Cultivo de orquídeas ganha mais adeptos na pandemia

1
597
Em sua estufa, Cleber cultiva dezenas de orquídeas. Foto: Reportagem

Nestes tempos de coronavírus, em que muitas atividades culturais e socais foram deixadas de lado para evitar aglomerações, o cultivo de orquídeas vem ganhando mais adeptos em todo o Brasil. Em Vargem Grande do Sul, o colecionador Cleber Queiroz Machado fala sobre como cultivar esta planta fascinante, de muita beleza, que exala um perfume muito agradável e conquista a todos.
Mineiro, natural de Visconde de Rio Branco, Cleber, 57 anos, é aposentado e veio para Vargem Grande do Sul trabalhar em manutenção mecânica na antiga usina de açúcar e álcool Dedini, onde permaneceu por cerca de 18 anos.
O gosto pelas orquídeas começou quando ele ganhou dois vasos da planta de um amigo que também trabalhava na usina. “Corria o ano de 2005 e quando as plantas floriram me chamaram atenção. Comecei a me interessar mais, comprei outras orquídeas, fui visitar exposições, me aprofundei em como cultivá-las e acabei me deixando conquistar por elas”, afirmou à reportagem da Gazeta de Vargem Grande.
Na época ele também conheceu em Vargem o orquidófilo Tadeu Margoto, que já tinha um bom conhecimento de orquídeas e passou-lhe boas informações sobre as muitas espécies e o cultivo de orquídeas. Outra pessoa do meio que ele conheceu e contribuiu muito na arte de como cultivar as plantas foi o colecionador Antônio Inácio, mais conhecido como Toninho das Orquídeas, que também já foi tema de reportagem há muitos anos, na Gazeta de Vargem Grande.
Atualmente, Cleber se dedica exclusivamente às orquídeas, quer seja através do comércio que realiza, bem como cuidando de orquidários e incentivando as pessoas na arte do cultivo desta planta, cujo hobby pode vir a se tornar uma tarefa fácil e prazerosa.
Antes da pandemia da covid 19, todos os domingos ele estacionava sua perua Kombi ao lado do antigo Municipal Palace Hotel e comercializava as plantas. O local também tornou-se um ponto de encontro de orquidófilos da cidade para conversar e trocar conhecimentos sobre espécies e cultivos. Na sua residência localizada à Rua Emiliano Botejara, no Jardim Morumbi, Cleber mantém três estufas com centenas de orquídeas, muitas da sua coleção e o restante para atender clientes e amigos.
“O que me fascina nas orquídeas é a diversidade das plantas e a peculiaridade de cada uma. O que fazemos para uma espécie, às vezes não dá certo para outra. Temos de ficar sempre atentos à luminosidade, umidade, tipo de vaso, o substrato e tudo isso requer muita atenção e paciência para conseguir bons resultados”, disse o orquidófilo.
Durante a entrevista, falou que as pessoas às vezes querem resultados imediatos e com as orquídeas não funciona assim. Disse que é uma planta que requer adaptação sempre que muda de lugar e um tempo próprio para se desenvolver e florir. “O melhor adubo par as orquídeas se chama paciência”, explicou.
Nestes tempos de corona vírus, Cleber disse que tem despertado muito o interesse de pessoas para o cultivo das orquídeas. Também notou que quem já as cultivava, está cuidando melhor das plantas e vasos, buscando uma adubação mais correta e mais informações a respeito do cultivo.
“Cuidar de orquídeas é uma terapia. Tenho ouvido relatos de muitas pessoas que deixaram de tomar remédios antidepressivos depois que passaram a cuidar destas plantas. As pessoas ficam motivadas em cuidar e depois com os resultados obtidos ao ver a planta se desenvolver e florir, é muito gratificante, age como se fosse uma recompensa para nós”, explicou o orquidófilo. Para ele, há também o desafio de ver uma planta bonita de outro colecionador e buscar o mesmo resultado.
Finalizando a entrevista, Cleber disse que mais que vender as plantas e acessórios, ele quer mesmo é difundir mais o cultivo de orquídeas aos vargengrandenses. “Me coloco à disposição em ajudar as pessoas a tomar conhecimento desta prática ou hobby e colaborar com o esclarecimento junto a quem já as cultiva e está enfrentando algumas dificuldades”, afirmou o orquidófilo que além das orquídeas, também trabalha com suculentas e rosas do deserto.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui