Saúde

0
576

Dengue chegou a quase 400 casos em Vargem

Sem dúvida que a proliferação da dengue no município em 2019, foi uma das grandes preocupações do setor da saúde municipal. O alerta do jornal com o aumento dos casos começou a ser noticiado em 16 de março, quando na capa uma manchete chamava a atenção paro os 30 casos de dengue no município. As notificações começaram a crescer de maneira rápida, e na edição do dia 22 de junho, o jornal noticiava que “Vargem Grande do Sul registrou 395 casos de dengue”. Até a ocasião, haviam sido feitas 520 notificações da doença. Segundo o Departamento de Saúde, o município ainda não havia declarado epidemia naquela ocasião, pois segundo a legislação definida pelo Ministério da Saúde, que leva em consideração o percentual de população, Vargem teria que ter no mínimo 800 casos para ter uma epidemia declarada.

Cirurgias serão realizadas no Hospital de Divinolândia

Em parceria com Conderg, prefeitura realizará cirurgias oftalmológicas

A Câmara Municipal aprovou o projeto de lei de autoria do prefeito Amarildo Duzi Moraes para firmar uma parceria com o Centro de Oftalmologia do Consórcio de Desenvolvimento da Região de Governo de São João da Boa Vista (Conderg), em Divinolândia, para a realização de atendimentos de oftalmologia, como consultas e procedimentos cirúrgicos. Objetivo é atender a demanda de cerca de 900 pacientes. O projeto foi aprovado por unanimidade pelos vereadores na sessão extraordinária do dia 24 de setembro. O projeto também autorizava o município a custear o valor de R$ 45,00 por consulta oftalmológica no Conderg. A relação dos pacientes, conforme descrito no projeto, será enviada pelo Departamento de Saúde de Vargem.

Expectativa da Prefeitura é concluir readequação da UPA ainda em 2019

UPA será transformada em Centro de Especialidades Médicas

Outra notícia envolvendo a saúde municipal foi dada na edição do dia 3 de agosto de 2019. Após ser publicado no Diário Oficial do Estado, a mudança de finalidade da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Porte I de Vargem Grande do Sul para Policlínica e Centro de Regulação de Serviços de Saúde. A alteração aconteceu após reuniões entre prefeitura, Conselho Municipal de Saúde e comunidade para definir o que seria feito com o imóvel construído na gestão de Celso Itaroti (PTB), mas que devido a uma série de problemas nunca funcionou como UPA e que por conta de apontamentos da Vigilância Sanitária, foi fechada logo no início da administração de Amarildo Duzi Moraes (PSDB). Conforme definição resultante da audiência realizada no dia 27 de maio, na Casa da Cultura, optou-se por instalar no prédio da UPA, um centro de especialidades médicas, regulação, transporte e outras unidades de apoio a saúde. Segundo a prefeitura, no local será feito atendimento de todas as especialidades médicas oferecidas pela rede municipal. No local também será instalado o setor de regularização, ou seja, agendamento de consultas, exames e demais procedimentos. As novas funções no prédio da UPA deve ocorrer este ano.

SASP foi inaugurado no dia 27 de dezembro

O atendimento à saúde mental do município deu um importante avanço com a inauguração do novo prédio do Serviço de Atendimento de Saúde Psicossocial (Sasp) da Prefeitura Municipal de Vargem Grande do Sul. O local manteve o nome de Posto Municipal de Saúde “Ernani de Andrade”, e abrangerá o Ambulatório de Saúde Mental e o Centro de Atenção Psicossocial (Caps). Iniciadas no final da primeira gestão do prefeito Amarildo Duzi de Moraes (PSDB), em 2012, as obras foram interrompidas na gestão do ex-prefeito, Celso Itaroti (PTB). O antigo imóvel que abrigava o Sasp foi praticamente derrubado e reconstruído. À Gazeta de Vargem Grande, a prefeitura informou que foi investido cerca de R$ 1,2 milhões na reconstrução do prédio, numa obra de 562 m². Em entrevista concedida à reportagem da Gazeta de Vargem Grande, a diretora de Saúde do município, Maria Helena Zan comentou sobre a estrutura atual da saúde mental do município, onde atendem três psicólogos, dois psiquiatras, um assistente social, uma enfermeira, um terapeuta ocupacional, uma fonoaudióloga, além de sete técnicos e auxiliares de enfermagem. A diretora informou que no novo prédio serão centralizados todos os atendimentos que envolvam a saúde mental e que tanto o Caps quanto o Sasp atenderão nas novas instalações, segundo ela, “facilitando e melhorando a comunicação entre pacientes e equipe multidisciplinar. Além disso, o atendimento será mais humanizado, com amplo espaço para atendimento, sala de espera confortável, entre outras melhorias”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui