População infantil em Vargem e no Estado apresentou queda

0
150
Gráfico mostra queda da participação das crianças na composição da população de Vargem. Foto: Fundação SEADE

Na região, também houve queda, mesmo com o aumento da população total
A Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Estatístico (Saede) divulgou no início do mês, uma pesquisa sobre a população infantil no Estado de São Paulo. Os dados analisados foram entre 1970 e 2020, totalizando 50 anos.
A pesquisa considera criança o indivíduo até 12 anos de idade. De acordo com o analisado, neste período, a participação da população infantil no total da população paulista, caiu pela metade.
Segundo o Seade, de 5,3 milhões de crianças, em 50 anos depois passou a ser 6,8 milhões, sendo um crescimento médio anual de 0,51%. No entanto, neste período, a Fundação informa que a população total mais que dobrou, passando de 17,7 milhões para 44,6 milhões no Estado. Conforme o estudo, a evolução da população de crianças sofreu influência da queda das taxas de fecundidade, de 4,3 filhos por mulher para 1,7 filho.
Em 2000, de acordo com o Seade, cerca da metade dos municípios apresentava mais de 21% de sua população composta por crianças menores de 12 anos, sendo que em apenas dois municípios esta proporção correspondia a menos de 15%.
Já em 2020, o estudo mostra diminuição generalizada da participação infantil na população total. A maior parte de municípios, sendo quase 60%, passou a registrar valores inferiores a 15%, não ocorrendo nenhuma participação de crianças na população total superior a 21%.
Em Vargem Grande do Sul, não é diferente, uma vez que o número também apresentou queda. Dados do Seade mostram que em 2000, a população infantil era composta por 7.444 crianças, sendo 20,73% da população total.
Esse número caiu para 6.396 em 2020, passando a ser apenas 15,33% do total de habitantes. Porém, há 20 anos, a população total da cidade era estimada em 36.247 habitantes, crescendo para 41.501 em 2020.

Região
Todas as cidades da região apresentaram uma queda, assim como Vargem. Em Aguaí, em 2000, a população infantil era composta por 6.097, sendo 21,66% do total, maior proporção da região. Em 2020, o número baixou para 5.683, caindo a proporção total para 15,96%. Em 2000, a população total era 28.145, passando a ser 35.608 em 2020.
Casa Branca contava com um total de população de 26.785, sendo 5.223 crianças, com proporção de 19,50% referente ao total. Os dados mostram que 20 anos depois, a população total foi estimada em 26.785 e a população infantil em 4.223, caindo a proporção para 14,33%.
O número de habitantes de Espírito Santo do Pinhal foi de 40.448 para 42.573. Há 20 anos, a população infantil era estimada em 7.870, sendo 19,46% da população total. Atualmente, o número caiu para 5.647, caindo a proporção para 13,26%
Em Itobi, o número da população infantil caiu de 1.612 em 2000, para 1.012 em 2020. Antes, a população total era estimada em 7.459 e a proporção da população infantil no total era 21,61%. Atualmente, há 7.609 habitantes, deixando a proporção em 13,30%.
A cidade vizinha de São João da Boa Vista em 2000 tinha 77.304 habitantes, sendo 14.050 crianças, uma proporção de 18,17% do total. Em 2020, a estimativa da população foi para 87.340, sendo 10.923 a população infantil, levando a proporção para 12,51%.
A população total de São José do Rio Pardo em 2000 era estimada em 50.022, sendo a população infantil 10.296, uma proporção de 20,58%. Após 20 anos, a população total da cidade foi para 53.206 e a população infantil para 7.353, baixando a proporção para 13,82%
O número da população total em Divinolândia em 2000 era 12.014, caindo para 10.886 em 2020. A população infantil também baixou, saindo de 2.408, sendo 20,04% do total de habitantes, para 1.493, sendo 13,71%.
Em São Sebastião da Grama, a população total também caiu. Em 2000, a estimativa era de 12.448 habitantes, sendo 2.565 crianças, uma proporção de 20,61% do total. Em 2020, a estimativa baixou para 11.936, com 1.620 crianças, caindo a proporção total para 13,57%.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui