Beneficiadoras cumprem importante papel na produção da batata

0
751
Sérgio Fontão, que transporta os produtos, Marconi Andreatto e seu sócio José Roberto Rosseto

Vargem Grande do Sul e a região devem produzir entre 8,5 a 9 milhões de sacas de batata na safra deste ano. Embora o município seja pequeno e sua área de batata restrita, com a maioria das plantações ocorrendo em áreas pertencentes a outros municípios como Casa Branca, São João da Boa Vista, Mogi Guaçu, Mococa, dentre outras que distam até 100 km da cidade, a grande maioria dos produtores pertence a Vargem Grande do Sul, segundo apurou a reportagem da Gazeta de Vargem Grande.
Estima-se que serão plantados 10 mil hectares, com uma produtividade em torno de 850 sacas por hectare, cuja saca de 50 kg está sendo paga na última semana a R$ 50,00 na roça ao produtor. Numa conta simples de multiplicação, chega-se ao valor desta safra em algo em torno de R$ 450 milhões, mantidos os preços atuais, o que pode variar até o final da colheita, que deve acontecer no fim de outubro.
Neste importante segmento econômico, atuam nesta época as beneficiadoras de batata, cumprindo importante papel na elaboração final do produto que sai da lavoura e tem de chegar em boas condições junto ao exigente consumidor brasileiro, que ao contrário de outros países, tem predileção pela batata bem escolhida e limpa.
No município de Vargem funcionam 13 máquinas de batata, como elas também são conhecidas, sendo que ainda na região funcionam duas na cidade de Casa Branca e três em São João da Boa Vista, a maioria de propriedade de vargengrandenses.
A reportagem da Gazeta de Vargem Grande entrevistou para esta matéria, Marconi de Jesus Andreatto, 50 anos, sócio proprietário da Beneficiadora de Batata Santana, localizada ao longo da SP 215, que liga Vargem Grande do Sul a Casa Branca, logo após o Distrito Industrial José Aparecido da Fonseca-Tota.
Natural de São Sebastião da Grama, está em Vargem desde a década de 70 e há 15 anos trabalha no ramo de comercialização de batata. Há cerca de cinco anos, tornou-se sócio de José Roberto Rosseto e juntos arrendaram uma beneficiadora de batata e criaram a empresa, que trabalha atualmente principalmente no beneficiamento das batatas colhidas por José Roberto, que é um dos grandes produtores do município.
A beneficiadora atende outros produtores de Vargem e também lava e seleciona as batatas comercializadas por Marconi. Com a beneficiadora, os empresários procuram maximizar seus ganhos tanto após a colheita, no caso de José Roberto, como também na comercialização realizada por Marconi. A Beneficiadora de Batata Santana chega a lavar e classificar cerca de 150 cargas diárias, o que dá aproximadamente 55 mil sacas diárias no pico da safra.
A concentração de um grande número de beneficiadoras em Vargem e região, traz segurança aos produtores, que na safra tem de correr com a colheita e depois entregar o produto em boas condições aos compradores.
No processo de beneficiamento, primeiramente acontece a lavagem da batata que chega da roça transportada por caminhões, que pode ser a granel ou em big bags. Após receber jatos de água e em alguns casos sendo esfregadas por cerdas para retirar o excesso de sujeira e impurezas, a próxima etapa a batata segue para a máquina de beneficiar, onde numa esteira há a seleção dos produtos por tamanho e também a retirada das que não estão apropriados para o consumo. Depois da seleção, as batatas são ensacadas e seguem para o destino final, que são os mercados e supermercados de todo o Brasil.

Fotos: Reportagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui