Cooperbata elege novo Conselho Fiscal e repassa sobras de capital aos cooperados

0
1203
Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente Lucas Ranzani, ao centro

Atendendo ao Edital de Convocação publicado na imprensa local, foi realizada no domingo, dia 1º de março de 2020, às 8h, no auditório da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Vargem Grande do Sul, a Assembleia Geral Ordinária da Cooperativa dos Bataticultores da Região de Vargem Grande do Sul (Cooperbatata), tendo em pauta a prestação de contas dos órgãos da administração, que foram acompanhadas do parecer do conselho fiscal e auditoria externa; aprovação das contas do exercício de 2019; destinação das sobras/perdas apuradas; eleição dos componentes do conselho fiscal para o exercício ano 2020/2021 e fixação de honorários para a diretoria.

A assembleia foi conduzida pelo presidente Lucas Lemos Ranzani e a mesa diretora dos trabalhos foi composta também pelo vice-presidente, Carlos Alberto Oliveira Filho, pelo gerente geral da Cooperbatata, Régis Dotta, pelo contador Lucas Ferreira Filho, que falou sobre a prestação de contas e pelo gerente da unidade de armazenamento Antônio João Cavalmoretti, que discorreu sobre a necessidade da construção de mais um silo para a cooperativa.

Com a presença de quase uma centena de cooperados, que receberam as boas vindas do presidente Lucas Ranzani, primeiramente foi apresentado um vídeo comemorativo aos 20 anos de fundação da Cooperbatata, com o depoimento de vários produtores como Paulo Zan, Fernando Milan Sartori, Carlos Alberto de Oliveira Filho, Marlene Aparecida Canela, Ângela Maria de Oliveira Marão, Hildeberto Aparecido Franco de Oliveira, Celso Carlos Roqueto, Ismael Cazarotto, Hélio Donizetti Lopes de Almeida, Daniel Rosseto, dentre outros, que falaram sobre o sucesso da Cooperbatata nestes anos todos e da sua importância na melhoria da produtividade e dos ganhos no dia a dia dos associados, contribuindo principalmente para a melhoria de vida dos pequenos e médios produtores.

Também nos depoimentos, foi deixado clara a importância da participação do cooperado Carlos Alberto de Oliveira Filho, o Betão, na criação da entidade; da responsabilidade com a utilização da terra e o meio ambiente e do significado da agricultura para o desenvolvimento do Brasil.

Com a palavra, o contador Lucas Ferreira Filho passou a explicar aos presentes o resultado das contas do exercício de 2019, cujo faturamento bruto foi de R$ 119.881.571,00, um dos melhores anos da empresa e a devolução das sobras de capital aos cooperados perfizeram um total de R$ 689.553,00, que seriam rateados na proporção do que compraram na cooperativa.

Votações

Após a prestação de contas dos órgãos da administração e os respectivos pareceres do conselho fiscal e da auditoria externa, as mesmas foram colocadas em votação, sendo aprovadas por unanimidade dos presentes. Discutiu-se então sobre os honorários da diretoria, cujos membros não são remunerados, mas foi aprovado a remuneração do presidente por ser cargo que exige dedicação integral, como nos anos anteriores.

Em seguida, foi colocada em votação junto aos cooperados presentes a constituição do novo conselho fiscal, com as cédulas sendo votadas e por 59 votos foram eleitos os novos conselheiros fiscais. O presidente Lucas agradeceu aos membros da diretoria pelo desempenho realizado no ano passado e deu as boas vindas aos eleitos. Momento que o gerente geral Régis Dotta tomou a palavra e pediu que os antigos diretores continuassem a participar das reuniões da diretoria, pois quanto mais cooperados participarem, mais acertos vão acontecer.

Futuro e desafios

Com a palavra, o gerente da unidade de armazenamento, Antônio João Cavalmoretti comentou sobre a necessidade de se aumentar a capacidade de armazenamento do complexo de silagem, com a construção de mais um silo com capacidade de 18 mil toneladas, além das 42 mil já instaladas. A instalação do novo silo e mais outros equipamentos, está orçada em aproximadamente R$ 8,5 milhões, mas ele acredita que com as negociações o valor deve cair. O dinheiro a ser usado nos investimentos seria captado junto à rede bancária, aproveitando a melhor proposta de juros mais baixos. A proposta também foi aprovada pelos presentes e foi solicitada a criação de uma comissão para tratar do assunto.

Sobre a questão, o vice-presidente Carlos Alberto de Oliveira Filho falou das dificuldades atuais que poderia afetar os produtores, como a demora para os caminhões serem descarregados, situação que com as chuvas pioram. Pediu bom senso aos cooperados na hora de ver quem vai primeiro descarregar, pois deve-se observar a condição do produto, da sua umidade, como no caso da soja.

“Temos pressa com a obra, que deve ficar pronta para a próxima safra e acreditar no que vamos construir, não tem porque parar de crescer. Temos credibilidade, que não é nossa, não é minha, é de todos os cooperados”, afirmou aos presentes.

Combustível

Outra questão tratada foi com relação à implantação da atividade de Transportador-Revendedor-Retalhista (TRR) junto à área administrativa e também de silagem, que fica na rodovia SP 215, na cidade de Casa Branca. Foi dito que houve a aprovação da instalação pelos órgãos competentes e foram comprados os aparelhos e os caminhões para iniciar os trabalhos de comercialização de óleo diesel aos cooperados o mais breve possível.

O presidente Lucas Ranzani afirmou que com a instalação do TRR, a cooperativa visa a qualidade, pois o óleo diesel é usado em máquinas caríssimas dos produtores e precisa ter uma qualidade à altura dos equipamentos.

Trabalho Social

Finalizando, o presidente teceu comentários sobre a Associação Setembro, que vem prestando uma grande contribuição às entidades da cidade e que tem na Cooperbatata e seus membros os principais incentivadores. Lucas pediu a participação de todos na ajuda à Associação Setembro e por fim agradeceu a todos os presentes e fez uma menção aos funcionários da Cooperbatata, desde os que se ocupam com trabalhos mais simples até os gerentes, a quem agradeceu também pelo sucesso da cooperativa.

Foram então convidados os presentes a receberem os cheques referentes às sobras de capital, sendo o primeiro a receber o produtor e cooperado Carlos Alberto de Oliveira Filho, o Betão, que de imediato ao receber sua parte a repassou ao presidente Lucas Ranzani para que o mesmo destinasse a quantia à Associação Setembro.

Fotos: Reportagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui