Campanha política ganha força nas redes sociais

0
865
Candidatos a vereador, como Anderson Mesquita, estão fazendo uso intenso da Internet para Divulgar seus nomes e programas. Foto: Reprodução Facebook

A campanha política em Vargem Grande do Sul envolvendo dois candidatos a prefeito nas eleições que acontecerão no próximo dia 15 de novembro, domingo, e mais de 130 candidatos a vereador, teve início no dia 27 de setembro, último domingo, e a principal ferramenta utilizada pelos candidatos para exporem suas ideias e se tornarem conhecidos dos eleitores, foi a Internet, com suas várias redes sociais.
A pandemia de Covid-19, que tem aumentado muito nas últimas semanas no município, é um dos fatores dos candidatos deixarem o tradicional corpo a corpo junto ao eleitor e procurar os benefícios da internet. Fiscalizar os abusos que podem ocorrer e combater as notícias falsas, são os desafios que todos terão de enfrentar para se ter uma eleição limpa e transparente.
O candidato do PSD, José Carlos Rossi, tem feito sua campanha principalmente pelo Facebook, onde já vinha atuando como pré-candidato e divulgando o que pensa e pretende fazer por Vargem Grande do Sul se for eleito.
Além da apresentação do seu vice Eduardo Taú, comunicado feito em 12 de setembro e depois reforçado no dia 16, Rossi usou a rede social para falar sobre temas como asfaltamento da cidade, abordou a questão do desemprego e no dia 28 fez uma live onde discorreu sobre várias questões, voltando a falar do desemprego, dos problemas envolvendo a água, a saúde, creches, dentre outros temas. O mediador da live foi o vargengrandense JP Gessle (João Paulo Radaeli Gagliero).
Já o prefeito Amarildo Duzi Moraes do PSDB, há muito tempo vem usando as redes sociais para divulgar sua administração e com a confirmação de sua candidatura à reeleição, tem usado a página do Facebook para publicar além das medidas que vem tomando frente ao Executivo, como os casos envolvendo o combate ao Covid-19, também ações envolvendo sua candidatura à reeleição.
Apesar de não ter ainda abordado temas mais específicos da sua campanha, nesta sexta-feira, dia 2, o prefeito publicou na sua página a “Manifestação de Celso Ribeiro”, seu vice-candidato nas eleições do dia 15 de novembro, onde o ex-prefeito fala em união, somar forças, “gastar mais, onde beneficia mais” e que os erros do passado não podem novamente acontecer.
Os candidatos a vereador também procuram através do Facebook e do WhatsApp se tornarem conhecidos e também expor seus planos de trabalho. Alguns já saíram na frente e tentam conquistar os votos de milhares de eleitores vargengrandenses.
O jornal Gazeta de Vargem Grande publicou primeiramente no jornal impresso os nomes dos candidatos e nesta semana, no seu site e também nas redes sociais, gerando um grande número de comentários. A direção do jornal também vai nas próximas edições publicar os planos de governo dos candidatos e trazer em todas as edições, matérias envolvendo as eleições municipais 2020. Os candidatos também poderão publicar no jornal impresso e no site, suas propagandas políticas, conforme determina a lei.

Gazeta
O site da Gazeta de Vargem Grande conta atualmente com cerca de 27 mil usuários ativos e 52 mil acessos nos últimos 28 dias. Já a página da Gazeta no Facebook conta com mais de 22.200 seguidores e a média de alcance de cada publicação é visualizada por milhares de pessoas.

Campanha
Devido a pandemia, os candidatos estão procurando praticar o distanciamento social necessário para se prevenirem contra a Covid-19 e o ambiente virtual como já vinha acontecendo em eleições anteriores, ganha maior protagonismo. Na sexta-feira que vem, dia 9 de outubro, começam as propagandas políticas no rádio e na tv. Enquanto isso não acontece, as telas dos celulares principalmente, têm sido o canal preferido dos candidatos na conquista dos votos dos eleitores.
O uso maior da internet pelos candidatos, aumenta as preocupações da Justiça Eleitoral com as notícias falsas, as chamadas fake news. O problema aparece muito nas eleições de 2018, quando foram publicados muitos conteúdos inverídicos sobre o processo eleitoral e compartilhados maciçamente pelas redes sociais.
Devido às consequências das práticas reveladas em 2018, as leis foram aperfeiçoadas para o combate às chamadas fake news, sendo que este ano deverá haver uma atuação rápida e firme da Justiça Eleitoral, envolvendo agentes de checagem de conteúdo e também as plataformas das redes sociais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui