Vargengrandenses estão na busca por itens para prevenir coronavírus

0
950
Em algumas farmácias, produto já está em falta. Foto: Reportagem

Vargengrandenses estão na busca por itens para prevenir coronavírus

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira, dia 6, o 13º caso de coronavírus no país. Em Vargem Grande do Sul, a procura de máscaras e álcool gel pela população cresceu. Algumas farmácias da cidade  registram falta dos utensílios, assim como em São João da Boa Vista.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou durante uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 27, que o uso de máscaras de proteção é indicado apenas para pessoas que já contraíram o coronavírus (Covid-19) ou com suspeita, como forma de prevenir a transmissão da doença. Portanto, pessoas que não apresentam os sintomas não precisam recorrer a esse recurso, a menos que tenham contato direto com alguém suspeito ou infectado. Mesmo assim, a população está comprando o produto.

Com relação ao álcool em gel, o Ministério da Saúde informa que a sua utilização como medida de prevenção às doenças transmissíveis é eficaz e importante para evitar a disseminação do vírus.

Trabalhadores de uma farmácia localizada no Centro informaram que a procura está grande a ponto de todos os dias chegar os itens e no mesmo dia eles acabarem, sendo necessária a reposição no dia seguinte.

Em outra drogaria, também do Centro, os atendentes relatam que as máscaras já estão em falta, sendo impossível encontrar até mesmo nas distribuidoras, que não dão previsão para a chegada. O álcool gel, como informaram, está sendo encontrado com mais facilidade.

Já os representantes de uma farmácia no Jardim Bela Vista pontuaram que há procura, mas nada exagerado. Segundo disseram, ainda estão tranquilos e sem problemas com o abastecimento e com as vendas.

Na Vila Santa Terezinha, o atendente de uma farmácia comentou que a procura da população está grande, mas que ainda possuem os itens em estoque. Conforme o informado, na semana passada conseguiram comprar os produtos e garantiram uma grande leva. No entanto, agora já não conseguem achar mais para comprar, pois estão em falta em diversas distribuidoras.

Em uma farmácia no Jardim Cristina II já não é possível encontrar álcool gel e máscaras. Segundo informaram, não está sendo possível abastecer, pois o fornecedor deu previsão apenas para a próxima semana.

O valor das máscaras em Vargem Grande do Sul varia de R$ 0,40 a R$ 0,50. Já o preço do álcool gel pode ser encontrado por R$ 4,00 a R$ 5,00 no menor tamanho, e R$ 13,00 a R$ 15,00 no maior tamanho.

Em São João, de acordo com o Jornal O Município, na segunda-feira, dia 2, algumas farmácias já registravam falta de máscaras, álcool gel e até luvas descartáveis. Segundo o jornal, em uma delas, localizada no Centro, uma atendente afirmou que luvas e álcool gel acabaram na quinta-feira, dia 27. Já as máscaras acabaram há cerca de uma semana e não há previsão de reposição do estoque

Casos

De acordo com o informado, pela primeira vez foi detectada a transmissão local, ou seja, em pacientes que não estiveram em um dos países atingidos pela doença. Segundo o portal de notícias G1, a irmã e a sobrinha de um homem de 61 anos, que esteve na Itália, tiveram resultados positivos para os exames do Covid-19.

Para o Ministério da Saúde, apesar dos dois casos transmitidos localmente, ainda não há indícios de que o vírus esteja circulando no país. Isso porque ainda é possível identificar a fonte provável da transmissão do vírus

Dos casos confirmados, 10 estão em São Paulo, um no Rio de Janeiro, um no Espírito Santo e um na Bahia. Em todo o mundo, o coronavírus já afetou mais de 93 mil pessoas, das quais 3.000 morreram, sendo a maioria na China.

No estado de São Paulo, até a quinta-feira, dia 5, havia 222 suspeitos da doença. Até a data, 159 casos suspeitos registrados já haviam sido negativados, sendo um deles em Águas da Prata.

Dengue

Em uma semana, Vargem Grande do Sul registrou mais oito casos confirmados de dengue em 2020. De acordo com o Departamento de Saúde da Prefeitura Municipal, na última sexta-feira, dia 6, a cidade contabilizou 25 casos positivos e 35 notificações. As outras 10 notificações foram negativas. Dos casos confirmados de dengue, seis são importados, ou seja, pegos em outros municípios

Aedes aegypti transmite dengue, febre amarela, zika e chikungunya. Foto: Reprodução Internet

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui