Vereadores questionam vacinação e pedem divulgação de cronograma

0
1192
Em ofício, Itaroti pediu publicação diária de lista de quem já foi vacinado para garantir a transparência da campanha. Foto: Reprodução Youtube

A vacinação em Vargem Grande do Sul contra a Covid-19 foi discutida na sessão ordinária da Câmara Municipal da última terça-feira, dia 16. Na ocasião, os vereadores questionaram a campanha de imunização contra a doença, pediram maior transparência, solicitaram esclarecimentos sobre os critérios de quais profissionais da saúde são vacinados e pediram maior divulgação e publicidade no cronograma.
O presidente da Câmara, o vereador Celso Itaroti (PTB), enviou um ofício à prefeitura sobre o assunto. O documento foi encaminhado ao prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB), onde o presidente da Câmara pontuou sobre o sumiço de mais de 60 mil doses da vacina cononavac no Amazonas e a necessidade de se divulgar uma lista das pessoas vacinadas, uma vez que a transparência é um princípio fundamental na democracia.
Itaroti falou sobre a garantia da transparência administrativa, por meio de uma publicação diária da lista de todos os vacinados contra a covid no município, principalmente nessa primeira fase da vacinação, que cabe apenas aos profissionais da área da saúde que atuam na linha de frente contra a doença e aos idosos serem vacinados.
O vereador relatou que é preciso que os princípios sejam cumpridos, onde seja vacinado, primeiro, quem mais precisa, de modo a combater a corrupção na imunização no município. O documento trata sobre notícias que vêm sendo divulgadas a respeito de pessoas que tentam furar a fila.
Ele fala sobre a necessidade de garantir que a cidade realize a correta vacinação com transparência para a população, a partir da divulgação por meio do site oficial da prefeitura, da página da rede social Facebook e Instagram e outros meios de divulgação. A ideia é que, nessa lista diária, tenha informações relativas ao nome e grupo prioritário que pertence ser vacinado, a data da vacinação, o número do lote da vacina aplicado e o nome do responsável pela aplicação da vacina, possibilitando o acompanhamento, em tempo real, pela população e órgãos de controle.
O vereador Carlos Eduardo Scacabarozi, o Canarinho (PSDB), reforçou que o ofício vem de encontro ao requerimento que enviou ao Chefe do Executivo, aprovado pelos vereadores. No documento, o vereador falava sobre a necessidade da população acompanhar e fiscalizar a vacinação no município, até mesmo para saberem quando serão vacinados e quando os munícipes que já receberam a primeira dose, receberão a segunda.
O vereador Antônio Sérgio da Silva, o Serginho da Farmácia (PSDB), pontuou que na região, a maioria dos funcionários e proprietários de farmácias já puderam ser vacinados, o que ainda não ocorreu em Vargem.
O vereador Guilherme Nicolau (MDB) comentou que foi procurado por um dentista da cidade, que é prestador de serviço e não pôde ser vacinado por não contribuir com o Imposto Sobre Serviço (ISS), embora os profissionais da área estejam sendo. Nas cidades da região, ele pontuou que os dentistas prestadores de serviço, mesmo sem consultório próprio, estão sendo vacinados sem empecilhos.
O mesmo aconteceu com o vereador Gláucio Santa Maria (Democratas), que também contou que foi procurado por uma fisioterapeuta que não pôde ser vacinada por não contribuir com imposto, porém, a profissional trabalha com idosos acamados. O vereador pede que algo seja feito em relação a esses profissionais, uma vez que acredita que a partir do momento em que a pessoa é profissional da saúde, deve ser vacinada.
A vereadora Danutta Rosseto (Republicanos) pontuou que presenciou uma cena em que uma psicóloga estava sendo barrada de ser vacinada. Ela, que é nutricionista, também comentou que não sabia que os profissionais da sua área estariam sendo vacinadas, mesmo fazendo parte do Legislativo da cidade.
Danutta reforçou a necessidade de se divulgar um cronograma, que é uma informação essencial, uma vez que, caso o profissional perca seu dia, não pode voltar no dia seguinte. A vereadora comentou que em cidades vizinhas, a vacinação está sendo aberta até para profissionais que trabalham no município, mas são de outras cidades, e em Vargem, profissionais estão sendo barrados. Para Danutta, a partir do momento em que o profissional tem o registro de sua profissão e a vacinação está abrindo para aquela categoria, ele deveria ser também.
Os vereadores também comentaram sobre a necessidade de se divulgar um cronograma, devido a facilidade com os meios de comunicação, para que os profissionais possam acompanhar quando serão vacinados, mesmo que seja sujeito a alteração por depender da chegada da vacina. Eles também reforçaram sobre a necessidade de que alguém do Departamento de Saúde compareça na Casa de Leis para esclarecer sobre esses pontos aos vereadores, para que assim, eles possam dar respostas corretas e concretas aos munícipes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui