Café Pacaembu é vendido para multinacional italiana

0
2642
O Café Pacaembu é atualmente a nona indústria do ramo no Brasil e a quarta do Estado. Foto: Reprodução Internet
O Café Pacaembu é atualmente a nona indústria do ramo no Brasil e a quarta do Estado. Foto: Reprodução Internet

Uma das maiores e mais tradicionais indústrias de Vargem Grande do Sul, o Café Pacaembu, foi vendido para a multinacional italiana Massimo Zanetti Beverage Group, que atua no mercado de café desde 1973. Os rumores da negociação ganharam força na última sexta-feira, dia 11, mas a venda só foi confirmada na segunda-feira, dia 14, quando a empresa italiana publicou um breve comunicado em sua página na Internet.

 

Michel Halla fundou a empresa vargengrandense em 1957. Foto: Arquivo Gazeta

Pela relevância tanto da vargengrandense Café Pacaembu, fundado em 1957 por Michel Halla e atualmente nona maior indústria de café do Brasil, quanto da Massimo Zanetti, uma das maiores do mundo com faturamento estimado em 1,2 bilhão de dólares, a negociação ganhou as páginas de portais de economia de todo país.

De acordo com a nota publicada no site da empresa italiana, o objetivo da Massimo Zanetti Beverage Group, dona de marcas reconhecidas internacionalmente como a Segafredo, com a compra do Café Pacaembu ela visa fortalecer sua presença no Brasil.

A empresa comercializa e distribui no Brasil desde 1996 três variedades de café: a típica brasileira, com a embalagem acolchoada macia, sob as marcas Massimo, Buono, Itambé, Nacional e Nova Suissa, e as internacionais clássicas da Segafredo Zanetti em embalagens a vácuo e em grãos inteiros. Desde a sua entrada no mercado nacional, o grupo adquiriu fazendas de café, tradings do produto, torrefações e outras marcas.

Massimo Zanetti é o presidente do grupo italiano que adquiriu o Café Pacaembu. Foto: Reprodução Internet

Multinacional

A Massimo Zanetti Beverage Group é uma holding de um grupo mundial líder na produção, processamento e comercialização de café torrado. No comunicado disponibilizado em seu site, a multinacional ressaltou que a aquisição do Café Pacaembu, dona de uma indústria de produção com tecnologia de ponta, reforça a sua atuação no mercado brasileiro.

Massimo Zanetti de Francesco Segafredo, presidente e oficial executivo do grupo, ressaltou esse fato na mesma nota. “O Brasil é um mercado interessante: é o maior produtor e exportador mundial de café e o segundo maior mercado consumidor do mundo, com altas taxas de crescimento. A aquisição do Café Pacaembu que, com mais de 60 anos de história, representa o café tradicional do Brasil, permitirá ao nosso Grupo aproveitar oportunidades de crescimento no Brasil”, informou.

A empresa vende mais de 120 mil toneladas de café por ano em suas mais de 30 marcas em todo mundo. Com a aquisição do Café Pacaembu, a receita do Grupo Massimo Zanetti Beverage no Brasil em 2019 será de aproximadamente R$ 130 milhões.

Futuro

A Gazeta de Vargem Grande entrou em contato com o Café Pacaembu para saber mais detalhes sobre a negociação e o futuro da empresa na cidade, em especial aos funcionários e a continuidade da produção na cidade. No entanto, não obteve retorno.

Na nota divulgada pela Massimo Zanetti, foi informado que a atual equipe de gerenciamento e um dos representantes do fundador da empresa continuarão liderando a empresa, com o objetivo de garantir a continuidade operacional.

Esta é a segunda grande negociação envolvendo empresas vargengrandenses com multinacionais nos últimos anos. Em dezembro de 2015, a Ebara Brasil, subsidiária da japonesa Ebara Corporations, um grupo japonês, adquiriu a Thebe Bombas Hidráulicas LTDA S.A., pertencente à família Cipolla.

Café Pacaembu

Fundada em 1957 como uma pequena torrefação por Michel Halla, falecido em setembro de 2011, o Café Pacaembu Ltda é uma das marcas mais tradicionais de São Paulo e, em um mercado altamente fragmentado, representa um dos cafés mais conhecidos, recentemente eleito como o melhor ExtraForte do País, segundo o Prêmio Melhores da Qualidade 2018/2019 da Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic). Em 2004, o Café Pacembu recebeu o prêmio na categoria Gourmet com o Pacaembu Expresso Gourmet.

A empresa conta com 98 colaboradores e era dirigida pelos descendentes de Michel Halla. Seus produtos estão presentes no interior de São Paulo e Sul de Minas. Além de estarem nas prateleiras de grandes redes de hipermercados como Makro, Extra, Dia%, Assaí, Sendas, Covabra e Pão de Açúcar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui