Tentou forjar roubo do próprio carro e foi preso

2
4436
Delegacia da Polícia Civil em Vargem Grande do Sul. Foto: Arquivo Gazeta

Um morador de São Sebastião da Grama foi preso em Vargem Grande do Sul na manhã de terça-feira, dia 31, por fraude para recebimento de indenização ou valor de seguro ao tentar fazer um boletim de ocorrência sobre um roubo que não ocorreu.
O homem alegava ter tido sua Saveiro roubada. Ele relatou que transitava em sua caminhonete pela rodovia SP-344, no sentido Grama a Vargem e, após passar pela Fazenda Império, passou sobre algo na rodovia e parou para verificar eventuais danos.
Segundo ele, enquanto estava no acostamento observando o veículo, foi abordado por dois indivíduos, que anunciaram o assalto ao se aproximarem, e ordenaram que ele permanecesse de cabeça baixa. No entanto, a vítima disse que não conseguiu observar se estavam no poder de armas e que foi conduzida a uma caminhonete preta, cabine dupla, mas não pôde observar marca ou modelo.
No carro, segundo ele, mais um indivíduo aguardava na direção e a vítima não viu nem em que momento deixou o local e nem o rumo que o veículo tomou, permanecendo no poder dos três assaltantes por cerca de meia hora.
A vítima contou na delegacia que eles dirigiram por uma estrada de terra batida e em seguida retornaram à rodovia, onde o deixaram próximo ao local que havia sido abordado, ordenando que ele não levantasse a cabeça até que deixassem o local. O homem, então, disse que pediu carona a um desconhecido que o deixou em Vargem para comunicar o ocorrido às autoridades.
Segundo o boletim registrado, na delegacia foram coletados os dados e informações necessárias e imediatamente a equipe de investigações passou a buscar elementos que ajudassem a compor a versão da vítima, que estava confusa ao explicar para onde estava indo, porque não estava em posse do celular e nem qual seria a companhia seguradora contratada para assegurar seu veículo.
Os policiais civis Diego e Felipe, acompanhados da vítima, fizeram buscas ao local onde o indivíduo alegava ter acontecido o roubo, nas proximidades da Fazenda Império, que contém sistema de câmeras de monitoramento.
Os policiais checaram as imagens captadas pelas câmeras, que constataram que em nenhum momento, no horário mencionado, ele havia passado pelo local conduzindo o veículo em questão e também não foi visto nas imagens a outra caminhonete, que a vítima alegava ter sido utilizada pelos criminosos no roubo.
Após estas constatações, de acordo com o boletim, o autuado ficou nervoso e inquieto e no retorno à delegacia, confessou que, na realidade, não havia sido vítima de roubo.
Ele disse que já havia se desfeito do seu veículo há aproximadamente duas semanas, ocasião em que o havia deixado em uma rodovia, próximo à Mogi Guaçu, pois teria combinado com um desconhecido para que pegasse seu veículo e desse um sumiço, para que então, ele pudesse registrar ocorrência e ser indenizado pela companhia seguradora.
Ele informou ainda que não tinha mais como recuperar o veículo, pois não sabia o destino que fora dado a ele. Enquanto isso, o motorista que deu carona ao autuado compareceu à delegacia e confirmou que o havia levado para registrar ocorrência.
Entraram então, em contato com o corretor de seguros de uma seguradora em Divinolândia, que confirmou que o veículo citado é assegurado no local e forneceu cópia da apólice.
Diante dos fatos, considerando os depoimentos das testemunhas e o interrogatório do autuado, as autoridades policiais entenderam que o mesmo destruiu ou ocultou coisa própria com o intuito de receber indenização ou valor de seguro com a ajuda do boletim de ocorrência versando sobre roubo e dano e prejuízo da vítima com o recebimento do seguro, razões pelas quais ele foi autuado em flagrante, sendo recolhido à cadeia pública de São João da Boa vista, permanecendo à disposição da Justiça.

2 COMENTÁRIOS

  1. Excelente reportagem… infelizmente, erraram feio quando colocaram foto da policia militar, quando quem esclareceu o crime foi a POLICIA CIVIL. Poderiam corrigir….

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui