Acidentes domésticos: dicas de prevenção e socorros

0
154
Cuidado com crianças deve ser redobrado. Foto: imagem ilustrativa/reprodução internet

Docentes do Senac São João da Boa Vista ensinam o que se deve fazer e quando é necessário procurar um hospital

Devido à pandemia, as aulas presenciais da educação infantil ainda não têm previsão de retorno e com isso, as crianças passam mais tempo dentro de casa e os acidentes domésticos aumentam. Segundo o Departamento Científico de Segurança da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) os acidentes representam a principal causa de óbitos de crianças de um a 14 anos no Brasil, sendo que 111 mil são hospitalizadas no país, mais da metade por quedas e queimaduras. Daniel Roberto Marcondes Pereira, docente de Segurança do Trabalho do Senac São João da Boa Vista, enfatiza que estar atento e tentar prevenir os acidentes é o que podemos fazer de melhor.
“As principais recomendações são: não deixar cabos das panelas sobre o fogão voltados para fora; deixar o registro do gás do fogão fechado, caso não o esteja utilizando, se houver crianças em casa; guardar os produtos de limpeza, perfumes e cosméticos no alto ou em armários trancados; guardar facas e objetos de corte longe do alcance das crianças; evitar móveis sobre as janelas; usar protetores de tomada, aparelhos que não estiverem em uso devem ser retirados da tomada; nunca deixar uma criança sem supervisão no banho; e manter os contatos de telefones de médicos e hospitais sempre à mão”, ensina o docente.
Os adultos precisam ficar atentos enquanto realizam, principalmente, atividades de faxina e organização da casa. Para não escorregar, o docente recomenda o uso de sapatos antiderrapantes quando for lavar a casa. “Também é importante deixar as janelas abertas enquanto usa produtos de limpeza, para não correr o risco de intoxicação por inalação”.
Já os idosos devem ter atenção redobrada para evitar as quedas. A docente de Enfermagem, Danielle Fernandes Sprengel, alerta para evitar o uso de tapetes, pois eles geram pequenos desníveis contribuindo para tropeções. “Não ande somente de meia ou com sapatos mal encaixados nos pés, isso aumenta as chances de cair”. A docente também alerta para não se levantar rapidamente da cama, sendo aconselhável sentar-se por um período antes de ficar em pé. “Mantenha o ambiente livre de obstáculos (mesas de centro, cadeiras, vasos) e invista em boa iluminação nos cômodos, principalmente a noite”. Outro cuidado importante é em relação ao uso de medicação diária. “Como estamos vivendo uma rotina diferente, atenção para não esquecer de tomá-los regularmente, seguindo as recomendações médicas”.
No entanto, mesmo tomando todos os cuidados, às vezes, algo sai do controle e o acidente acontece. Nesses casos saber realizar os primeiros socorros é um diferencial. Danielle explica como proceder em diferentes situações e ressalta que em casos graves que precisem ir ao posto de atendimento ou hospital, todos devem usar máscara para prevenir o risco de contato com o coronavírus. Anote as medidas para caso alguém se machuque:
Cortes: lavar com água e sabão, em seguida colocar um pano limpo sobre o local fazendo pressão. Se for um sangramento maior, coloque o pano, pressione e eleve o membro afetado, para diminuir o sangramento no local. Para grandes sangramentos, evite trocar os panos; apenas acrescente outros conforme a necessidade, além das medidas já adotadas anteriormente. Se não cessar é importante procurar auxílio médico imediatamente.
Engoliu objeto que cause sufocamento: ligar imediatamente para o SAMU (192) ou para o Corpo de Bombeiro (193) e se possível realizar a manobra de Heimlich, que consiste em fazer pressão na região da “boca do estomago” com movimento de J.
Ingeriu alguma substância química: ligar no CEATOX (0800-722-6001), munido de informações importantes como idade e peso do paciente, como foi o contato com o produto, há quanto tempo foi a exposição ao produto, quais sintomas está apresentando e um número de telefone para contato. Nunca provoque o vômito sem orientação, pois ele pode fazer com que a substância seja absorvida duas vezes.
Queimadura: o ideal é resfriar com água e não passar nenhum produto. Se for queimadura grande – não retire o que ficou aderido à pele pelo calor – apenas resfrie e encaminhe ao serviço de urgência mais próximo. Para queimaduras domésticas, resfrie o local e não estoure a bolha – elas são proteção para a nova pele em formação.
Fraturas: é importante apoiar as partes do membro fraturado e tentar deixá-lo imóvel, para isso pode-se utilizar até mesmo cadernos, revistas, camisetas enquanto aguarda o atendimento. Nunca tente “recolocar” a fratura no lugar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui