Acidente leva moradores a questionarem trânsito na cidade

0
2254
Acidente ocorreu na esquina da Rua Sargento Cassiano com a rua Roberto Sordili Modena, no Jardim Santa Marta

O acidente que aconteceu na tarde de sexta-feira, dia 20 de novembro, no cruzamento das ruas Sargento Cassiano e Roberto Sordili Módena, no Jardim Santa Marta e que ceifou a vida da jovem mãe Valéria Regina de Andrade, 24 anos, quando ela voltava com sua moto do trabalho, criou uma grande polêmica nas redes sociais, com várias pessoas se manifestando e muitas criticando o trânsito na cidade.
Grande parte dos questionamentos foi devido à postagem do fotógrafo Douglas Rogério no Grupo Fala Vargem (Oficial), que com relação ao tema, perfilou várias indagações que obtiveram centenas de curtidas e comentários. Dentre elas, ele pergunta até quando Vargem continuará com ruas em contra mão que não dá para entender; valetas como a do lado do Cartório; caminhões da safra de batata que não tem lugar adequado para o descanso de seus motoristas, citando como exemplo os que ficam parados perto da Associação dos Bataticultores, dificultando a visão dos motoristas que por lá trafegam ou os caminhões que ficam parados nas esquinas, principalmente nos bairros, atrapalhando a visão e o trânsito, causando acidentes.
Citou ainda peruas de supermercados paradas na faixa de pedestres; o problema da aglomeração das pessoas em frente a Caixa Econômica Federal que se arriscam ao atravessar fora da faixa de pedestre, sugerindo que se impeça a rua de vez. Fala também do congestionamento que acontece numa das principais ruas da cidade onde existe um posto de gasolina que atrai uma grande quantidade de veículos, atrapalhando o trânsito.
O morador pediu providências e cita que nos bairros onde morou, Jardim Dolores e Santa Marta, presenciou uma quantidade enorme de acidentes, com vidas perdidas por falta de fiscalização, estudos e melhorias no trânsito de Vargem Grande do Sul.
Com a interferência dos internautas, os debates se acaloraram e pessoas como o ex-vereador José Geraldo Ramazotti se manifestou, o que levou também o diretor de Trânsito do município Flávio Dei Agnoli a se posicionar sobre os muitos questionamentos levantados, inclusive envolvendo o trânsito na Av. Antônio Bolonha.
Os internautas também reconheceram a falta de preparo e a imprudência de muitos motoristas, sendo estes responsáveis pela maioria dos acidentes que acontecem na cidade, principalmente os fatais na região urbana e que envolve motociclistas, que ficam muito mais expostos quando ocorrem as colisões.
Uma moradora do Jardim Paulista, disse que na Rua Antônio Costa não há lombada, os carros, motos e caminhões passam em alta velocidade. Citou também que na esquina entre as ruas Vicente Menossi e Antônio Costa não existe visão, principalmente pra quem vira a esquerda e que os agentes públicos deveriam passar de rua em rua e ver o que pode ser feito para melhorar a segurança.
Outra internauta diz que não só na safra da batata que os caminhões dificultam o trânsito no Jardim Santa Marta. Ela se queixa que tem uma oficina na esquina do trevo que dá acesso ao bairro e a forma como são estacionados os caminhões e ônibus que estão ali para consertar, acabam tirando a visão dos motoristas.
Também os internautas do Centro da cidade pediram mais ação do Departamento de Trânsito, como a moradora da Rua Imaculada Conceição que pede ao Desetran que estabeleça sentido único na referida rua, pois ela faz a ligação dos bairros Jardim Morumbi e Jardim Pacaembu com outros bairros importantes da cidade e o movimento de veículos tem aumentado muito, podendo causar a qualquer momento acidentes nas suas esquinas.

Diretor do Desetran se manifesta
O diretor do Desetran de Vargem Grande do Sul, Flávio Dei Agnoli procurou dar algumas respostas aos internautas que citaram o órgão nas suas manifestações. Segundo Flávio, realmente o trânsito da cidade tem que melhorar em todos os aspectos, mas ele faz uma ressalva que também a população tem que melhorar suas atitudes.
Disse que o trânsito é um dos fatores que mais mata no mundo e que Vargem não fica imune a estas estatísticas. Salientou que o objetivo do departamento que dirige é reduzir as mortes, “apesar de ainda termos poucos acidentes com vítimas fatais em nossa cidade, se analisarmos a qualidade dos nossos motoristas”, falou, argumentando que “a vida é nosso maior bem, não tem preço, por isso temos que zelar muito bem dela, e no trânsito isso se faz pelo respeito e educação”.
Comentando sobre o tema fiscalização, o diretor afirmou que uns falam em falta de fiscalização, outros em indústria de multas, mas que Vargem produz pouquíssimas multas de trânsito, mas que multar em quantidade não vai resolver os problemas do trânsito na cidade.
Prossegue sua postagem dizendo que a população quer fiscalização, mas não gosta de ser fiscalizada. Que basta observar para ver quantos motoristas estão usando o celular, quantos usam a seta, quantos respeitam as placas de parada obrigatória e os semáforos. Falou também sobre o excesso de velocidade dos carros, principalmente motos, dos ciclistas na contra mão de direção e em cima de calçadas e dos pedestres no meio da rua.
Admitiu que parte destes problemas é culpa do Departamento de Trânsito que tem suas limitações, mas a maior parcela de culpa é do ser humano. “A população reclama do excesso de velocidade, mas se instalar um radar a maioria é contra, altera-se uma rua para sentido único pra dar maior segurança aos usuários da via, a população reclama”, desabafou.
Disse ainda que muitos reclamam de tudo e não dão sugestões que possam ajudar, fantasiam coisas que não tem como se aplicar. “Temos que pensar no direito de ir e vir do indivíduo, aplicar a empatia nas ações, para prejudicar o mínimo possível às pessoas, temos que ter a ciência que não podemos colocar um semáforo em todos os cruzamentos, bem como, fazer lombadas a cada 50 metros”, completou.
Finalizando seus comentários, Flávio Dei Agnoli se colocou à disposição de qualquer cidadão que queira tentar entender um pouco mais sobre esse assunto tão complexo que é o trânsito de uma cidade. Com relação ao que chamou de sentido de circulação na via, que podem ser sentido único ou duplo, ao se referir à mão e contramão das vias, disse que quem mora nas imediações das vias que foram alteradas sabe por que elas foram alteradas, inclusive nas escolas a segurança é outra.
Comentando sobre o acidente ocorrido que vitimou a jovem mãe, disse que as ruas transversais de onde ocorreu o acidente no Jardim Santa Marta, foram mudadas pelo departamento que dirige para sentido único e que se não houvesse ocorrido essas mudanças teria tido muito mais acidentes nesse local e que recentemente próximo ao local do acidente, foram instaladas duas lombadas, afirmando que a preocupação do Poder Público com a segurança do trânsito em Vargem existe.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui