Tiro de Guerra tem novo instrutor

1
1292
Sg. Alexandre, na foto com sua esposa, assume o Tiro de Guerra no lugar do Subtenente Maurício, na foto com sua esposa. Foto: Reportagem

Após chefiar por dois anos o Tiro de Guerra 02-092 de Vargem Grande do Sul, o 1 º subtenente Maurício Manoel da Silva, que foi o primeiro instrutor e a pessoa que ajudou na instalação do TG no município, passou o comando para o 1º sargento Alexandre Soares Mariano, em solenidade realizada na sexta-feira, dia 19, na Casa da Cultura.
O TG 02-092 foi criado através de portaria nº 1.387 do comandante do Exército de 30 de setembro de 2015, subordinado a 2ª Região Militar sediado em São Paulo, durante a gestão do ex-prefeito Celso Itaroti, iniciando suas atividades no dia 1 de março de 2016, se instalando na antiga Escola de Formação de Soldados da Polícia Militar, junto ao Recinto de Exposições.
Participaram das solenidades o vice-prefeito José Roberto Rotta (PPS), o 1º tenente Mendes, delegado do Serviço Militar da cidade de Mogi Mirim, o subtenente Perine, chefe instrutor do TG de Mogi Guaçu, o ex-comandante da GCM de Vargem, sargento Lauro Plínio Verona, o comandante da Guarda Civil Municipal Marco Antônio da Silva, vereadores, diretores da prefeitura e demais convidados.
O 1º subtenente agradeceu a todos que contribuíram com estes dois anos em que esteve à frente do TG, tempo suficiente para a formação de cem atiradores e emocionou-se ao citar a participação de sua esposa Eudimary e a compreensão dos filhos que estavam longe e dos pais que também à distância lhe davam o apoio necessário a cumprir sua missão. Agradeceu ao prefeito Amarildo Duzi Moraes (PSDB) e a todos seus diretores que sempre se fizeram presentes, aos vereadores e à comunidade vargengrandense. Falou então da missão do TG na formação dos jovens, sendo uma das principais a de incutir nos formandos as noções de cidadania, civismo, disciplina, lapidando costumes e valores. Disse que saía com a consciência do dever cumprido e desejou sucesso ao seu sucessor.
Em seguida fez uso da palavra o vice-prefeito Rotta, justificando a ausência do prefeito Amarildo que estava naquele momento participando de uma reunião com os prefeitos da região junto ao Conderg, órgão que preside. Rotta enalteceu o trabalho do tenente Maurício, cujos atiradores participaram de várias campanhas realizadas no município. Falou da importância do TG na cidade, na formação dos jovens vargengrandenses, que hoje carecem de civismo, patriotismo e da noção de respeito e desejou ao novo instrutor, sargento Alexandre, sucesso.
Após, foi lido pelo tenente Mendes, o elogio que o tenente coronel Erick Vaz de Castro, chefe da seção de Tiros de Guerra da 2ª Região Militar, fez ao tenente Maurício. Segundo o coronel, o tenente Maurício fez seu trabalho com louvor, fundando e ajudando a montar o TG de Vargem, usando de sua grande experiência em trabalhar com os jovens, contribuindo para incutir nos mesmos a necessidade de ajudar ao próximo, além da formação que o TG prega como sendo uma escola de civismo e cidadania.
A diretora de Cultura Márcia Iared também se expressou e disse da emoção que foi a apresentação do Tiro de Guerra na Festa das Nações, abrindo as festividades. Elogiou o trabalho do tenente Maurício e disse que ele deixava as funções em Vargem com a sensação do dever cumprido. Falou da importância de preparar os jovens, da cidadania, do combate à violência que o Brasil vive nos dias atuais, que valores que o TG prega pode fazer a diferença na vida de tantos jovens vargengrandenses.
Encerando as solenidades, foi dada a entrada da Bandeira Nacional no palco e houve a transmissão do cargo, momento em que frente ao tenente Mendes e ao vice-prefeito Rotta, o tenente Maurício passou a função de chefia do TG para o sargento Alexandre Sores Mariano.
O novo instrutor do TG é natural de Cachoeira do Sul-RS, é casado com dona Leomarcia Alexandre da Silva, tem dois filhos e já serviu na Missão de Paz junto ao Haiti.

Sg. Alexandre, na foto com sua esposa, assume o Tiro de Guerra no lugar do Subtenente Maurício, na foto com sua esposa. Foto: Reportagem

1 COMENTÁRIO

  1. Já que resolveram começar com isso em nossa cidade, que comecem de modo correto !

    O aluguel da morada do instrutor do Tiro de Guerra não pode ser pago com dinheiro público, pela Prefeitura, pois isso é contrário à lei. Um funcionário público não pode ganhar um benefício dessa natureza.

    O Ministério Público já cuidou disso quanto ao instrutor do TG em Espírito Santo do Pinhal, e a Prefeitura de lá parou com a ilegalidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui