Estado de São Paulo adia volta às aulas para outubro

0
875
Yasmin ainda tem dificuldades de se concentrar em aula online, mas separou momento para estudos. Foto: Arquivo Pessoal

A reabertura das escolas públicas e privadas foi adiada pelo governo do Estado de São Paulo, para o dia 7 de outubro. O anúncio foi feito pelo governador João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa, na sexta-feira, dia 7, e a medida vale tanto para a rede pública quanto a privada, da educação infantil até o ensino superior.
A retomada estava marcada para acontecer, de forma gradual, a partir do dia 8 de setembro. Segundo o governador, a data foi adiada por recomendação do Centro de Contingência do Coronavírus para garantir uma margem de segurança ainda maior para as crianças, adolescentes, professores, gestores e profissionais da rede pública e privada de ensino e para os familiares.
No entanto, ele anunciou também que as escolas públicas e privadas de regiões que estão na fase amarela do plano de flexibilização econômica há 28 dias, e desejarem, poderão antecipar a reabertura para reforço escolar e atividades opcionais a partir do dia 8 de setembro.
Segundo Doria, esta é uma decisão que cada escola deve tomar através de um processo de consulta que envolve a comunidade escolar, pais, estudantes e educadores. Porém, as instituições deverão respeitar o limite do número de alunos em sala de aula e os protocolos sanitários. Além disso, só poderão participar dessas atividades alunos que tiverem autorização dos pais. Estudantes e profissionais do grupo de risco permanecem obrigatoriamente em atividades apenas remotamente.
“O retorno escolar é importante, não somente pelo aspecto educacional, mas também pela questão social e de segurança alimentar”, defendeu Doria.

Plano de retorno
O plano de retorno às aulas foi apresentado durante a coletiva, pelo secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, que defendeu o adiamento e disse que o estado está preparando as escolas para que possam receber os alunos em segurança na nova data programada.
Ele informou que até o início de outubro, as instituições vão receber máscaras de tecido, face shields, termômetros a laser, totem de álcool em gel, sabonete líquido, copos descartáveis, álcool em gel e papel toalha.
O secretário da Educação também afirmou que os municípios terão autonomia de determinar as regras de reabertura da rede escolar das cidades a partir de 7 de outubro.
Segundo ele, a reabertura deverá observar regras de distanciamento e capacidade, limitada a 35% para educação infantil e fundamental nos anos iniciais, e 20% para Ensino Médio e anos finais.
“A ideia é que priorize o atendimento aos alunos que mais precisam. A desigualdade social, tem aluno que não tem equipamento, outras dificuldades ou que tem os equipamentos, mas não se adapta a essa metodologia. A aula continua no centro de mídia. Quando a escola entender que determinadas atividades são importantes pela saúde mental, motivação dos alunos”, explicou o secretário.

Na prática
A estudante Yasmin Vitória Gregório, de 13 anos, está no 8º ano da Escola Estadual Benjamin Bastos e contou que ainda não conseguiu se acostumar com as aulas remotas.
Ela explicou que, por estar em casa, as vezes acaba se desconcentrando e não tem o mesmo foco que teria na aula presencial, sendo um ponto negativo para a jovem. Diferente da escola, em casa os alunos tem acesso a aparelhos tecnológicos, como celular, computador e televisão.
A adolescente também sentiu uma diferença na rotina de estudos, mas separou um momento para os estudos. “Minha rotina está bem corrida, pois além de ter que ajudar em casa, tenho várias lições para fazer. O meu momento de estudos acontece durante a tarde, que é um momento em que eu estou mais tranquila e me sinto mais à vontade”, disse.

Rede municipal
A prefeitura falou sobre o desenvolvimento das atividades com os alunos da rede municipal. De acordo com o informado, todos os estudantes estão recebendo um guia de orientação preparado pelos professores para o estudo semanal, utilizando as apostilas do sistema Anglo de Ensino, adotado pelo município.
“Estes guias de orientações são encaminhados aos pais/responsáveis através de e-mail. Para os alunos da zona rural os guias são entregues pelos motoristas do Departamento de Educação ou retirados na própria escola quando necessário, obedecendo todos os protocolos de segurança como medida de prevenção ao Coronavírus”, pontuou.
As atividades, segundo a prefeitura, são desenvolvidas pelos alunos em suas casas, com apoio dos pais e orientação dos professores através de meios digitais.
O Departamento de Educação informou que estão desenvolvendo atividades que possam preparar os alunos para um possível retorno das aulas presenciais. “No que se refere às questões de ordem pedagógica, é isso que está sendo feito no momento, priorizando os conteúdos essenciais de cada série, para que ao voltar eles possam retomar seus estudos com mais tranquilidade”, disse.
A Educação comentou que, caso haja a retomada das aulas presenciais, em um primeiro momento, o acolhimento dos alunos e suas famílias será a primeira preocupação de toda a equipe escolar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui