Mais de 4 mil perderão o título em Vargem

0
1219

O prazo para os eleitores de Vargem Grande do Sul realizarem o cadastramento biométrico terminou nesta sexta-feira, dia 29. Ao todo, 4.353 moradores deixaram de fazer a biometria e terão seus títulos suspensos. A ação se tornou obrigatória na cidade em fevereiro deste ano e os eleitores tiveram nove meses para se cadastrarem.

Durante o período, o Cartório Eleitoral de Vargem realizou diversos plantões para o cadastramento nos finais de semana, com o objetivo de aumentar o número de eleitores atendidos. No último final de semana, no sábado, dia 23, e no domingo, dia 24, o Cartório Eleitoral realizou um plantão, onde 172 pessoas foram cadastradas.

Vargem Grande do Sul possui 31.648 eleitores registrados e, de acordo com o Cartório Eleitoral, até o final do prazo, 27.295 pessoas fizeram a biometria, o que corresponde a 86,25% do total.

A biometria na cidade é realizada desde setembro de 2015, e que apenas os eleitores cadastrados ou transferidos para o município até o dia 7 de setembro de 2015, que ainda não fizeram a biometria, deveriam ter participado dessa revisão.

À Gazeta de Vargem Grande, Silvio Luís D’Amico, chefe do Cartório Eleitoral explicou que aqueles que não atenderam a convocação de comparecimento terão o título eleitoral cancelado.

Segundo Silvio, com o título cancelado, o eleitor não poderá obter empréstimos em bancos públicos, renovar matrícula em estabelecimento oficial de ensino, inscrever-se em concursos públicos e obter passaporte, além de que, em um eventual batimento com a Receita Federal, poderá ter, também, o CPF cancelado.

Silvio informou que os mais de 4 mil eleitores que não realizaram o cadastramento biométrico até o final do prazo e que terão o título cancelado, poderão regularizar a situação eleitoral até o final de abril de 2020 no Cartório Eleitoral, caso contrário, não votarão na próxima eleição.

Essas pessoas devem procurar o Cartório Eleitoral a partir da segunda-feira, dia 2, das 12h às 18h. Não haverá mais plantões aos finais de semana e feriados.

O eleitor deve comparecer ao Cartório portando o RG, CPF, título eleitoral (se tiver) e comprovante de residência para fazer a biometria. Caso a situação não for regularizada, essas pessoas continuarão com o título cancelado.

Ele comentou que isso ocorre porque após o final do prazo, que aconteceu no dia 29, existe um processo onde um relatório é enviado ao promotor, que avalia e manda cancelar os títulos e o juiz dá a sentença, que fica em trânsito em julgado. O processo, ele contou, é enviado para São Paulo, onde é homologado.

Ele pontuou que as pessoas que fizerem a biometria até o final de abril de 2020, poderão votar na eleição, no entanto, o título continuara cancelado por mais algum tempo. Portanto, se a pessoa precisar fazer algo que necessite do título durante esse período, não poderá.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui