Câmara Municipal presta homenagem a ex-vereadores

0
694
Serginho, Luís Carlos Fermoselli, Itaroti, Romualdo Menossi, Tadeu Ligabue e Celso Ribeiro. Fotos: Reportagem

A sessão solene realizada quinta-feira, dia 26 de novembro, às 19h30, no prédio da Câmara Municipal para a comemoração dos 30 anos da promulgação da Lei Orgânica do Município, inauguração da Galeria da Legislatura dos ex-vereadores e o descerramento da placa que nominou a Tribuna Livre da Câmara de “Vereador Roberto Aparecido Fermoselli”, foi singela, com a presença de poucos vereadores e convidados e revestiu-se da importância, segundo pode-se apurar do pronunciamento do presidente da Câmara, vereador Paulo César da Costa (PSB) e dos oradores presentes, de preservar a história dos homens públicos que participaram do Poder Legislativo de Vargem Grande do Sul.
A Lei Orgânica do município foi promulgada no dia 20 de abril de 1990 e
a comemoração do feito estava marcada para acontecer no mês de abril, mas devido à pandemia da Covid-19, somente agora o presidente Paulinho pode realizar a sessão solene.
Dos vereadores constituintes estavam presentes Antônio Sérgio da Silva (PMDB), Celso Itaroti Cancelier Cerva (PTB), Celso Luís Ribeiro (PSDB), que presidiu a Câmara Municipal, Luís Carlos Fermoselli (PFL), Romualdo Menossi (PMDB) e Tadeu Fernando Ligabue (PSDB), que foi o relator do projeto. Não puderam participar os vereadores Alexandre Tadeu Misurini (PTB) e Neide Fonseca Castilho (PSDB). Dos 15 constituintes da época, já faleceram Benedito Adão (PTB), Idevaldo Nora (PDS), José Locatelli Filho (PDS), Marçal Daniel de Andrade (PMDB), Maria Pereira da Fonseca (PMDB), Nívio Patarro Pereira (PDS) e Roberto Aparecido Fermoselli (PMDB).
Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente Paulo César da Costa e estavam presentes os atuais vereadores Felipe Gadiani (MDB), Canarinho (PSDB) e Guilherme Nicolau (MDB). Para participar dos trabalhos foram convidados o presidente da Câmara na época da feitura da Lei Orgânica, Celso Ribeiro, o atual prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) e a vereadora eleita Danutta Rosseto (Republicanos).
O primeiro a fazer uso da palavra foi o ex-prefeito Celso Ribeiro, que também presidiu o Legislativo na ocasião da elaboração da Lei Orgânica e falou da importância e da honra de ter participado do projeto. Disse que foram mais de 70 sessões de estudos e votações e os vereadores constituintes não receberam nenhum tostão, ao contrário de toda a região.
Enfatizou o alto nível das discussões e da importância das leis, que devem ser respeitadas e cumpridas. “Tudo que vamos fazer, temos primeiro de ver o que diz a lei. Serve tanto para o cidadão comum e muito mais para o homem público, que deve ser escravo da lei”, afirmou.
Celso, que foi eleito vice-prefeito de Amarildo na última eleição, pediu a todos os presentes para esquecerem as divergências políticas e pensarem em Vargem Grande do Sul, pois segundo ele, o momento atual é muito favorável para que a cidade cresça e evolua. “Vamos nos unir e daqui a quatro anos não vamos nos arrepender, afirmou.
O vereador Serginho fez uso da palavra como ex-constituinte municipal e pediu um minuto de silêncio em homenagem aos vereadores ausentes. Também fizeram uso da palavra os ex-vereadores Tadeu Fernando Ligabue, que falou da importância das leis e Celso Itaroti Cancelier Cerva, que abordou o sério trabalho realizado na época e aproveitou para dizer que como vereador eleito para a próxima legislatura, dará total apoio à administração no que for para o bem da cidade.
O prefeito Amarildo disse que os vereadores que elaboraram a Lei Orgânica fizeram história. Parabenizou o presidente Paulo César da Costa, dizendo que a lei não permite que se homenageie pessoas em vida, mas as que deixaram um legado à cidade, tem de ser reconhecidas. Finalizando disse que a eleição passou e que todos devem se unir em prol do município.

Roberto Fermoselli

Tribuna recebe o nome de Roberto Aparecido Fermoselli

Durante o cerimonial, que foi conduzido por Luís Carlos dos Santos, foi lida a biografia do vereador Roberto Aparecido Fermoselli e todos os oradores que fizeram uso da palavra foram unânimes no elogio que fizeram ao vereador Roberto Fermoselli, em cuja homenagem foi dado o nome à Tribuna Livre da Câmara.
O vereador Serginho da Farmácia que conviveu com Roberto durante várias legislaturas, falou da vida pública de Roberto, da sua participação em seis legislaturas junto à Câmara Municipal, do seu trabalho junto às entidades da cidade e também de sua vida religiosa. O presidente Paulinho disse que não poderia terminar seu mandato sem a homenagem especial ao vereador Roberto Fermoselli, por tudo que ele fez e simbolizou para o Legislativo de nossa cidade.
Estavam presentes na sessão a esposa de Roberto, Maria Lúcia, seus filhos e irmãos, que foram convidados a descerrar a placa em sua homenagem. Maria Lúcia disse que estava muito feliz com a homenagem e agradeceu de coração a todos os presentes.
Após, foram descerradas as placas onde constam os nomes dos vereadores constituintes e também a placa onde estão os nomes de todos os vereadores que já fizeram parte da Câmara Municipal de Vargem Grande do Sul e suas respectivas legislaturas, desde o início dos anos vinte do século passado, perpetuando a história e a memória dos homens públicos que se dedicaram e elaborar e aprovar as leis que regem o município de Vargem Grande do Sul.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui