Casos de Covid-19 seguem aumentando

0
2630
Prefeitura divulgou número de casos por bairro no município

Devido ao rápido avanço dos casos do novo coronavírus (Covid-19) em Vargem Grande do Sul, o prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB), considera retornar a cidade à fase um de alerta, que é a vermelha. Em uma publicação em sua página da rede social Facebook, ele relatou que não vê o comprometimento necessário com a prevenção de uma parcela da população, especialmente na última semana.
Até na sexta-feira, dia 24, foram confirmados mais pacientes, e chegou-se ao total de 131 pessoas já diagnosticadas com covid-19 em Vargem. O prefeito lamentou pelas 82 mil famílias que choram a morte de familiares para a doença no país e agradeceu que, por enquanto, nenhuma família vargengrandense faz parte deste grupo.
Dos 131 casos confirmados, três pessoas estão internadas em São João da Boa Vista, sendo duas na Unimed e uma na Santa Casa de São João. De acordo com Amarildo, os pacientes estão estáveis. Dois outros casos estão internados no Hospital de Caridade de Vargem, também estáveis. Um paciente internado ainda aguardava o resultado do exame. Felizmente, dos 131 casos positivos, 102 pessoas já estão curadas da doença. “O aumento não me preocupa neste momento, até porque nós estamos fazendo cinco vezes mais exames desde o dia 13, então quanto mais exames fizer, melhor para identificar as pessoas e isolar. Mas tenho uma preocupação com o comprometimento de uma parcela da população, uma vez que para alguns a quarentena não existe mais”, disse.
O prefeito ressaltou que o trabalho feito pelo setor da Saúde e por todos os profissionais da área, incluindo farmacêuticos e dentistas, além da Guarda Civil Municipal, que verificam estabelecimentos comerciais, está sendo excepcional. “Este é um grupo de pessoas empenhadas a nos ajudar, mas percebemos que temos condições de avançar, apesar da pandemia. Se cada um estiver comprometido com o mínimo, se for sair na rua, usa máscara, mantém o distanciamento, faça a higienização das mãos, gestos comuns, é tão simples”, disse.
“O pior é a falta de comprometimento e essa irresponsabilidade de alguns achando que isso não é nada, que é só uma gripezinha, sendo que 82 mil pessoas, que é duas vezes a população da nossa cidade, são pessoas que perderam as vidas. Quem será a primeira família vargengrandense que vai chorar a perda de um ente querido pela falta de comprometimento de uma parcela da população?”, questionou.
O prefeito pontuou que, em conversa com a Comissão que passa instruções da parte médica, a solução é voltar para a fase vermelha, se não houver melhora nos próximos dias. Nesta fase, segundo ele, vai funcionar apenas os serviços essenciais e ainda com restrições que serão criadas a exemplo do que outras cidades vizinhas já o fizeram.
“Comprometimento é o que está faltando, é irresponsabilidade de alguns. Vivemos em sociedade, é preciso ter responsabilidade um com o outro, precisa ter cidadania, o que não observamos em uma parcela da população. Então, não havendo alteração nos próximos dois dias, não teremos outro caminho senão retroceder à fase um, à fase vermelha”, observou.
Ele contou que alguns membros da Comissão, inclusive ele mesmo, achou que a fase vermelha já deveria ter entrado em vigor na quinta-feira, dia 23. No entanto, ficou decidido que iriam ceder dois dias para que a população demonstre comprometimento com o próximo.
Na sexta-feira, dia 24, o governador João Doria (PSDB), informou que nenhuma região do Estado havia regredido de fase no plano de reabertura da quarentena no Estado. Assim, os municípios do Departamento Regional de Saúde 14 14 (DRS 14), do qual Vargem faz parte, permanecem na fase laranja.

União
Na entrevista que concedeu à Gazeta na tarde de sexta-feira, Amarildo pede a união de todos os vargengrandenses nestes dias que ele considera de fato o pico da doença no município. “Não temos interesse em retroagir para a fase vermelha, onde só funcionariam os serviços essenciais. Este é o momento de estarmos unidos, de aguentarmos firmes os próximos 15 a 20 dias, quando os especialistas acreditam que o pico vai passar se todos fizerem a sua parte”, disse ao jornal.
Pelos dados que o prefeito dispõe, ele acredita que o vírus da covid-19 está presente em todos os bairros da cidade, em todas as camadas sociais, não se concentrando em nenhum bairro específico. Por isso, o prefeito pede que todos devem usar máscara, os que pertencem aos grupos de risco devem ficar em casa, as pessoas devem manter a devida distância, evitar festas e aglomerações e praticar a higienização. “Dá para convivermos, se todos respeitarem e seguirem as recomendações”, afirmou.
Explicou que o Hospital de Caridade tem 24 leitos reservados para as pessoas que contraírem a covid-19, mas o máximo que se usou até hoje, foram seis leitos, sendo que nesta semana apenas três pessoas estavam internadas no Hospital.
A preocupação demonstrada pelo prefeito é que se não se precaver agora, nos próximos 15 a 20 dias, a situação pode fugir do controle. “As pessoas estão agindo como se não existisse mais a quarentena. Se relaxarmos agora,pode acontecer uma contaminação em massa e aí perdemos o controle, como acontece em algumas cidades vizinhas”.
Na entrevista, Amarildo disse que a prefeitura está empenhada em fazer sua parte, que agora além da fiscalização pela Guarda Municipal e setor de Vigilância em todos os estabelecimentos comerciais e de uma equipe multidisciplinar que acompanha as pessoas que contraíram a doença, também determinou que os agentes de saúde junto aos postinhos onde moram as pessoas que estão com a covid-19, também façam o acompanhamento para ver como está a evolução da doença e também se as pessoas de fato estão fazendo a quarentena em suas casas, se os parentes e as pessoas que conviveram com o contaminado também estão em quarentena. Todas estas pessoas assinaram um termo de responsabilidade onde se propõem a respeitar todas as determinações da vigilância sanitária.
Empenhado na luta contra o coronavírus, Amarildo disse que está ligando pessoalmente para todas as lideranças da cidade pedindo que ajudem na conscientização da população para o uso de máscara neste período de pico, que evitem aglomerações, festas e outras atividades que colocam em risco a vida das pessoas com a propagação da doença. “Onde tem liderança, estou pedindo ajuda. Este é o momento de união”, afirmou.

Santa Cruz das Palmeiras
O vizinho município de Santa Cruz das Palmeiras, que tem uma população estimada em mais de 34 mil habitantes, e uma situação sócio econômica parecida com Vargem Grande do Sul, pois tem uma usina de cana de açúcar e também um grande plantio de batata, com uma população flutuante nesta época do ano devido às safras que estão acontecendo, registrou nesta sexta-feira, dia 24 de julho, 760 casos confirmados de covid-19, sendo que deste total, 617 doentes já sararam, 120 estão em isolamento domiciliar, 13 estão internados e já ocorreram 10 óbitos no município que fica a cerca de 40 km de Vargem Grande do Sul.

Ação na barragem

A partir deste domingo, dia 26, o prefeito disse que a Guarda Municipal vai ficar na entrada da Barragem Eduino Sbardelini para fiscalizar se todos que frequentam o local estão com máscaras. “Neste domingo e a partir de segunda-feira, se não tiver de máscara não vai poder entrar, e se a pessoa for pega sem máscara no local, será convidada a se retirar e em caso de não cumprimento da ordem, há uma lei estadual que prevê inclusive multa”, afirmou Amarildo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui