Centro Oftalmológico de Divinolândia atende 300 pacientes por dia

0
551
Sede do Conderg, em Divinolândia

O Centro Oftalmológico de Divinolândia (SP) completou oito anos no dia 17 de fevereiro. No local são realizados atendimentos 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS), por intermédio de uma parceria entre os municípios que compõe o consórcio com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Os procedimentos realizados são ambulatoriais de glaucoma, retina clínica e cirurgia, córnea, estrabismo, plástica e reabilitação visual, cirurgias de catarata e vítreos, pterígio, estrabismo, glaucoma, retina cirúrgica, oftalmoplástica, tratamentos de fotocoagulação, yag laser e iridotomia.

Também são realizados exames de campo visual, microscopia, biometria, paquimetria, ceratometria, auto refrator, tonometria a ar, tomografia de coerência Óptica (OCT) de mácula e nervo, angiografia e Ecografia.

De acordo com o presidente do Conderg, o prefeito de Vargem Grande do Sul, Amarildo Duzi Moraes (PSDB), a média de atendimento diário é de 300 pacientes, ou seja, algo em torno de 6.500 pacientes por mês, podendo ultrapassar 7 mil atendimentos nos meses que tiver cinco semanas. Também gratuitamente é feito a entrega de 250 óculos mensais.

Amarildo informou que o Centro usa equipamentos de última geração, por isso há a necessidade de sempre atualizá-los ou mesmo adquirir novos equipamentos e para isso é necessário buscar recursos junto a parlamentares estaduais e federais, o que, segundo ele, tem trazido um ótimo resultado, com diversas liberações e consequentemente, a aquisição destes novos maquinários.

Desafios

Para Amarildo, o grande problema vivenciado pelos municípios é a baixa cota de consultas, procedimentos e cirurgias oferecidas pelo SUS, sendo que todos os municípios possuem uma longa fila de espera na área oftalmológica.

O presidente do Conderg comentou que o aumento da cota SUS para os municípios depende da liberação de recursos do governo estadual e federal, e apesar dos pedidos das prefeituras, não existe expectativa de liberação em curto prazo.

Amarildo comentou sobre a situação de Vargem Grande do Sul. “Vargem é uma exceção, pois desde o ano passado vem contratando serviços a parte, ou seja, pagando consultas, procedimentos e cirurgias fora da cota SUS, permitindo ao município neste mês de março ‘zerar’ a fila para consultas e procedimentos e no máximo até o final de abril ‘zerar’ a fila de cirurgias de catarata”, disse.

“Aliás, a exemplo de Vargem, Espirito Santo do Pinhal que é outro município do consórcio, também começou a contratar serviços a parte, objetivando reduzir a fila de espera no seu município”, completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui