Prefeito fala sobre o que pretende fazer em 2020

0
1339

Saber quais são os planos da atual administração para o ano que se inicia, é uma das propostas que o jornal Gazeta de Vargem Grande vem realizando há muitos anos. É uma maneira de levar aos leitores do jornal e também à população, quais são as prioridades do Executivo para melhorar a cidade e também para que os cidadãos possam exercer seu legítimo direito de fiscalizar os gastos com o dinheiro público.

A entrevista foi realizada na semana passada no gabinete do prefeito, mas somente nesta edição estamos editando-a para levar ao conhecimento dos leitores e também da população, quais os planos do Executivo para Vargem Grande do Sul neste ano de 2020.

Indagado como foram os três anos de governo, o prefeito Amarildo Duzi Moraes-PSDB, disse que foram difíceis, especialmente os dois primeiros anos, em função da dívida herdada e da situação econômica que o país atravessava e que ainda está envolvido, com crescimento quase nulo, arrecadação em baixa, os governos estadual e federal segurando os investimentos por falta de verbas.

Afirmou que em 2019, já foi possível fazer encaminhamentos importantes na cidade, com planejamento para investir em infraestrutura, com mais ênfase em saúde e educação. Disse que teve de fazer escolhas, dado as condições orçamentárias que encontrou e que com o passar do tempo vem os resultados. “Foi um período de angústia”, comentou o prefeito.

“O caos que estava a prefeitura necessitava de medidas duras e acredito que todas as medidas para reverter a situação caótica, nós tomamos. As decisões no momento não são bem compreendidas, mas com o passar do tempo conseguimos reverter a péssima situação que o município atravessava e embora longe do ideal, hoje podemos ver uma luz no fim do túnel”, explicou Amarildo.

O chefe do Executivo disse que os investimentos foram retomados e que no momento, Vargem Grande do Sul está com cerca de 25 obras em andamento, sendo na saúde, educação, asfaltamento e que conseguiu quase R$ 29 milhões de recursos junto ao governo federal e estadual para investir no município.

As metas para este ano

Além dos investimentos básicos em saúde e educação, os gastos maiores que o prefeito pretende realizar em 2020 são no SAE-Serviço Autônomo de Água e Esgoto. Recentemente a Câmara aprovou um empréstimo no valor de R$ 3,4 milhões, cujo dinheiro será usado na construção de três novas adutoras, cinco novos reservatórios e troca de encanamentos velhos, a começar pela Vila Santana, desde os canos da rua, até os que entram nas casas, em 2021 será vez do Centro, 2022 a troca serão os canos da Vila Santa Terezinha e em 2023  a Vila Polar e adjacências.

Também o prefeito fez questão de ressaltar os investimentos feitos nas imediações da Av. Alice Buosi, com o asfaltamento da avenida e a construção da nova ponte junto ao Rio Verde, ligando ao Jardim Fortaleza, que também vai interligar com a Via Expressa Antônio Bolonha.

Outro investimento que a prefeitura irá realizar, será com relação à saída da cidade para São Sebastião da Grama, onde o prefeito pretende mudar a entrada da cidade naquela região. Também planeja abrir algumas novas ruas e continuar a pavimentação e recapear ruas de diversos bairros.

Questão da Sabesp

Ao ser indagado sobre os estudos para terceirização do sistema de água em Vargem Grande do Sul, com preferência para a Sabesp, Amarildo disse que o SAE é viável se tiver boa gestão e pode tornar um modelo a ser seguido. Explicou que nos dois primeiros anos de sua gestão pagou as contas deixadas pela administração passada. Em 2019 afirmou que houve um superávit de R$ 1 milhão no SAE e que espera para 2020, um superávit de R$ 1,5 milhão no órgão.

“A questão é de ter capacidade para investir. Isso leva muito tempo, pois as cifras são altas para resolver todos os problemas. A população terá de ter paciência, pois a capacidade de investimento do SAE é pequena, perante tudo que tem de ser feito para tornar o tratamento de água e a distribuição um exemplo”, afirmou o prefeito.

O jornal apurou que se fosse terceirizado os serviços de água para a Sabesp ou outra empresa, quem vencesse a concorrência iria investir de imediato muitos milhões de reais para adequar todo o serviço de água e esgoto. Como explicou o prefeito, sem a terceirização, o povo terá de ter paciência, pois não sobra muito dinheiro para atacar todos os problemas de uma vez.

Pelo que deu a entender o prefeito à reportagem, a possibilidade de o município terceirizar a água e o esgoto este ano para outras empresas, é praticamente nula.

A escola Flávio Iared será entregue este ano?

A construção da escola que leva o nome do professor Flávio Iared, localizada no alto do Jardim Fortaleza teve início no final da primeira gestão de Amarildo, que se findou em 2012. Desde lá, as obras foram paralisadas durante a gestão do ex-prefeito Celso Itaroti e retomaram com Amarildo em 2017. Projetada para ser uma das maiores do município, com os alunos permanecendo em período integral nas salas de aula, o prefeito afirmou que vai trabalhar para entregar a escola ainda este ano.

“Também vamos entregar as duas creches em construção, uma no Jd. Ferrri e outra no Jd. Paraíso II e no mês que vem a reforma da escola Mário Beni. Acredito que este ano também voltamos a dar continuidade na reforma da Escola Carril”, falou Amarildo sobre seus planos para a Educação em 2020.

Ano político, candidato à reeleição

Além de declarar que é candidato à reeleição, matéria que foi publicada na edição passada, o prefeito Amarildo Duzi Moraes teceu comentários sobre o ano de 2020, quando ocorrerão as eleições municipais em outubro. Disse que por ser um ano eleitoral, vai intensificar a busca por verbas junto aos governos estadual e federal.

Afirmou que tem uma relação muito boa com alguns secretários do governador Doria, que é do seu partido. Citou os secretários Marco Vinholi, de Desenvolvimento Regional; o vice-governador Rodrigo Garcia do DEM; o secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido e com o secretário da Educação Rossieli Soares, além de outros. Também citou o bom relacionamento com deputados estaduais, como é o caso do deputado Barros Munhoz, atualmente no PSB.

Essa boa ligação com os membros do governo do Estado, tem propiciado um volume de recursos considerável para o município, afirmou. Com o governo federal, Amarildo citou que tem conseguido repasse de verbas através de emendas dos deputados Luiza Erundina do PSOL, Baleia Rossi do MDB, Arnaldo Jardim do Cidadania, Samuel Moreira do PSDB, Paulo Teixeira do PT, dentre outros.

Relação com os vereadores

Ao ser indagado sobre a relação com a Câmara Municipal para enfrentar os desafios de 2020, o prefeito disse que está mantendo uma relação bastante amistosa com os vereadores, de muito respeito e que os membros do Legislativo de Vargem têm contribuído para tirar a cidade do caos que se encontrava e que a participação dos vereadores é essencial para bem administrar a cidade.

Sobre a nova presidência da Câmara, cujo presidente é o vereador Paulo César da Costa do PSB, o prefeito disse que continua essa boa relação, pois já mantinha com o mesmo uma ótima convivência e que poderá ser mais ampla ainda, em virtude da importância do cargo que ele agora ocupa.

Construção de novas casas populares

Uma das perguntas ao chefe do Executivo foi com relação à construção de novas moradias populares no município. Amarildo respondeu que no ano passado, conversando com o secretário da Habitação, ficou definido que o projeto é vender os terrenos inservíveis da prefeitura que a Câmara autorizou e com o recurso, adquirir uma área para a construção de 200 a 300 novas moradias populares. Serão mais de 10 terrenos e a concorrência vai acontecer no próximo dia 20 de fevereiro.

Construção de 100 apartamentos

Paralelamente, o prefeito explicou que a prefeitura vai disponibilizar de três a cinco terrenos de sua propriedade para a construção ainda este ano de prédios de apartamentos de até quadro andares. “O objetivo é construir em cada prédio 20 apartamentos, através do programa Minha Casa Minha Vida e com o apoio da CDHU. Serão cerca de 100 apartamentos, através do programa Casa Paulista, que tem um subsídio do governo do Estado e do governo federal”, disse Amarildo.

A questão dos servidores públicos

A relação do prefeito com os funcionários públicos, que anda um tanto desgastada, principalmente com relação aos aumentos pretendidos pela classe dos servidores públicos municipais, foi abordado também na entrevista.

O prefeito afirmou que a exemplo do que já fez anteriormente, vai analisar as condições financeiras da prefeitura. “Pode ter certeza que com responsabilidade, sem prejuízo para a população, vamos buscar o máximo que for possível em termos de reajuste salarial e auxílio alimentação este ano”, concluiu.

Apreensão com o hospital

A difícil situação pela qual passa o Hospital de Caridade da cidade foi objeto da pauta da entrevista com o prefeito Amarildo. Atualmente o município paga ao Hospital um valor de R$ 1.400.000,00 e o hospital presta serviços à prefeitura, através de internações e cirurgias eletivas. Não existe mais subsídios ou repasses como antigamente, pois a lei atual não permite.

O contrato atual como o hospital vai até abril deste ano e o prefeito disse que vê com apreensão a situação do mesmo, pois há um grande déficit mensal e também uma dívida grande junto aos bancos que o hospital vem pagando mensalmente e também há atraso no pagamento dos médicos.

O prefeito disse que se reuniu com a provedoria e os médicos algumas vezes no final de 2019 e que este ano pretende melhorar o valor do contrato dentro das possibilidades financeiras da prefeitura. A questão das cirurgias eletivas foi perguntada ao chefe do Executivo, e ele disse que não estão sendo suficientes o que o hospital local presta, para atender a demanda e por isso a prefeitura tem encaminhado para o hospital de Divinolândia muitos pacientes de Vargem Grande do Sul, fora a cota SUS.

“A fila em Vargem Grande do Sul é grande, cerca de 300 cirurgias para serem realizadas e no próximo contrato a ser feito com o Hospital de Caridade, deverá ficar mais claro as obrigações do hospital com relação a estes pacientes”, afirmou.

Vai ter carnaval este ano?

A pergunta foi feita ao prefeito no seu gabinete, durante a entrevista realizada na semana passada. Amarildo afirmou que está analisando as possibilidades, mas que estaria encontrando dificuldades financeiras para realizar o evento.

Explicou que um carnaval dos mais simples, custaria aos cofres municipais algo em torno de R$ 150 mil. Falou que a infraestrutura é cara e que se fosse pensar em algo maior, como uma banda regional, padrão Banda Gênese, o valor pularia para cerca de R$ 300 mil.

“Até o final da semana que vem teremos uma resposta final relativa ao carnaval. Seria algo bem mais simples, estudamos os locais”, afirmou. Perguntado se o carnaval poderia ser feito novamente na Praça da Matriz, o prefeito não descartou a possibilidade, mas dado os gastos que envolvem com a segurança, é bem difícil que os bons carnavais dos velhos tempos realizados na Praça da Matriz voltem a acontecer.

Instalação do Centro de Especialidades Médicas

Uma das questões que o prefeito mais detalhou na entrevista, foi com relação à saúde do município. Hoje o setor é o que mais verba consome do orçamento municipal, com investimentos na ordem de 30% do que arrecada a prefeitura. A lei fala em 15%, segundo explicou o prefeito.

Para 2020, está previsto a instalação do Centro de Especialidades Médicas, no prédio da UPA, localizada na Via Expressa Antônio Bolonha. Amarildo disse que quando assumiu havia três especialidades e que agora são 12 e até o final deste ano pretende chegar a 15 especialidades médicas, inclusive geriatria. Todo o atendimento destas especialidades que aconteciam no Centro de Saúde, passarão a acontecer no Centro de Especialidades Médicas.

Informou também que todo o setor de transporte da saúde e o setor de ambulâncias será concentrado junto ao prédio do Centro de Especialidades Médicas. No local também vai funcionar a regulação e também será onde os pacientes vão marcar exames e consultas.

Durante a entrevista, Amarildo falou com bastante entusiasmo dos resultados que o setor vem obtendo com o mutirão de consultas e procedimentos na área de oftalmologia, com as cirurgias de catarata que o município vem oferecendo à população.

O aumento do número de medicamentos e exames de ressonância, tomografia, endoscopia, raio x, mamografia, foi citado pelo prefeito que disse que agora o objetivo é reduzir o tempo de espera para estes exames.

A troca da antiga UTI móvel por uma nova, com investimentos no valor de R$ 300 mil, é outra conquista realçada pelo prefeito. Adquirida em 2009 no primeiro mandato de Amarildo, a UTI apresenta problemas mecânicos crônicos e vai ser retirada da frota. Também serão compradas mais vans e ambulâncias para o transporte de pacientes. Hoje a Saúde tem 26 veículos. “Na nossa gestão compramos 15 novos veículos de transporte e reformamos quase todo o restante. Pegamos uma frota totalmente sucateada e hoje temos a melhor frota da região”, afirmou.

Outra boa notícia dada para quem procura a saúde municipal, é que nos próximos dias, segundo o prefeito, vai funcionar a farmácia de alto custo, junto à farmácia existente no Centro de Saúde. Informou que a estrutura está pronta e está recebendo os equipamentos necessários para começar a operar.

Com relação à doação de remédios, disse que nos próximos 60 dias vai funcionar no Posto de Saúde do Jd. Dolores, uma farmácia para atender a população que mora nos bairros localizados acima do asfalto.

PPA será reformado

Dentro de noventa dias, segundo afirmou o prefeito na entrevista ao jornal Gazeta de Vargem Grande, as instalações do Posto de Pronto Atendimento-PPA vão ser transferidas para o Centro de Saúde, ao lado do Hospital e será iniciada uma reforma no prédio do PPA, com algumas adequações em salas médicas.

Explicou que hoje atuam três médicos no local, sendo que uma das salas é improvisada, além da correção de outros problemas que a unidade possui. O prédio após as reformas, será pintado e haverá mudança no layout do mesmo, com investimentos previstos entre R$ 300 a R$ 350 mil, com um prazo estipulado em três meses para ficar pronto. Com a reforma, haverá plantão de 12 horas todos os dias úteis para atendimento de pediatria.

Novo distrito industrial

No final da entrevista o prefeito abordou a questão de geração de empregos na cidade. Disse que o desemprego é uma questão nacional, pois com a crise econômica o Brasil hoje tem 12,6 milhões de desempregados, segundo os últimos dados. Vargem também, segundo Amarildo, sofre as mesmas consequências.

O esforço que sua administração tem feito, foi o de buscar novas empresas para se instalar no Distrito Industrial José Aparecido da Fonseca-Tota, que está com sua capacidade de doação de terrenos praticamente esgotada. Outro trabalho apontado por ele, foi que empresas que receberam lotes em administrações anteriores e não estavam gerando empregos e renda, foram aos poucos sendo substituídas no distrito industrial.

“E um trabalho lento, até a empresa construir suas instalações e passar a produzir e gerar empregos, demora mais de um ano, às vezes, mas os resultados vão aparecendo, tanto que restam pouquíssimos lotes a serem doados no distrito e têm várias empresas na lista de espera”, afirmou.

Para atender a procura de terrenos por novas empresas, disse que a Câmara aprovou a venda dos lotes da prefeitura onde localizavam a antiga rodoviária e o mercado municipal, cuja verba será usada na compra de uma nova área para expansão industrial do município. Os lotes já foram colocados à venda e por enquanto ainda não teve compradores, mas nova concorrência deverá ser realizada em breve.

Por fim, o prefeito ressaltou o grande número de cursos de capacitação de mão de obra que a prefeitura vem realizando com o SESI, SESC, SENAR, principalmente junto aos jovens e que este ano vai ter continuidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui