Fotógrafo amador participou do Terra da Gente

0
1083
Luís fotografa por hobby e sonha em fotografar profissionalmente

O programa Terra da Gente exibido pela EPTV no último sábado, dia 7, contou a história de Luís Henrique Leite, morador de Vargem Grande do Sul. Luís, que é trabalhador rural e fotógrafo amador, foi um dos vencedores do concurso de fotografia promovido pela Gazeta de Vargem Grande, em setembro de 2019.

Ao jornal, ele contou como foi parar no Terra da Gente. Segundo ele, em julho do ano passado, foi convidado por um amigo que mora em São João Batista do Glória (MG) para participar de uma reportagem na Serra da Canastra sobre a fauna e flora da região. na ocasião, ele conheceu um repórter do Terra da Gente, que se interessou pela sua história.

“Até então eu não conhecia o pessoal do programa, apenas a Nanda Porto virtualmente, porque em 2017 ela fez uma matéria comigo para o site do Terra da Gente. Lá na reportagem, durante uma conversa, o repórter, que se chama Paulo, perguntou sobre minha profissão e eu contei que trabalhava na roça daqui de Vargem e em São Roque da Fartura carregando batata e cebola”, disse.

Luis contou que o repórter então perguntou como era o trabalho e ele mostrou umas fotos. “Ele disse que achava que eu fotografava profissionalmente, mas eu expliquei que a fotografia para mim é hobby. Então Paulo disse que minha história dava uma matéria no Terra da Gente e perguntou se eu topava. Eu disse que sim”, falou.

O fotógrafo amador contou que as filmagens da reportagem foram feitas em novembro do ano passado. Segundo ele, a data foi escolhida em decorrência do serviço, já que estariam colhendo batata em São Roque da Fatura. “Dei o palpite da data, pois associava com o cotidiano de serviço com a fotografia, que é o que eu faço. Eu trabalho na lavoura e quando termino o dia, saio fotografando”, comentou.

Sonho realizado

Luís disse que participar do programa foi como ter um sonho realizado. “A princípio eu sou fã do Terra da Gente desde quando ele existe. Gosto muito de programas de natureza, com passarinho, ecológico. Então, participar desse programa, juntando as coisas, me deixou satisfeito. Foi bom por vários fatores, foi a realização de um sonho que eu não esperava, pois eu jamais pensei um dia participar, apesar de ser fã do programa”, falou.

O trabalhador rural pontuou que nunca fotografou com o intuito de participar de programas ou colocar fotos em concursos e competir, e sim porque ama a fotografia.

Para Luís, ter participado do programa é positivo até para seu emocional e pode abrir portas no ramo da fotografia. “É muito bom e eu penso que através deste programa eu saio do anonimato, apesar de que, graças a Deus, eu já tenho muitos amigos na fotografia e sou bastante reconhecido. Mas, de repente, isso pode abrir alguma porta de emprego no ramo da fotografia para mim. O legal de participar desse programa é isso e eu espero um retorno, não financeiro, mas em trabalhos relacionados a fotografia”, falou.

Repercussão

O fotógrafo amador falou à Gazeta que não esperava que a repercussão fosse como foi. Ele contou que no mesmo dia, assim que acabou o programa, recebeu muitas mensagens parabenizando, tantas que nem conseguiu falar a quantia. Nas redes sociais, segundo ele, o link também foi muito compartilhado.

“Tinha muitos comentários, eu nunca recebi tanto comentário assim em fotografias minhas igual dessa vez. A repercussão foi muito boa, foi de uma maneira que eu não esperava de jeito nenhum”, disse. Luís contou que a produção do programa também foi procurada por pessoas para saber mais informações a seu respeito.

A repercussão também surtiu efeito em seu perfil no Facebook. “Antes do programa eu tinha 10 solicitações de amizade. No mesmo dia, até a noite, eu estava com 150 solicitações, então aumentou muito o número de seguidores”, comemorou.

Gazeta

Luís participou do concurso de fotografia da Gazeta, em setembro de 2019, e três de suas fotos ficaram entre as mais votadas pelos jurados. Ele contou que nunca havia colocado fotos suas em concurso e que no do jornal, quis colocar por morar em Vargem há 31 anos e amar a cidade.

“Eu sempre tiro fotos em Vargem e sempre dá boas fotos. Quando surgiu o concurso da Gazeta eu pensei que era uma oportunidade de mostrar minhas fotos de Vargem. A principio, o que mais me veio a cabeça foi a Igreja Matriz de Sant’Ana, porque eu sou apaixonado por igreja. Então eu queria bolar uma foto diferente de lá. Já fiz fotos de vários ângulos, mas das fotos que eu coloquei no concurso, duas ou três foram de ângulos que eu nunca tinha feito em Vargem e mandei foto do Cristo também”, disse.

“Eu não mandei as fotos pensando em ganhar o concurso, o que eu quis mesmo era participar. Eu sabia que muita gente boa participaria, pois Vargem tem bons fotógrafos e hoje em dia muitas pessoas gostam da fotografia, inclusive aqui em Vargem. Não coloquei as fotos com o intuito de ganhar o concurso, mas sim de mostrar os lugares bonitos de Vargem, que era o intuito do concurso”, completou.

“Foram coisas que aconteceram próximas uma da outra, são coisas boas que a fotografia está me trazendo. Eu vivia no anonimato, só trabalhando e em casa e aí comecei a trabalhar e dei esse passo para as pessoas me conhecerem pela mídia, primeiro pelo jornal, redes sociais e agora a televisão”, falou.

Luís lembrou que quando algumas de suas fotos ganharam no concurso da Gazeta, muita gente ainda não o conhecia em Vargem. “As pessoas até me viam no Facebook, mas não imaginavam que eu era de Vargem. E essa foi uma oportunidade de mostrar que eu sou daqui, pois eu faço questão de mostrar que eu sou de Vargem. No programa também, foi super legal, é tudo coisa boa que esperamos um bom retorno”, pontuou.

Futuro

Luís disse que pensa em um dia viver profissionalmente da fotografia. “Pois eu vou estar fazendo o que eu gosto e ganhando dinheiro com o que eu gosto, e nada melhor que trabalhar com aquilo que gostamos. A principio eu não vou fazer isso agora, pois meu equipamento ainda não é compatível”, falou.

“Eu fotografo com uma camerazinha compacta que tem me quebrado o galho e ela é legal para foto de redes sociais, mas para fotos profissionais ela já não serve. Então penso sim, de um dia quem sabe, conseguir um equipamento, que é meu sonho e eu não descarto, viver da fotografia. Tanto de evento, casamento e aniversário, como poder aproveitar as fotografias de natureza que eu gosto muito de fazer, de por do sol, de lua, eu acho que dá para explorar esse lado de fotografia de natureza e poder viver profissionalmente disso”, finalizou.

Sobre a foto

Luís tirou essa fotografia da lua ao amanhecer da quarta-feira, dia 11, dia seguinte da aparição super lua da terça-feira, dia 10. Ele contou como fotografou a paisagem.

“Começou desde o dia anterior, na terça-feira o pessoal começou a postar foto da super lua e eu não havia feito nenhuma, pois o céu estava encoberto e eu não queria fazer foto da lua em si, só dela, pensei em fazer uma composição. Na quarta-feira eu estava saindo para o trabalho, por volta das 6h15, e assim que sai no portão já vi a lua que estava bem grande, pois ia se por. Eu fui de Vargem a São Roque da Fartura de motocicleta procurando um local para fazer uma composição da lua com alguma coisa. No caminho eu não consegui fazer nada, ainda que não conseguia parar para fazer, pois tinha hora para chegar no trabalho”, contou.

Luís comentou que chegou ao serviço frustrado por não ter feito nenhuma foto e ela já iria se por. “No serviço, vi ela sobre o Mirante e pensei em fazer algo, mas já ia iniciar o trabalho às 7h. Aí fui fazer correndo. No lugar que eu estava, ela estava alta, e eu queria fazer ela encobrindo na montanha, aí sai mais para baixo e fui procurando alguns ângulos diferentes. No entanto, a ideia da árvore que está na frente dela veio de última hora, porque eu pretendia encobrir ela na vegetação. Quando vi a árvore, mudei minha posição e deixei a árvore no meio dela e, entre todas, foi a que eu mais gostei”, falou.

“Engraçado que no caminho para o serviço eu fui namorando ela e ela me namorando, parecia que ela pedia para ser fotografada. Enquanto a olhava, pensava em como Deus é bom. Ele me deu esse dom da fotografia, pois nunca fiz nenhum curso, e direciona meu olhar e prepara essas cenas lindas, que às vezes passam até despercebidas, já que enquanto fazia a foto o pessoal até comentou que eu estava fotografando a lua e eles nem haviam reparado que ela estava ali. Uma baita lua daquela e o pessoal não estava vendo. Não é uma foto difícil de fazer, na verdade é até fácil, o único problema é a resolução, que acaba sendo baixa. Meu sonho é conseguir um equipamento pelo menos semi profissional, para ter uma qualidade melhor nas fotografias e conseguir mostrar algo melhor para as pessoas”, finalizou.

Fotos: Arquivo Pessoal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui