Após muita investigação, Polícia Civil prende membros de grupo que roubava casas

0
2295
Armas e celulares foram apreendidos

Uma minuciosa investigação levou a Polícia Civil de Vargem Grande do Sul a prender membros de uma organização criminosa responsável por furtos e roubos em cidades do Interior. Em uma operação realizada na semana passada, uma equipe da Polícia Civil de Vargem, com apoio de homens de São João da Boa Vista e Aguaí, prendeu dois criminosos na Capital.
Em agosto de 2019, o grupo praticou um roubo em Vargem. De acordo com o delegado Antônio Carlos Pereira Júnior, que comandou a ação, quatro homens roubaram um casal de idosos no Jardim São Luís. O homem de 76 anos e sua esposa de 72 anos saíram na manhã do dia 9 de agosto e ao retornarem, por volta das 12h, surpreenderam três criminosos em sua casa.
O trio já havia separado muitos pertences das vítimas para subtraírem, quando o casal chegou. Dois deles detiveram o morador no quarto e o terceiro manteve a senhora na sala. Antes de saírem, levaram as vítimas ao banheiro e amarraram as mãos dos idosos juntas com o fio de um secador de cabelos e seus pés com um cadarço.
A Polícia Civil foi acionada e com a ajuda da perícia da Polícia Científica foi constatado que os criminosos entraram por um terreno baldio existente na lateral da casa e depois de mover a grade de proteção de uma das janelas, acessaram o interior da casa.
A partir disso, as investigações começaram. De acordo com o delegado, de início foi procurado câmeras de segurança nas vizinhanças, mas nenhuma imagem que pudesse contribuir com o trabalho da equipe foi encontrada. Como os criminosos levaram os celulares das vítimas, a polícia passou a monitorar as conversas feitas por esses aparelhos, para obter alguma informação que pudesse levar aos autores.
De acordo com o delegado, isso demandou um tempo grande, pois o uso do aparelho não era frequente e havia troca constante do chip. Mas, cruzando informações no sistema de pesquisa da Polícia Civil e as conversas monitoradas, foi possível identificar as pessoas envolvidas e, seus endereços.
Inclusive, durante o monitoramento, os policiais de Vargem conseguiram verificar que o grupo planejava um crime em Limeira. Assim, conseguiram alertar a Polícia Civil daquela cidade que acabou prendendo outros dois membros da organização.

Organização criminosa
Com as investigações, a polícia desvendou que quatro pessoas participaram do roubo em Vargem: as três que estavam na casa e um quarto criminoso que estava em um carro do lado de fora, dando cobertura a seus comparsas.
Com a identificação de todos os indivíduos, a Polícia Civil verificou que um deles inclusive é membro de uma facção criminosa. Além de furtos e roubos, o grupo também estava envolvido com o tráfico de drogas.
Segundo o delegado, o mais difícil foi determinar a residência dos envolvidos para efetuar as prisões e cumprir os mandados de busca e apreensão, uma vez que costumavam mudar de casa com frequência. No entanto, a Polícia Civil conseguir determinar que eles moravam em São Paulo e que inclusive um dos quatro, Artur Costa Augusto, já se encontrava preso por um roubo cometido neste intervalo de tempo.

Operação
No dia 21 de maio, com a prisão temporária de todos os envolvidos decretada, além de mandados de busca e apreensão, a Polícia Civil de Vargem, com apoio de policiais de São João e Aguaí foram a São Paulo. A equipe era composta por 13 policiais em quatro viaturas.
Na comunidade de Nova Heliópolis, foi preso Gismar Pereira da Silva, 28 anos. Com ele foi encontrado um dos celulares roubados, além de uma pistola 380 mm com numeração raspada. Ele foi preso em flagrante pela arma e confirmou o crime praticado em Vargem, além, de relatar fazer parte de uma facção criminosa.
Logo depois, na Mooca, foi preso Rodrigo Leite dos Santos, 29 anos, que também confirmou a participação no roubo. No terceiro endereço que a polícia se dirigiu, o criminoso não foi encontrado, mas ao revistar sua casa, os policiais localizaram joias e bijuterias que foram subtraídas da vítima.
Segundo relataram aos policiais, o grupo costumava sair da capital para furtar casas no Interior. O combinado era que Gismar, Rodrigo e o terceiro envolvido pagavam as despesas da ida e Artur, que era dono do carro, os custos da volta. No dia do roubo em Vargem, eles saíram de São Paulo com destino ao interior e quando o carro estava quase sem gasolina eles decidiram entrar em Vargem para furtar uma casa.
Checaram alguns imóveis antes de entrar na residência do casal. Após o crime, tomaram sentido à Capital e entraram em outra cidade para vender a aliança roubada do morador para obterem dinheiro e pagarem os custos da volta, uma vez que naquele dia, Artur não teria recursos para tanto.
Com a identificação e prisão dos três envolvidos, a Polícia Civil agora busca o criminoso que não foi localizado. “A investigação foi bastante minuciosa e não restou dúvidas da participação dos quatro no crime. Foi possível relatar o que cada um deles fez durante a ação criminosa. Embora tenha levado algum tempo, foi um trabalho bem sucedido”, avaliou o delegado.

Fotos: Policia Civil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui