 29, na paróquia Nossa Senhora do Rosário, em Hortolândia, com a presença de autoridades.

Sua primeira paróquia de atuação foi a de Sant’Ana, em Vargem Grande do Sul, onde permaneceu por 18 anos. No início de 1976, ele foi enviado como diácono à paróquia para ajudar nos movimentos e trabalhos paroquiais. Sua ordenação sacerdotal foi em junho do mesmo ano e no dia de sua primeira missa como padre na paróquia, aconteceu uma grande festa.

Em 1980, o monsenhor Décio havia sido nomeado Omo Vigário Ecônomo Auxiliar. Ele recebeu o título de monsenhor em 9 de novembro de 1991, ano em que a paróquia Sant’Ana estava completando cem anos.

Ao longo dos 18 anos em Vargem, ele realizou diversas obras na cidade, como a reforma da Matriz, construção das paróquias de Santo Antônio, Santa Edwiges, São José, São Francisco, Nossa Senhora das Dores, Santa Rita, Santa Luzia. Iniciou também a construção da paróquia do São Joaquim, reformou parte do São Benedito e parte da Igreja de Nossa Senhora Aparecida e também formou todas as comunidades da cidade.

Transferido em 1994 de Vargem, ele ficou por três anos em Ribeirão Preto, três anos em São João da Boa Vista, três anos em Tambaú, três anos em Pinhal e 14 anos em Campinas e Hortolândia, onde atuava como pároco na Paróquia Nossa Senhora do Rosário e encerrou seu sacerdócio.

Monsenhor Décio completou 75 anos e pelo Direito Canônico, quando se completa está idade, torna-se Pároco Emérito. Em virtude de sua saúde, ele relatou que irá morar com o padre Marco, em Peruíbe.

À Gazeta de Vargem Grande, o monsenhor contou que o mais relevante em todos esses anos foi um intenso trabalho de evangelização, seguindo sempre as Diretrizes da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e da Diocese.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui