Com convulsões, adolescente espera ressonância

0
654
Edmilson aguarda a realização do exame. Foto: Arquivo Pessoal

Nos últimos dias a história de um adolescente de 15 anos comoveu a população vargengrandense, após a família e amigos postarem em seus perfis na rede social Facebook, o pedido de ajuda para angariar fundos para a realização de uma ressonância magnética de crânio para o jovem.
A Gazeta de Vargem Grande entrou em contato com a mãe e a madrasta do adolescente para saber um pouco mais sobre o caso e sua história. O adolescente Edmilson de Jesus tem 15 anos e estuda na escola Benjamin Bastos. Há seis meses ele sofreu um acidente de bicicleta e acabou batendo a cabeça no chão. Devido ao acidente, Edmilson precisou ser entubado, ficou três dias internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de São João da Boa Vista e mais quatro dias na UTI em São José do Rio Pardo. No período em que esteve internado, o adolescente acabou pegando uma infecção que lhe causou uma ferida que persiste até hoje, porém já está melhorando.
Após o período de internação na UTI o adolescente veio para Vargem, onde ficou internado durante quatro dias no Hospital de Caridade e neste período começou a ter convulsões. Cássia e Rosemary, responsáveis pelo adolescente, contaram que em uma ocasião, ele chegou a ficar convulsionando durante 39 minutos. Segundo elas, as crises seguem até os dias atuais.
Na segunda-feira, dia 12 de fevereiro, o adolescente estava na cidade de São Sebastião da Grama e começou a sentir dores de cabeça, caindo logo em seguida. Foi pedido socorro, e a primeira pessoa a chegar no local para prestar os primeiros atendimentos foi uma bombeira que é de Vargem e que trabalha na cidade, que segundo as responsáveis pelo jovem, até hoje auxilia nos cuidados com Edmilson.
Após os primeiros atendimentos, o adolescente foi levado ao hospital de São Sebastião da Grama, onde permanece internado desde então e sempre acompanhado de alguém da família. Suas responsáveis informaram ao jornal que três pessoas sempre estão se revezando nos cuidados com o jovem no hospital.
No dia 15 de fevereiro, uma médica que acompanha o caso do adolescente fez o pedido de uma ressonância magnética do crânio para que pudesse ser descoberta a causa das convulsões do jovem. A família de Edmilson foi atrás de marcar o exame, pediram até na Justiça para que o exame fosse pago pela prefeitura para que fosse mais rápido, porém foram informados que não havia verba para isto. A família então decidiu pedir ajuda nas redes sociais para conseguir arrecadar o valor necessário para fazer o exame na rede particular.
Cássia e Rosemary informaram que após o pedido de ajuda para angariar fundos para a realização de uma ressonância para Edmilson, um grupo se propôs a ajudar para conseguir o exame, muitas pessoas de Vargem e região também se dispuseram a ajudar com doações para arrecadar o dinheiro necessário para pagar a ressonância.
Porém, elas informaram que foi enviado um comunicado à prefeitura de Vargem falando que o adolescente não precisava de ajuda, pois não precisava fazer o exame, que estava sendo muito bem assistido no hospital e que estava com uma consulta com um neurologista marcada para terça-feira, dia 20.
Segundo Cássia e Rosemary, após esse comunicado, muita gente começou a pensar que o pedido feito pela família e amigos não era verdadeiro e desistiu de ajudar. Na última terça-feira, dia 20, Edmilson se consultou com o neurologista em Casa Branca e o médico que o atendeu também fez o pedido de uma ressonância magnética do crânio, exame o qual a família só conseguiu uma vaga pelo SUS para o dia 22 de março.
Segundo elas, com o resultado desse exame, os médicos podem conseguir ver qual é a causa das convulsões do adolescente e ver quais os procedimentos a serem feitos.
O jovem toma medicamentos de uso contínuo por causa das convulsões, mas eles não têm surtido o efeito desejado e o médico muda de medicamento quando necessário, na busca pelo ideal para o caso. Com o resultado do exame, será possível prescrever o medicamento com mais precisão.
Ainda na terça-feira, dia 20, Edmilson recebeu alta do hospital de São Sebastião da Grama e pode ir para casa.

Ajuda

A família do adolescente informou a Gazeta que ele faz o uso de medicamentos que nem sempre conseguem gratuitamente. Além de despesas com medicamentos e outras necessidades de Edmilson, a família também tem gastos com outro adolescente da casa que possui necessidades especiais.
Quem quiser ajudá-los com os medicamentos ou outras coisas que o jovem necessita, pode entrar em contato pelos telefones (19) 9.9152-2197 e falar ou Rosemary, ou pelo (19) 9.9488-6883, falar com Cássia.

Edmilson aguarda a realização do exame. Foto: Arquivo Pessoal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor insira seu comentário
Por favor insira seu nome aqui