Histórias do futebol em Vargem: 1967, um campeonato que não deixou saudades

0
457

O campeonato, que tinha tudo para dar certo com equipes de bom nível técnico mescladas com veteranos e jovens promessas, acabou sendo um fracasso. A comissão organizadora tentou salvar, quando percebeu que precisava interferir na escalação dos árbitros, mas só piorou a situação com a vinda dos casabranquenses. Quando os botafoguenses saíram do campeonato, porque foram prejudicados na primeira partida do segundo turno, a competição perdeu o brilho. Os torcedores perceberam que as arbitragens eram muito amadoras, improvisadas e sem compromisso nenhum com a qualidade. Eles se afastaram do estádio e as rendas caíram pela metade.
Todas as cinco equipes poderiam vencer o campeonato, mas da forma como aconteceu nenhuma delas se sentiria confortável com o título de campeã. A partir do quarto jogo do segundo turno, quando o XXI de Abril derrotou o Vargengrandense por 3 a 2, parei de escrever todos os detalhes sobre as partidas como vinha, habitualmente, fazendo. Neste jogo, que praticamente tirou os canarinhos da disputa, Jobed e Eduardo fizeram os gols dos derrotados, mas nem anotei os gols dos vencedores (porque será?).
Na rodada seguinte o segundo confronto entre o 1º de Maio e o XXI de Abril terminou empatado (1 a 1) e a equipe da Vila Polar também não passou de um empate quando enfrentou a Formosa (1 a 1) no sexto jogo do segundo turno. Nos sete jogos disputados o XXI de Abril venceu apenas duas vezes. Com os resultados das rodadas anteriores o campeonato já estava decidido e só apresentou como atração o confronto entre o campeão e o vice do primeiro turno.
No dia 6 de agosto de 1967, na última rodada, o Vargengrandense venceu o invicto 1º de Maio por 3 a 0. Com gols de Cortez, Jobed e Canhoto, a faixa do campeão foi carimbada. O Vargengrandense jogou escalado com: Lavinho, Marcos, Moacir, Careca e Flavio, Canhoto e Wilson, Eduardo, Jobed, Cortez e Felicio. Sem dúvida a melhor de todas as formações que foram experimentadas ao longo do campeonato. A equipe do 1º de Maio jogou e perdeu com: Toninho, Nico, Geraldo, Wilsinho e Canhoto, Ferrão e Chico, Colinha, Nelsinho, Ferrinho e Enos.
O campeonato de aspirantes revelou o artilheiro Álvaro, com 5 gols pelo 1º de Maio, que depois se profissionalizou como jogador de futebol. Outro destaque foi Decinho, com 7 gols em dois jogos pelo Vargengrandense. Entre os veteranos João Cadini com 6 gols e João do Pierin com 2, ambos do 1º de Maio, foram os mais eficientes. O campeonato principal permitiu que eu jogasse, mais uma vez, com os craques veteranos que sempre admirei na nossa cidade. Ferrinho e Wilsinho, do 1º de Maio, Arquimedes e Divisa, do XXI de Abril, Aubre e Carioca, do Botafogo e Jobed e Canhoto, do Vargengrandense.
Com este texto encerro a história do campeonato municipal de 1967. Meu fanatismo juvenil pelo futebol foi responsável pelas minúcias registradas num caderninho esquecido e redescoberto durante a quarentena. Tive que filtrar minhas anotações para não ser torcedor e relatar os fatos como eles realmente aconteceram. O que importa, o que vale a pena, é saber que muitos leitores da Gazeta viveram aqueles momentos e, que como eu, estão “curtindo”, com os filhos e netos, uma deliciosa nostalgia.

Por José Alberto Aguilar Cortez

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui