12ª Festa do Milho e 8º Festival de Música Sertaneja

0
1079
Márcia Aparecida Ribeiro Iared, diretora de Cultura e Turismo

Márcia Ribeiro Iared

Desde o primeiro dia em que reassumi o Departamento de Cultura e Turismo começaram as abordagens sobre a volta da Festa do Milho, que criamos em 2001 e conquistou o grande apreço da população, por conta das saudosas vivências dos mutirões de milho e das “pamonhadas”, tradicionais das famílias, que aconteciam todos os anos na maior parte das casas vargengrandenses.
A Festa do Milho é um evento em que a solidariedade e a satisfação de doar-se é o ponto alto da festa, somado ao prazer e grande aprovação que a nossa gente das beiradas de Minas tem pelas guloseimas de milho, onde a viola e o meio rural se encontram.
A evolução dos costumes que impôs a família trabalhar fora de casa raleou os mutirões familiares, quase obrigatórios, para lidar com o milho. Todavia, neste momento, as entidades, que contam com doações dos agricultores sempre colaboradores da Festa do Milho, também mobilizam várias pessoas para a preparação do cardápio, e assim teremos pratos como pamonha, curau, bolo de milho, sorvete, milho cozido, panquecas de milho, torta, polenta, entre outros.
Em paralelo à Festa, retorna também o Festival de Música Sertaneja, comandado por Edy Eventos, agora na sua 8ª edição, recebendo em seu palco violeiros de toda região, além do nosso afiado grupo de Viola Caipira, regido pelo Professor Luís Filipini.
E, para coroar o evento, a 12ª Festa do Milho contará com a presença das animadas irmãs Meire e Marilene, “As Galvão”, tão conhecidas do povo vargengrandense.
Os setenta anos de estrada da dupla mais antiga do Brasil estão sendo coroados com o recente lançamento de um filme sobre a trajetória de sucessos da dupla, além de um documentário que será distribuído em todo o Brasil. Apesar de tão prolongada carreira, podemos dizer que a dupla está na fase áurea de toda a sua existência.
As Galvão, que já participaram da Festa do Milho, ainda adolescentes estiveram em Vargem Grande do Sul em um memorável show na década de 50 e deixaram por anos saudosas lembranças com sucessos como “Beijinho Doce” e “Cheiro de Relva”, entre outros perpetuados pelos seus discos obrigatórios nas coleções de grande parte das famílias brasileiras.
Nascidas no interior de São Paulo, começaram ainda muito crianças esta caminhada. A fama e a exposição jamais as deslumbraram, mantendo a alegria e a simplicidade que tanto tocam a grande legião de fãs que conquistaram neste nosso Brasil.

Festa do Milho e Festival de Música Sertaneja. Foto: Arquivo Gazeta

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui